asdasdasdasd

Vereador Aero Cruz diz que discussão sobre residência dos secretários 'não vai somar'

por Redação Nossa Voz 23 de Fevereiro de 2017 às 13:02

Na semana passada, o vereador e líder de oposição, Paulo Valgueiro, disse ter solicitado do chefe do executivo, Miguel Coelho, a portaria e documentação da nomeação dos secretários, bem como a comprovação da residência dos mesmos no município, alegando que vai continuar acompanhando a administração municipal e constatar se estão ocorrendo irregularidades. Ele não quis citar nomes, mas disse que existem fortes indícios de que alguns secretários não residem na cidade de petrolina, ferindo o artigo 65 da lei orgânica do município. O processo já está encaminhado e a Prefeitura de Petrolina afirmou, em nota, que todos os secretários possuem residência na cidade.

Os parlamentares da Casa Plínio Amorim foram de acordo com a solicitação do líder de oposição, inclusive o vereador Aero Cruz, que diz ter concordado com o requerimento, como uma forma de não ter embate com o outro grupo. “Até porque nós não temos nada a esconder”, rebateu Aero.

O artigo 65 da lei orgânica do município foi criado na gestão passada. Porém, segundo o vereador Aero Cruz, nem mesmo o grupo de secretariado do ex gestor respeitou esta lei. Ele afirmou que existem outros temas mais importantes a serem discutidos do que este apresentado pelo líder de oposição, Paulo Valgueiro. “Se isso foi aprovado na gestão passada, não foi colocado em prática, porque a gente teve secretário daqui saindo para votar em Afrânio. O que a gente não quer é partir para um embate que não some para a população. A gente tem questões maiores para colocar em prática e discutir”, afirmou o parlamentar.


Mendonça Filho já liberou mais de R$ 4 milhões para modernização do centro cirúrgico do HU-Univasf

por Simone Marques 23 de Fevereiro de 2017 às 11:45
categoria: Política

O Hospital Universitário da Universidade Federal do Vale do São Francisco (HU-Univasf) tem promovido melhorias significativas na área de centro cirúrgico com a aquisição de equipamentos de ponta. Administrado pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), órgão vinculado ao Ministério da Educação (MEC), o hospital já recebeu, desde 2016,  mais de R$ 4 milhões para a compra de equipamentos cirúrgicos. Os recursos foram liberados pelo ministro da Educação, Mendonça Filho, através da Ebserh. “Recentemente, a equipe de neurocirurgiões passou a ter à disposição um aspirador ultrassónico, utilizado na remoção de tumores cerebrais e do sistema nervoso central”, anunciou Mendonça Filho. O HU-Univasf é o único hospital da região detentor do aparelho que, através de um feixe de ultrassom, desprende apenas o tecido lesado, e com o sistema de sucção, remove o tumor de maneira minimamente invasiva.

As melhorias no aparato tecnológico do bloco cirúrgico já contribuíram para o número expressivo de 388 neurocirurgias realizadas em 2016. Somente em dezembro, foram 49 cirurgias. Esses números se tornam mais significativos quando se considera o alto grau de complexidade desses procedimentos, já que, em média, uma neurocirurgia leva no mínimo quatro horas para ser concluída.

De acordo com o chefe da Unidade Neuromuscular, Ricardo Brandão, a disponibilidade desses equipamentos é importante tanto para os pacientes quanto para os profissionais. “Ajuda muito a equipe, pois proporciona um conforto maior para quem está operando, aumentado a margem de segurança do neurocirurgião. O tempo cirúrgico e o tempo anestésico são abreviados, o que diminui todas as complicações que poderiam advir disso”, disse.

