asdasdasdasd

Odacy Amorim desiste da candidatura ao governo e vai pra disputa a Câmara Federal

por Gabriela Canário 18 de Julho de 2018 às 08:24

Como é do conhecimento de todos no PT e na sociedade, acredito bastante no protagonismo e na missão do nosso partido nessas eleições e, sobretudo, no papel do presidente Lula, como candidato preferido da maioria do povo brasileiro, cuja liderança e força tem conseguido derrotar a manipulação e a perseguição política sem precedentes que está sofrendo.



Com essas posições, tenho feito a defesa da candidatura própria do PT ao Governo do Estado e por isso me coloquei à disposição do partido para essa disputa. Além disso, sou defensor da inocência de Lula, do seu direito à liberdade e da sua candidatura vitoriosa à presidente da república. Considero que essa é uma prioridade do povo brasileiro e pernambucano, do PT e do país e, nessa condição, deve orientar o nosso posicionamento partidário em todo o Brasil e, naturalmente, em Pernambuco.



Entendo, ainda, que esse é um momento que demanda unidade do PT de Pernambuco em qualquer das alternativas de táticas eleitorais que ao final for adotada, seja a candidatura própria que sempre defendi, ou seja a aliança que vem sendo tentada pela direção nacional do PT.



Para contribuir com essa unidade, estou retirando a minha pré-candidatura ao Governo do Estado. Em seguida a esse gesto, anuncio que vou, de um lado, me dedicar a disputa de um mandato de Deputado Federal e à defesa do PT e de Lula nessa campanha. De outro lado, vou contribuir com o diálogo interno para construir consensos e pactos no PT-PE, lutando para que eles contemplem - também e com prioridade - à região e o povo sertanejo que tenho o orgulho de representar na minha atuação política e que são a razão da minha militância. 



Faço um gesto concreto acreditando que ele possa estimular a todos os petistas a adotar idêntico posicionamento e, com isso, construir uma unidade sólida e vencer os desafios e disputas que temos pela frente até outubro, bem como para assegurar a vitória que, tenho certeza, teremos na eleição nacional e estadual.


FBC responsabiliza Paulo Câmara por problemas no estado: 'Pernambuco parou'

por Gabriela Canário 17 de Julho de 2018 às 09:53

O Senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE) apoiou a candidatura do atual governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), nas eleições de 2014. Ele, na época, tentava ocupar o mais alto cargo no Palácio Campo das Princesas, mas não foi escolhido por Eduardo Campos, falecido em agosto do mesmo ano. A saída foi manter a fidelidade partidária – na época FBC ainda pertencia ao PSB – o que não se estendeu após as eleições.

Mesmo quando pertenciam ao mesmo partido, Fernando Bezerra Coelho e Paulo Câmara traçaram uma rivalidade política. “No início tentei apoiar, mas desde o primeiro dia não deixaram eu participar. Eu sinto que isso é um ciclo longo de 12 anos. Pernambuco parou, os investimentos diminuíram e os problemas aumentaram”, pontuou o Senador que, agora, apoia a pré-candidatura do também Senador Armando Monteiro (PTB) para o Governo de Pernambuco.

O pai do prefeito Miguel Coelho e do Deputado Federal Fernando Filho teceu, em entrevista ao Nossa Voz, várias críticas à administração de Paulo Câmara, enfatizando a crise financeira que todo o país enfrenta. Entretanto, para FBC, grande parte dos estados estão sabendo se sobresair na situação e que Pernambuco não está nesta lista. “Pernambuco vem perdendo terreno e está com dificuldade de honrar os compromissos”, explicou.

O político mencionou o caso do Hospital Dom Malan, gerido pelo IMIP, que “está sendo criticado pelas dificuldades que o estado de Pernambuco enfrenta”, pontuou. “Onde você anda, os terceirizados estão há meses sem receber salário”, acrescentou FBC sobre as dificuldades enfrentadas pelo estado. Para ele, Paulo Câmara nunca se preocupou em administrar bem o estado, enfatizando que, ele, como Senador da República, nunca recebeu um pedido oficial do governador por verbas para investimentos dentro de Pernambuco.

“O atual governo não cuidou de planejar, da gestão. Eu sou Senador de Pernambuco eleito na mesma chapa de Paulo Câmara e eu não tenho um ofício no meu gabinete do governador de Pernambuco pedindo um réis. Então, você tem que se mexer. Tem que buscar dinheiro, movimentar a economia de Pernambuco”, disse. Para Fernando Bezerra, Paulo Câmara é o culpado por toda a situação. “A responsabilidade é dele. Ele é nosso governador, foi eleito para esse desafio. Pernambuco perdeu o protagonismo e perdeu a oportunidade de trazer recursos para cá”, finalizou o Senador.


