asdasdasdasd

Maria Elena comenta briga pela Comissão de Diretos Humanos e pede mais atenção governo estadual para mulheres

por Redação Nossa Voz 20 de Fevereiro de 2019 às 07:58

Em entrevista ao programa Nossa Voz desta quarta-feira (20), a vereadora Maria Elena (PRTB) comentou sobre a reivindicação do vereador Osinaldo Souza (PTB) que quer assumir a presidência da Comissão de Direitos Humanos na Câmara de Vereadores de Petrolina-PE. De acordo com Maria Elena, antes de viajar o vereador manifestou a sua vontade. "Ele deixou dito que queria a presidencia da Comissão de Direitos Humanos. (...) Ele vem de uma bancada de três partidos, mas eles não se articularam bem".

Ainda segundo a vereadora do PRTB, apesar de ter votado em Osinaldo Souza, o nome de Gilmar Santos (PT) para assumir o cargo foi bem aceito entre os membros da comissão. "A gente sabe que a comissão passou esses últimos dois anos trabalhando de uma forma, digamos assim, vagarosa em relação às demandas que chegavam. (...) E diante da vontade de Gilmar, a gente sabendo do afinco dele, da vontade de fazer, porque tem muitas pautas desde o ano passado. Pautas inclusive que não foram resolvidas no seio da comissão (...) porque não houve um empenho dos integrantes. Essas coisas todas levaram o nome de Gilmar a ficar forte. O próprio líder do partido dele (Osinaldo) disse que seria uma incoerência o nome de Gilmar não ser avaliado", pontuou Maria Elena.

Na opinião da vereadora, não vale a pena brigar para reorganizar a comissão. "Se ele (Osinaldo) tiver direito e os líderes aceitarem... mas eu não estimulo ele a fazer isso. Não estimulo porque o voto já foi dado. Eu até pedi a ele ontem pra deixar isso pra lá", contou.

Diferente da maioria dos vereadores, Maria Elena disse que não enfrentou problemas para garantir espaços nas comissões. "Sobre a Comissão das Mulheres existia uma brincadeira velada. 'Deixa com Maria Elena, deixa com Cristina...' Mas aí eles se tocaram porque nós não podemos admitir que os homens tratem as lutas das mulheres como uma coisa menor", declarou a vereadora.

E por falar em luta pelos direitos das mulheres, a vereadora conseguiu aprovar um requerimento para promover uma audiência pública e discutir como asseguar que as leis protetivas (Lei Maria da Penha e Lei do Feminicídio) cheguem a todas as mulheres no município. "A gente sabe que essa violência vem ganhando uma notoriedade, mas não amenizou. Mesmo a grande mídia reservando espaço pra noticiar isso, as mulheres da periferia têm dificuldades. (...) Se os agentes suavizam na ponta, o crime não vai ser julgado com o peso que precisa ter", explicou. 

Maria Elena também teceu críticas ao Governo do Pernambuco. "O governador não inaugura mais delegacias, não tá acontecendo plantão 24 horas na gestão de Paulo Câmara. Cadê o Hospital da Mulher? Nós temos severas queixas e muitos pontos pra cobrar do Governo do Estado", reclamou.

Segurança da Mulher em Petrolina

A vereadora Maria Elena destacou na entrevista ao Nossa Voz o trabalho da Vara da Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher em Petrolina, que tem como juiz titular Sydnei Alves Daniel. Segundo ela, está tendo mais celeridade na tramitação processual da grande demanda de crimes contra as mulheres na cidade. "São sendo expedidas 12 medidas protetivas por semana em Petrolina. Esse é um número muito expressivo", comemorou.  

A vereadora também cobrou que prefeitura coloque nas ruas a Patrulha Maria da Penha. "A Patrulha não tá circulando. Eu conversei com o secretário Silvestre e ele disse que os Guardas Municipais estão em treinamento para fazer as abordagens. Ele me garantiu que, até março, esse treinamento vai ter terminado e a viatura vai estar nas ruas", informou.

Foto: Milena Pacheco