Ricardo Brandão ainda destacou que a aquisição dos aparelhos oportunizou a realização de procedimentos de alta complexidade sem a necessidade de transferir pacientes para centros maiores, como Recife ou Salvador. “Hoje, 95% dos casos neurológicos que nos chegam são atendidos localmente. Toda a equipe do HU está empenhada em promover uma saúde pública de qualidade. Temos tentado fazer o melhor possível pelos nossos pacientes”, afirmou o neurocirurgião.

Ao longo de 2017, novos equipamentos reforçarão a estrutura do bloco cirúrgico do hospital, conforme afirmação do chefe do Setor de Infraestrutura Física, Carlos Henrique Melo. “Em 2016 foi investido mais de R$ 1 milhão na modernização do centro cirúrgico. Além disso, foram investidos mais de R$ 3 milhões na compra de equipamentos que chegarão nos próximos meses. As seis salas no bloco cirúrgico estão sendo preparadas para terem porte para grandes cirurgias, após sete anos. Anteriormente, havia apenas duas com capacidade para estes procedimentos”, explicou.

A Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), estatal vinculada ao Ministério da Educação, administra atualmente 39 hospitais universitários federais. O objetivo é, em parceria com as universidades, aperfeiçoar os serviços de atendimento à população, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS), e promover o ensino e a pesquisa nas unidades filiadas. O órgão, criado em dezembro de 2011, também é responsável pela gestão do Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (Rehuf), que contempla ações nas 50 unidades existentes no país, incluindo as não filiadas à Ebserh.(Ascom)


Osinaldo Souza nega estar em cima do muro: 'sou por Petrolina'

por Redação Nossa Voz 23 de Fevereiro de 2017 às 11:44

É perceptível que o vereador Osinaldo Souza (PTB) tem mantido uma postura reservada dentro da Casa Plínio Amorim. Ele ainda não se manifestou de qual grupo faz parte: situação ou oposição. Questionado se está em um momento de avaliação dentro da câmara, ele esquivou-se e disse não ter problemas em integrar quaisquer um dos grupos e que o problema está nas nomenclaturas dos grupos.

“Eu decidi ficar por Petrolina, independentemente do que eu venha dizer em algum momento sobre situação ou oposição. Meu papel é ficar a dispor do povo de Petrolina. Eu estou muito tranquilo quanto a isso, não tenho problemas em ser situação ou oposição, mas esses nomes são ultrapassados. Eu desejo todo sucesso ao prefeito Miguel Coelho. Acho que o pensamento mais avançado é dizer que sou poder do legislativo e estou a favor do povo de Petrolina e vou fazer o que for melhor pela cidade”, disse o vereador.

Sobre como tem avaliado a administração do Prefeito Miguel Coelho (PSB), o parlamentar disse que ainda é muito cedo para fazer algum pronunciamento, tendo em vista que o chefe do executivo tem apenas dois meses em frente a Prefeitura de Petrolina.

“O prefeito Miguel não foi reeleito, ele tem que ter um tempo organizar toda a casa. Eu estou esperando mais algum tempo para poder dizer o que estou achando da administração de Miguel Coelho. Desejo que ele faça muito por Petrolina porque a última gestão deixou muito a desejar. A população espera muito mais”, afirmou Osinaldo.


Prefeito de Cabrobó diz que união de aliados é fundamental para captar recursos

por Simone Marques 23 de Fevereiro de 2017 às 10:45
categoria: Política

O novo prefeito Marcílio Cavalcanti (PMDB), assumiu recentemente a Prefeitura de Cabrobó a quase três meses e falou do trabalho desenvolvido além do que tem feito para driblar a crise e colocar em ação os seus projetos de campanha.

Marcílio conseguiu angariar muitos aliados mesmo após as eleições, inclusive vários que vieram do grupo do ex-prefeito Auricélio Torres, até mesmo o ex-candidato a vice-prefeito Mailson Novaes e vereadores. Essas grandes alianças têm gerado surpresa dos adversários e insatisfação de aliados que se sentiram desprestigiados.