Santa Maria: Prefeito Humberto Mendes (PTB) continua sem definir seu apoio para o governo do estado B

por Gabriela Canário 16 de Julho de 2018 às 16:49

Fim de semana de festa em Santa Maria da Boa Vista, mas também palco para dezenas de políticos visitarem a cidade e estreitar as conversas em torno das eleições deste ano. Assim foi principalmente com o Prefeito da cidade Humberto Mendes (PTB), que conversou de pé de ouvido com o Senador e pré-candidato ao governo estadual Armando Monteiro (PTB). 

Armando esteve visitando a cidade e conversou reservadamente com Mendes, mas o resultado dessa conversa ainda não foi revelado pelo boavistano. 

A reportagem do Nossa Voz conversou com o senador para saber se realmente o assunto teria sido resolvido, mas Monteiro apenas demostrou otimismo com apoio do colega de partido, "conversei com o prefeito Humberto e tenho uma expectativa muito tranquila de que ele marchará conosco", disse o pré-candidato. 

Já quando conversamos com o Humberto ele afirmou que a conversa foi produtiva e destacou que faz parte do PTB, mas que em breve tomará sua decisão, "recebemos o senador Armando Monteiro, conversamos bastante, uma conversa só entre eu e ele, e o senador me deixou a vontade, me deu tempo para poder pensar, mas quero frisar que sou do PTB e estamos quase decidindo", explicou Mendes. 

Por outro lado, quem também recebeu a visita do senador foi o grupo de oposição ao prefeito, que já decidiu que irá caminhar com o grupo de Armando.  

O ex-prefeito Leandro Duarte (PSDB) aproveitou a dúvida do gestor boavistano para alfinetar o prefeito diante das declarações do deputado Fernando Monteiro que chegou a declarar que o apoio de Humberto será para Câmara, "recebemos o grupo junto com minha família e tivemos uma conversa muito boa, mas lembro que o deputado do prefeito disse que ele ia apoiar Paulo Câmara, como eu não ando levando puxão de orelha nem breque de ninguém pela impressa, a nossa conversar foi boa e acreditamos que vamos unir forçar", alfinetou Leandro. 


Gonzaga Patriota comenta relação do PSB na política regional e afirma interesse pelo executivo de Petrolina

por Gabriela Canário 16 de Julho de 2018 às 15:02

Com nove mandatos como Deputado Federal, Gonzaga Patriota (PSB-PE), tenta uma nove reeleição e se diz confiante. Entretanto, neste ano, ele enfrentará algumas dificuldades relacionadas ao apoio dos municípios, devido à candidatura ao Congresso Nacional do filho mais velho do ex-governador Eduardo Campos (PSB), João Campos (PSB), tendo, inclusive, o total apoio de Paulo Câmara.

Quanto a isso, ele se diz tranquilo. “Se fala por ai que alguns municípios não vão me apoiar por causa da candidatura de João Campos, mas em relação a isso, outros municípios aparecem também”, explicou Gonzaga destrinchando todo o estado em localizações onde tem atuado veemente. A candidatura de João Campos parece soar com naturalidade para Patriota que tece elogios ao jovem e demonstra simpatia pelo ingresso na política. “Já fiz foi dizer a João Campos que se ele tiver um voto em Petrolina, é meu”, brincou.

O apoio de Paulo Câmara, segundo Patriota, é fundamental, mas, visando a reeleição para governador, não possuirá tempo ou dedicação para investir nas campanhas de outros. “Paulo Câmara tem muito o que fazer, não tá procurando voto para João não. Ali [João] é só ele colocar a cara, até porque ele é mais bonito do que eu”, disse o político sobre a imagem do filho de Eduardo Campos diante do cenário pernambucano, refletindo-se no trabalho do pai, morto em agosto de 2014 em um acidente aéreo.

Fidelidade partidária

Presidente do Comitê Provisório do PSB em Petrolina, Gonzaga Patriota avaliou, de maneira tímida, o posicionamento do Prefeito Miguel Coelho, que ainda pertence ao partido, nas eleições deste ano. O Deputado diz prezar pela fidelidade partidária – que trata da obrigação de que um político deve ter para com seu partido. “Eu acho que o Prefeito Miguel Coelho, como está no partido, deveria apoiar os candidatos do PSB”, avaliou.

