asdasdasdasd

Com apoio de Manuela dÁvila, Socorro Lacerda anuncia pré-candidatura à ALEPE: 'estamos prontas'

por Gabriela Canário 8 de Junho de 2018 às 10:54

As mulheres prometem se destacarem ainda mais nas eleições que se aproximam. Em Petrolina, mais um nome feminino deve entrar na disputa por uma vaga na Assembleia Legislativa de Pernambuco - a Alepe. Trata-se da funcionária pública, Socorro Lacerda, que é integrante da União Brasileira de Mulheres e filiada ao Partido Comunista do Brasil – sigla com um número considerado satisfatório de integrantes de vozes femininas em atuação.

Com o apoio da pré-candidata à presidência da República, Manuela dÁvila (PC do B), que estará em Petrolina nesta semana cumprindo agenda, Socorro Lacerda acredita que muito pode ser feito pelo Brasil, principalmente relacionado às crises financeira e de combustíveis. Ela se diz otimista e confiante com a decisão do partido. “Essa é uma tarefa que muito me honra. Estou animada. Consideramos nossas ideias bem formuladas para se sair da crise brasileira, como o preço da gasolina depois de tantos reajustes apenas neste ano; bem como o desemprego, principalmente entre os jovens”, destacou.

A pré-candidata explica que o partido ao qual faz parte tem uma história de luta e diz que lutará pelos direitos femininos. Lacerda avalia que 50% das mulheres que estão voltando da licença-maternidade não são reabsorvidas pelo mercado de trabalho. “A nossa história se confundo com as histórias de lutas e guerrilhas do povo brasileiro e podemos sair dessa crise. Esse projeto de nação tem que ser para todos. Queremos a inclusão da mulher no mercado de trabalho”, explicou.

Um desafio, ela acredita, é reestabelecer na população a confiança pelos políticos que governam o país, como também a segurança de ir às urnas exercer o direito ao voto. “Há um caos. Um desgoverno no país. Mas isso tem jeito. As pessoas estão compreendendo que os políticos são iguais. Mas temos pessoas que se diferenciam. Se elas não votarem, vão ser eleitas as piores pessoas para representarem a gente. Estamos prontas”, acredita.