 

O prefeito se mostrou otimista e que pretende manter essa base, principalmente através de sua base na Câmara de Vereadores com a aprovação de projetos importantes para Cabrobó, garantiu. "Eu fui eleito com a minoria da Câmara e hoje estou através de um entendimento com a maioria. O que for bom para a cidade os vereadores votarão".

Sobre as insatisfações de seus aliados que apoiou a candidatura de Marcílio, ele disse que não passa de ciúme."Meus aliados entendem que eu preciso da maioria, como captaremos recursos se não tivermos a maioria? A população entende isso que as alianças devem ser feitas".

O gestor ainda garantiu que sua administração será feita ouvindo as pessoas e enfrentando os gargalos com determinação.

Outro ponto destacado pelo prefeito é a segurança pública, que será ofertado ao Presidente da Justiça Leopoldo Magalhães onde serão entregues duas casas para fazer um mutirão de segurança em Cabrobó."Estamos com a ideia de fazer o pacto de vida do município e também com o pensamento de implantar uma guarda municipal, mesmo pequena mas pretendemos fazer e faremos um levantamento para instalação de câmeras de segurança".

Apesar não realizar o carnaval de Cabrobó, Marcílio disse que prefere priorizar a saúde. "Não adianta fazer festa e deixar o povo sem atendimento, na administração anterior foi construída uma UPA e foi projetada para 50 mil habitantes e está fechada. O custo é alto, gira em torno de 700 mil e nós vamos abrir essa UPA, estava previsto para março mas agora só em junho. Conversei com os prefeitos de Abaré, Belém do São Francisco, Orocó, Santa Maria da Boa Vista e estamos em união para o enfrentamento de um único problema que é a saúde". 

Além de beneficiar diversos municípios os gestores economizarão com gastos no transporte de pacientes para Petrolina.


Após sete encontros, Câmara de Vereadores não apresentou projeto relevante à cidade

por Redação Nossa Voz 23 de Fevereiro de 2017 às 10:16

A sétima sessão ordinária na Câmara de Vereadores de Petrolina, ocorrida nesta quinta-feira, dia 23, não teve a apresentação – ou votação – de projetos de lei, seja do legislativo ou executivo municipal. Na verdade, desde que voltaram as atividades neste ano, nenhum projeto relevante foi pautado na Casa. Mais uma vez o encontro foi presidido pelo vereador Major Enfermeiro, na ausência de Osório Siqueira.


Senador Fernando Bezerra: “debater e votar as reformas é o caminho para a retomada do crescimento”

por Redação Nossa Voz 23 de Fevereiro de 2017 às 08:35
categoria: Política

O senador Fernando Bezerra Coelho (PSB-PE) subiu à Tribuna do Senado, nesta tarde (22), para defender que o Congresso Nacional não adie mais o debate e a votação das reformas tributária, trabalhista e previdenciária. Na avaliação do líder do PSB na Casa, a tramitação das reformas – somadas às medidas que vêm sendo tomadas pelo governo para a recuperação da economia – é “condição básica” para a recuperação dos empregos e a volta do crescimento sustentável do país.

“Embora haja sinais de recuperação (econômica), não podemos ser tomados por um otimismo exagerado, que nos impeça de ver a necessidade urgente das reformas estruturantes”, afirmou. “A pauta do Congresso Nacional para este ano exigirá de todos nós coragem, espírito público e, sobretudo, disposição para o diálogo”, destacou o senador.

Conforme analisou Fernando Bezerra, a reforma fiscal trará alívio ao peso tributário sobre o setor produtivo, as mudanças na área trabalhista modernizarão as relações de trabalho no país e os ajustes no sistema previdenciário são necessários para se reverter o rombo de R$ 183 bilhões estimados para este ano. “Ainda que tenhamos divergências sobre as origens da crise atual, sabemos todos, senadores e senadoras, que precisamos tomar medidas rápidas e eficazes para a retomada do crescimento”, observou. “As famílias que sofrem com a falta de trabalho não podem mais esperar pelo dia seguinte. Se vacilarmos, a recuperação da economia não acontecerá no ritmo necessário para a garantia do desenvolvimento social”, acrescentou o senador.