Diante de todo este cenário, ele adianta a pretensão em assumir o executivo municipal em 2020. Para isso, ele precisa se manter na presidência do partido, não perdendo espaço, mais uma vez, para Miguel Coelho. “Eu só estou com medo que ele me tome a presidência de novo porque eu quero ser prefeito do município daqui a dois anos. Eu converso muito com Miguel, mas não falamos sobre isso. Está na Lei, mas se tem uma afetividade maior, eu acho que isso é coisa pode ser resolvida por ele mesmo”, finalizou.


Pré-candidato ao senado de PE, Mendonça Filho taxa como 'oportunismo eleitoral' possível aliança entre PSB e PT

por Gabriela Canário 13 de Julho de 2018 às 18:24

Em breve passagem por Petrolina, o Deputado Federal e pré-candidato ao Senado de Pernambuco, Mendonça Filho (DEM) conversou com a reportagem do Nossa Voz sobre a agenda dele, os reflexos da má avaliação do Governo Temer nesse cenário e ainda comentou sobre uma possível aliança entre o PSB, de Paulo Câmara, e o Partido dos Trabalhadores.

De acordo com o político, ele tem conciliado o lançamento da pré-candidatura com os trabalhos sem causar prejuízos na Câmara Federal. “Não tive nenhuma dificuldade em participar das votações principais da Câmara e agora, na semana que vem, com o recesso parlamentar, a gente vai ter mais liberdade para a pré-campanha”, pontuou. Ele acrescentou que a prioridade, no momento, é debater com a população planos que possam trazer melhorias para o estado de Pernambuco.

Sobre uma pesquisa divulgada pelo Datafolha na semana passada, apontando 82% de reprovação popular ao Governo Temer, a nossa redação questionou se ele, como ex-ministro da educação do peemedebista, não tinha medo dos reflexos que isso poderia causar nos seus planos políticos. Ele disse acreditar que o trabalho dele será reconhecido independente de governo e afirmou que o Presidente Michel Temer não terá o seu voto, já que o DEM é quem fará a indicação. “Meu trabalho foi muito aprovado, fizemos muita coisa no Ministério da Educação e há muito reconhecimento”, frisou Mendonça.

Mendonça comentou ainda sobre uma possível aliança entre o Partido Socialista Brasileiro e o PT em Pernambuco, o que ele taxou como incoerente visto que, segundo ele, o PSB articulou para tirar o Partido dos Trabalhadores do poder. “Acho incoerente. O PSB ajudou para tirar o PT do poder. Sinceramente, eu não entendo como um partido que criticava tanto o PSB querer se juntar para viabilizar um novo caminho político em Pernambuco. Podemos sintetizar que isso é oportunismo eleitoral”, concluiu.


Governador Paulo Câmara garante apoio à candidatura de Lula

por Gabriela Canário 13 de Julho de 2018 às 08:54

Depois de conversar, nesta quinta-feira (12), por quase uma hora com a presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, no Palácio do Campos das Princesas, o governador Paulo Câmara (PSB) reforçou o desejo de apoiar formalmente a candidatura do ex-presidente Lula (PT) na eleição presidencial. Ficou claro, inclusive, que a parceria no âmbito nacional se dará mesmo que o acordo entre PT/PSB não se repita em Pernambuco na campanha dele para reeleição. Durante entrevista, Câmara fez questão de frisar que a decisão em prol de Lula já foi tomada pela direção estadual do PSB.

“A direção estadual (do PSB) já se manifestou sobre a aliança com o PT em favor da candidatura do presidente Lula. É isso que estamos defendendo internamente no partido (direção nacional). Vamos continuar a defender e fazer todos os esforços para que essa aliança se concretize”, assegurou o governando, argumentando mais uma vez que “o pernambucano tem uma gratidão, uma solidariedade ao presidente Lula por tudo que ele fez pelo estado”.

Ele destacou, ainda, que o PSB é um “partido democrático” e que nesta eleição terá candidaturas majoritárias em vários estados. “Temos que respeitar tudo isso, mas no âmbito da nossa direção estadual e das nossas discussões nacionais, levaremos ao congresso (da sigla) esse posicionamento de Pernambuco em favor da aliança formal com o PT”. De acordo com Paulo Câmara, estados do Nordeste, do Centro-Oeste e Sudeste também defendem a tese de fechar parceria com os petistas e que Pernambuco, por ser a ala mais forte no PSB, não estaria isolado nessa defesa.

Ao falar com os jornalistas, Gleisi Hoffamann disse, inicialmente, que veio a Pernambuco para agradecer o posicionamento do governador que, na visão dela, “tem sido firme” na defesa de Lula. “Tanto da prisão do presidente, como no episódio do último domingo em que tivemos uma ação totalmente fora do devido processo legal e de perseguição ao presidente Lula. O governador foi um dos governadores que assinou uma nota se posicionando, além da posição firme que ele tem tido em relação a esse apoio político ao presidente em Pernambuco”, ressaltou a petista.