Como líder do PSB no Senado, Bezerra Coelho destacou que a legenda “não abrirá mão dos valores” que norteiam o partido: a defesa das políticas sociais e dos direitos da parcela menos favorecida da nossa sociedade. “O PSB tem a convicção de que as reformas são necessárias; mas, trabalhará para que elas favoreçam a todos os brasileiros”, disse. E ressaltou que continuará buscando o consenso: “O que desejo e me proponho a fazer é garantir um debate em que todos os pontos de vista sejam considerados. Vamos dialogar com a sociedade para conhecer de perto as demandas de cada segmento e compreender as transformações necessárias”.

Confira, abaixo, a íntegra do pronunciamento do senador Fernando Bezerra Coelho:

 “Senhor Presidente, senhoras e senhores senadores,

Os últimos anos certamente vão entrar para a história como alguns dos mais duros já vividos pelo povo brasileiro. Enfrentamos uma séria crise política, que culminou no afastamento, por impeachment, da presidente da República. Ao mesmo tempo, experimentamos a maior recessão das últimas décadas. O país perdeu receitas, a nossa economia encolheu e o desemprego já atormenta doze milhões de brasileiros.

Ainda que tenhamos divergências sobre as origens da crise atual, sabemos todos, senadores e senadoras, que precisamos tomar medidas rápidas e eficazes para a retomada do crescimento. As famílias que sofrem com a falta de trabalho não podem mais esperar pelo dia seguinte. Se vacilarmos, a recuperação da economia não acontecerá no ritmo necessário para a garantia do desenvolvimento social.

Neste momento de transição, o presidente Michel Temer tem demonstrado coragem e discernimento para enfrentar os graves problemas do país. Em consequência disso, estamos reconquistando a confiança dos investidores e do setor produtivo. E percebemos os primeiros sinais de mudança das expectativas.

O risco-país e o dólar atingiram o menor nível dos últimos dois anos. A inflação vem caindo de forma acentuada e, já neste ano, deve atingir o centro da meta estabelecida pelo Banco Central. Os indicadores da macroeconomia possibilitaram a redução consistente da taxa de juros, em um movimento que promete ser firme e contínuo. Considerando um cenário realista, o Ministério da Fazenda projeta, para o último trimestre deste ano, um crescimento já de 2% do PIB em relação ao mesmo período do ano passado.

Senhor presidente,

Embora haja sinais de recuperação, não podemos ser tomados por um otimismo exagerado, que nos impeça de ver a necessidade urgente das reformas estruturantes. A pauta do Congresso Nacional para este ano exigirá de todos nós coragem, espírito público e, sobretudo, disposição para o diálogo.

As reformas tributária, trabalhista e previdenciária precisam ser discutidas e votadas. Não é possível adiarmos, mais uma vez, o enfrentamento destes temas. Vejamos o caso da Previdência Social. Só no ano passado, tivemos um déficit de quase 150 bilhões de reais, o maior da história. E o Ministério do Planejamento estima que, este ano, o rombo possa chegar a impressionantes 183 bilhões de reais. Não devemos conviver com estatísticas tão preocupantes como se nada estivesse acontecendo, como se os números da Previdência não pudessem ser discutidos e revistos.

Também é fundamental que modernizemos as relações de trabalho no país, tendo como foco a criação de empregos e a proteção dos trabalhadores, já bastante sacrificados. Uma análise madura e equilibrada de outros modelos existentes no mundo pode nos ajudar a encontrar o caminho ideal para garantir um ambiente de negócios mais competitivo e em equilíbrio com os direitos dos trabalhadores. O que não podemos é ficar imobilizados, com temor de debater a atualização de uma legislação trabalhista que foi concebida setenta anos atrás.

O governo elegeu ainda a Reforma Tributária como prioridade para este ano. O objetivo é tornar a legislação mais simples para diminuirmos a burocracia que trava o crescimento das nossas empresas e a geração de empregos. O último relatório do Banco Mundial sobre o tema mostrou que o Brasil é um dos países no qual os empreendedores mais sofrem para manter a contabilidade em dia.

Entre 190 economias pesquisadas, ocupamos a posição de número 181 no ranking dos melhores sistemas tributários. Aqui, as empresas gastam mais de duas mil horas por ano só para cuidar da burocracia gerada na hora de pagar os impostos. Isso é inadmissível!

Senhor presidente, colegas do Senado,

Em um ano de tantos desafios, coube a mim a honrosa tarefa de assumir a liderança do Partido Socialista Brasileiro no Senado, por indicação dos meus companheiros de bancada. No exercício dessa função, primarei pelo diálogo constante e pelo respeito às opiniões divergentes, como sempre fiz em minha vida pública. Quero motivar os parlamentares do PSB a contribuir com as diversas reformas debatidas pelo Congresso Nacional, certo de que eles colocarão, a serviço do país, a experiência acumulada na vida pública e, sobretudo, a capacidade de compreender o sentimento da população.

Eu gostaria de destacar um princípio que será a bússola do Partido Socialista Brasileiro durante a discussão das reformas: não abriremos mão dos nossos valores, que incluem a defesa das políticas sociais e dos direitos da parcela menos favorecida da nossa sociedade. O PSB tem a convicção de que as reformas são necessárias; mas, trabalhará para que elas favoreçam a todos os brasileiros.              

Como líder, buscarei sempre o consenso, que, na política, é o caminho a ser perseguido de forma incessante. O que desejo e me proponho a fazer é garantir um debate em que todos os pontos de vista sejam considerados. Vamos dialogar com a sociedade para conhecer de perto as demandas de cada segmento e compreender as transformações necessárias.

Não se pode fingir desconhecer a realidade. Estamos mergulhados em uma grave crise e não vamos superá-la sem a mobilização de todos.

Se as medidas econômicas adotadas pelo governo federal começam a dar os primeiros resultados, caberá agora, ao Congresso Nacional, fazer a sua parte, aprimorando e votando as reformas tão necessárias ao país. Essa somatória de decisões administrativas corretas e de uma produção legislativa que atenda ao interesse nacional vai garantir a volta do crescimento sustentável. É a condição básica para que os brasileiros recuperem seus empregos e as novas gerações voltem a sonhar com um país que oferece a todos as melhores oportunidades.

Senhor presidente,         

Eu confio na nossa capacidade de trabalho e diálogo. Com discernimento e coragem, vamos colaborar para que Brasil retome o caminho do desenvolvimento.

Muito obrigado.”


Paulo Câmara recebe nova diretoria da Amupe e avalia demandas dos municípios

por Redação Nossa Voz 23 de Fevereiro de 2017 às 08:31
categoria: Política

O governador Paulo Câmara recebeu, na tarde desta quarta-feira (22.02), no Palácio do Campo das Princesas, integrantes da nova diretoria da Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe). Dos 37 prefeitos que integram a comissão, 22 estiveram presentes no encontro, incluindo o presidente eleito da instituição, o prefeito de Afogados da Ingazeira, José Patriota. Na oportunidade, os gestores apresentaram ao chefe do Executivo estadual demandas municipais como a questão da segurança, do abastecimento hídrico e de obras do Fundo Estadual de Apoio ao Desenvolvimento Municipal (FEM).

"A Amupe tem um trabalho fundamental na articulação e organização dos municípios, sendo um elo entre eles, os poderes governamentais e a sociedade. Nós entendemos a importância da atuação desse conjunto, escutamos com atenção tudo o que foi levantado pelos prefeitos e vamos ajudar naquilo que for possível para construir, cada vez mais, um desenvolvimento sólido em todas as áreas prioritárias", destacou o governador.