Sobre a pré-candidatura da vereadora do Recife Marília Arraes ao governo do estado, a líder petista reconheceu a legitimidade do pleito e o peso da base que quer levar o projeto adiante, mas alegou que o pessoal (defensores de Marília) “entende a estratégia nacional e sabe que o que muda a vida do povo efetivamente é um projeto nacional de mudança das bases na condução da política brasileira”, afirmou a senadora.

Gleisi Hoffmann também reafirmou a posição do PT de consolidar a parceria nacional com o PSB. “Achamos importante formar um campo de centro esquerda no país que possa lutar junto com os brasileiros. O que estamos vivendo no nosso país hoje é uma tragédia para o nosso povo”, justificou a petista. Sobre a possibilidade do PSB liberar os diretórios estaduais na eleição presidencial, a petista frisou que a decisão do PT é de uma aliança nacional. “Temos conversado com o nosso partido internamente a respeito disso. Sabemos das questões locais. O governador também tem conversado com o PSB. Acho que devemos fazer um esforço para formatar um campo firme para resgatar o Brasil”, analisou.

Em relação ao prazo para fechar a aliança com o PSB, Hoffmann acredita que tudo dever ser resolvido até o dia 5 de agosto, por conta do início das convenções partidárias. “Vamos trabalhar com bastante calma, dedicação e tranquilidade nesse processo para que a gente possa construir uma aliança que seja realmente propositiva”, previu. A senadora veio a Pernambuco acompanhada dos deputados federais Paulo Teixeira (PT/SP) e Márcio Macedo (PT/SE), vice-presidente nacional do partido.


Humberto Mendes vive encruzilhada entre PT e PTB: 'não é fácil essa decisão'

por Gabriela Canário 12 de Julho de 2018 às 10:37

O prefeito de Santa Maria da Boa Vista, Humberto Mendes (PTB), vive um momento de indecisão quanto ao apoio que vai prestar nas eleições de 2018. É o que o político pertence ao mesmo partido - o PTB – do senador Armando Monteiro, que é pré-candidato ao Governo de Pernambuco, integrando o grupo de oposição a Paulo Câmara. “Existe uma questão muito local. Armando está aliado com pessoas que foram contra minha candidatura em 2016 e tenho certeza que será contra na minha reeleição. Claro que isso não é empecilho e eu prezo muito pela fidelidade partidária”, explicou.

Se de um lado, existe a pressão da fidelidade partidária, do outro, Humberto enfrenta o histórico político que o alavancou até o executivo de Santa Maria da Boa Vista com o apoio do Partido dos Trabalhadores, inclusive do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. “Tenho uma simpatia muito grande pelo Partido dos Trabalhadores. Eu procuro agradecer pelo que fazem por mim e o PT fez muito por mim, isso pesa muito na minha decisão”, disse Humberto.

A decisão está adiada e pode ser anunciada apenas próximo às convenções. Enquanto isso, o prefeito conversa com os grupos e analisa o futuro político, tendo em vista que dentro de dois anos ele almeja a reeleição. “Tenho uma conversa com o senador na semana que vem, mas devo decidi perto das convenções. Não é fácil essa decisão. Nada está descartado”, acrescentou.

Além disso, um outro peso: Humberto apoia o Deputado Federal Fernando Monteiro (PP) que, inclusive, descartou a hipótese do chefe do executivo de Santa Maria apoiar Armando Monteiro Neto nas eleições de 2018 - um apoio considerado importante no Sertão do São Francisco. “Voto com o Deputado Fernando Monteiro que é ligado a Paulo Câmara. Tem que pesar muito porque temos que pensar no futuro político”, explicou.


Gabriel Menezes critica administração municipal e diz que prefeito criou cidade virtual: 'Miguelândia'

por Gabriela Canário 10 de Julho de 2018 às 11:09

No mundo encantado de Miguelândia tudo está à mil maravilhas: os transportes públicos são de qualidade, beneficiando toda a população. O Sistema de Saúde Público também funciona com eficácia e as pessoas não precisam atravessar noites em filas para conseguir uma consulta médica ou a realização de um exame. O local foi assim descrito pelo vereador Gabriel Menezes (PSL), como sendo a cidade criada pelo Prefeito de Petrolina, Miguel Coelho, nas redes sociais, para ocultar o que realmente vem acontecendo no município.