Paulo ressaltou ainda que é um compromisso de sua administração oferecer condições para que os municípios tenham, cada vez mais, autonomia financeira. “Vamos estar juntos, colaborando para que os municípios se tornem cada vez mais fortes e independentes, com a nossa ajuda e orientação necessária, mas tendo uma maior autonomia”, pontuou.

O presidente eleito da Amupe, o prefeito José Patriota, avaliou positivamente o encontro e afirmou que atos como esse facilitam discussões democráticas importantes em prol da população. “O governador já nos garantiu o apoio necessário em relação aos recursos do FEM e, agora, vai depender da gestão de cada prefeito fazer as escolhas de tirar os projetos do papel, concluir o que está em obra e fazer a prestação de contas. Então, é uma responsabilidade compartilhada e que contribui diretamente para o bem-estar da sociedade”, salientou. Patriota e toda a diretoria tomam posse no dia 28 de março.

Além do presidente eleito da Amupe, José Patriota, participaram do encontro os seguintes prefeitos:

Luciano Torres (Presidente da Amupe e ex-prefeito de Ingazeira)

Luiz Lima (Águas Belas)

Orlando Silva (Altinho)

Joamy (Araçoiaba)

Madalena Brito (Arcoverde)

Neide Reino (Capoeiras)

Emmanuel Góis (Custódia)

Lino Morais (Ingazeira)

Zinho Torres (Iguaraci)

Mário Ricardo (Igarassu)

Maria da Conceição (João Alfredo)

Marivaldo Andrade (Jaqueira)

João Cruz (Moreilândia)

Ricardo Ramos (Ouricuri)

Osório Filho (Pedra)

Tárcio Torres (Parnamirim)

Mota (Riacho das Almas)

Joãozinho Tenório (São Joaquim do Monte)

Ana Célia (Surubim)

Edilson Taveres (Toritama)

Bruno Japhet (Ferreiros)


Deputado Guilherme Coelho acompanha Ministro da integração e Alckmin em visita a obras da Transposição

por Redação Nossa Voz 23 de Fevereiro de 2017 às 08:29
categoria: Política

Durante toda esta quarta-feira (22/02), o Deputado Federal Guilherme Coelho acompanhou a comitiva organizada pelo Ministro da Integração, Helder Barbalho, e o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, que sobrevoaram obras do Projeto de Integração do Rio São Francisco no Nordeste.

A visita técnica incluiu vistorias a dois trechos da transposição em Pernambuco. O primeiro foi no Reservatório de Copiti, nas imediações do município de Custódia. O segundo foi na Estação de Bombeamento 6 (EBV-6), localizado em Sertânia.

O governador Geraldo Alckmin quis ver de perto o uso das moto-bombas emprestadas pela Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) para o Projeto de Integração do Rio São Francisco, que vai antecipar a chegada das águas do São Francisco aos estados da Paraíba e de Pernambuco.

 

“O governador demonstrou muita sensibilidade e espírito público ao ceder essas bombas utilizadas na Cantareira. Alckmin está de parabéns por fazer com que São Paulo possa, de certa forma, retribuir aos nordestinos o que os nordestinos fizeram e continuam fazendo por São Paulo”.

De acordo com a equipe técnica, as moto-bombas vão garantir um adiantamento de quase 1 mês na chegada das águas às cidades que são castigadas com a falta de água na região, especialmente na Paraíba.


'O futuro a Deus pertence', desconversa Geraldo Alckmin sobre candidatura à presidência

por Redação Nossa Voz 22 de Fevereiro de 2017 às 11:57

Foto: Folha Vitória.

Possível candidato à presidência em 2018, Geraldo Alckmin concedeu entrevista, por telefone, ao programa Nossa Voz, da Grande Rio FM, sobre a doação de equipamentos para o bombeamento de água no nordeste. Ao fazer um panorâma sobre a atual situação política do país, o Governador de São Paulo foi questionado sobre uma possível candidatura à Presidência da República em 2018. Ele, então, limitou-se ao falar sobre o assunto. “Está longe ainda, eu sempre digo que existem dois ansiosos na vida: os políticos e os jornalistas. Agora é suar a camisa, trabalhar bastante e o futuro a Deus pertence”, esquivou-se.

Confira avaliações do Governador de São Paulo sobre outras áreas do cenário político atual:

Avaliação do Governo TemerNós tivemos uma crise muito grave. O Brasil tem uma capacidade de recuperação muito grande, eu vejo com otimismo, esse ano já podemos ter um crescimento da economia com o agronegócio. A grande preocupação deve ser renda e emprego, tem que ser o foco e o objetivo.

Alexandre de Moraes no STF Eu vi de forma positiva por que ele foi o promotor de Justiça membro do Ministério Público, depois foi Secretário de Justiça em São Paulo e Secretário de Segurança Pública. Depois, foi convidado por Temer para o Ministério da Justiça. Acho que ele terá muito a contribuir ao Supremo Tribunal Federal.

Candidatura de Aécio Neves à PresidênciaPesquisa com dois anos de antecedência é o retrato de um momento. Temos que dar um desconto nos resultados. É evidente que o Brasil precisa de um conjunto de reformas, principalmente político: não dá para ter 35 partidos e mais 35 com pedido de registro no STF. O grande recado das urnas foi a falência da política. É preciso reformar e aproximar o representante da população, é preciso ter menos partidos no Brasil. Eu defendo a reforma política.

Gabriela Canário


Governador Alckmin confere funcionamento das bombas da Sabesp usadas na transposição do Rio São Francisco

por Redação Nossa Voz 22 de Fevereiro de 2017 às 09:42
categoria: Política

O governador do estado de São Paulo, Geraldo Alckmin; o Deputado Federal, Guilherme Coelho; e o Ministro da Integração, Helder Barbalho, participam de uma comitiva que vai sobrevoar as obras do Projeto de Integração do Rio São Francisco, no Nordeste, durante esta quarta-feira, dia 22. O objetivo é verificar estações de bombeamento nas cidades de Floresta e Sertânia, no Eixo Leste de Pernambuco.

A comitiva ainda acompanhará, na cidade de Custódia, a operação de motobombas emprestadas pela Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp). Estas bombas ajudaram a acelerar os enchimentos de estruturas do projeto da Transposição. “Vão ser acionadas bombas que vão levar águas mais adiante, fazendo com que São Paulo retribua aos nordestinos por tudo o que fizeram pela cidade”, disse Guilherme Coelho.

Em entrevista exclusiva ao programa Nossa Voz, por telefone, Geraldo Alckmin enfatizou a importância do projeto de transposição do Rio São Francisco e combate à seca no Brasil. “Só quem passou pela seca, como no Cantareira de São Paulo, sabe o que é isso. Estamos mandando 34 carretas de equipamentos que usamos em 2014 para agilizar a chegada da água às regiões que necessitam em Pernambuco e Paraíba. As bombas são transitórias, fazendo que a água chegue 30 dias mais cedo para os usuários”, explicou o Governador de São Paulo, acrescentando que trata-se da chegada de um sistema de superbombas. Com isso, a chegada da água para os Estados de Pernambuco e Paraíba ocorrerá em março deste ano.

Geraldo Alckmin disse ainda que a visita visa a busca de experiências no Nordeste para levar para o estado de São Paulo, principalmente quanto aos recursos hídricos. “Sou um defensor da transposição, entendo que ela é necessária. Nós podemos levar água para inúmeras regiões e garantir segurança hídrica”, finalizou o Governador.

Gabriela Canário