Ele, que é oposicionista ao governo Novo Tempo na Câmara de Vereadores, disse que o que o prefeito mostra através das páginas dele na internet não correspondem com a realidade do município. “Ele foi eleito prefeito de Petrolina, mas ele criou a Miguelândia, que é uma cidade virtual nas suas redes sociais onde tudo funciona. Onde já existe um transporte público descente, que tá em processo de licitação, fazendo audiência pública e não sai. As pessoas continuam andando nessa frota sucateada e insuficiente. A buraqueira, a briga com a Compesa, as pessoas madrugando nas unidades de saúde de Petrolina”, criticou.

Prestes a se afastar do parlamento de Petrolina para se dedicar à pré-candidatura como Deputado Estadual, Gabriel Menezes, que perdeu o apoio do padrinho político Julio Lóssio, nega qualquer possibilidade de aliar-se ao grupo do Senador Fernando Bezerra Coelho. “Eu não tenho e nem quero acordo ou qualquer tipo de aproximação com o grupo de FBC. Eu faço questão de manter distância”, alegou.


Gabriel Menezes reafirma afastamento da Câmara para dedicar-se à pré-candidatura na Alepe

por Gabriela Canário 10 de Julho de 2018 às 10:53

O vereador Gabriel Menezes (PSL) já tem data para se afastar do parlamento de Petrolina. No dia 02 de agosto, quando a Câmara Municipal volta do recesso Legislativo, o político se dedicará, por três meses, à pré-candidatura dele a Deputado Estadual por Pernambuco. A decisão foi tomada, como ele explica, por questões éticas, tendo em vista que, juridicamente, não há necessidade do afastamento.

Ele diz que o real motivo seria o combate a corrupção, não utilizando o dinheiro público para financiar a campanha. “Por ser coerente com o que digo e com as minhas ideias não acho justo disputar tendo a campanha custeada com o alto salário que recebo como vereador de Petrolina”. A decisão surgiu logo após o ex-prefeito de Petrolina, Julio Lossio, lançar o nome da esposa, Andrea Lóssio, para disputar uma vaga na Alepe. O apoio, anteriormente, seria a Gabriel Menezes, que diz não guardar rancor do padrinho político. “Foi um afastamento natural. Ele conta com o meu respeito e gratidão, mas está superado”.

Em desacordo com informações de bastidores de que o vereador estaria lançando a pré-candidatura para atingir a família de Julio Lossio e, para isso, ele estaria inclusive contando com o apoio do grupo do senador Fernando Bezerra Coelho, Gabriel nega e enfatiza que existe possibilidade de uma união com os Coelhos. “Eu não tenho e nem quero acordo ou qualquer tipo de aproximação com o grupo de FBC. Eu faço questão de manter distância”, alegou.

Até o momento, Petrolina apresenta mais de 10 nomes que almejam uma vaga na Assembleia Legislativa de Pernambuco. Sobre o alto número de pessoas que estão sendo pré-candidatos, inclusive novatos, Gabriel Menezes disse admirar a coragem de todos e que a cidade necessita de mais representações políticas. “Eu acho que a gente mesmo é renovar. Temos uma participação de Petrolina muito tímida dentro do parlamento. Um apenas bate palma para o desgoverno de Paulo Câmara e o outro a gente nem vê, infelizmente, e está aí tentando apresentar o nome da esposa”, disse, referindo-se aos deputados estaduais Lucas Ramos (PSB) e Odacy Amorim (PT), respectivamente. “É uma atuação muito tímida. Quem tem cobrado, enfrentado o governador? Porque essas populações ainda são tratadas com tanto descaso?”, questionou.


Após morte de Uchoa, governador cancela agenda em Petrolina

por Gabriela Canário 3 de Julho de 2018 às 08:36

Após o anúncio da morte do presidente da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), Guilherme Uchoa (PSC), 71 anos, na manhã desta terça-feira (3), o governador Paulo Câmara (PSB) cancelou a agenda que cumpriria em Petrolina, no Sertão do Estado.

O deputado estadual estava internado no Hospital Português e morreu por volta das 4h da madrugada de hoje após um edema pulmonar seguido de parada cardíaca.

O chefe do Executivo estadual iria realizar na cidade, que é base política de um dos seus opositores políticos o senador Fernando Bezerra Coelho (MDB), mais uma edição da Caravana da Educação, que inclui Pactuação de Metas 2018, e inaugurar a Escola de Referência em Ensino Médio Maria Wilza Barros de Miranda.

Além disso, Paulo Câmara também inauguraria o 2º Batalhão Integrado Especializado (2º BIEsp), criado para atender a Área Integrada de Segurança 26 (AIS-26), composta pelos municípios de Afrânio, Petrolina e Dormentes, além de Lagoa Grande e Santa Maria da Boa Vista. As informações são do site Leia Já.