asdasdasdasd

Prefeitura busca reversão de terreno para Call Center que nunca saiu do papel

por Karine Paixão 8 de Junho de 2018 às 10:50

A posse dos membros da associação de moradores do bairro Caminho do Sol permeou os discursos dos vereadores na sessão desta quinta-feira por causa de uma das principais reivindicações dessa comunidade: a solução para o terreno doado pela gestão Julio Lóssio (Rede) a uma empresa de Call Center para a construção de uma unidade em Petrolina que geraria mais de cinco mil empregos. Não há sinais de edificação no local e o terreno tem abrigado usuários de drogas e a criminalidade que atua naquela região.

Diante da situação, o vereador Ruy Wanderley (PSC) relembrou um requerimento da sua autoria que solicitava à gestão a devolução daquele local para o patrimônio municipal. “Todos nós vereadores, e eu tive a oportunidade de estudar lá, toda Petrolina conhece o Colégio Motiva. Aquela área está limpa, porque tiraram os restos de construção que tinha, mas a população pede que aquela área seja revertida o município e o prefeito Miguel Coelho possa fazer lá alguns equipamentos públicos. Nós entramos com esse requerimento pedindo a reversão daquela área porque ela é grande e cabe um posto de saúde, uma quadra ou academia da cidade ou associação de moradores para aquela comunidade que não tem a atenção devida por parte do poder público”, cobrou o ex-líder do governo. 

Tal proposição foi apoiada por Ibamar Fernandes (PRTB), que relembrou sua participação na aprovação da doação do terreno para a empresa de Call Center. “Nós temos uma área nobre no centro daquela comunidade e ela está lá ociosa onde a própria Câmara de Vereadores fez uma doação para a empresa que construiria um call center. Infelizmente essa empresa não foi instalada em Petrolina e o terreno lá está servindo de esconderijo para marginais, ladrão e etc, fazendo usos indevidos. Inclusive eu votei para a doação do terreno para aquela empresa acreditando que iria ser instalado para gerar renda e emprego”. 

Para Ronaldo Silva (PSDB), que ao discursar na tribuna fez um resgate de todo trâmite adotado até a doação do terreno, o local deveria ser mantido em posse da empresa de Call Center.  “Eu fui para Campina Grande, João Pessoa, estive em outras cidades do Brasil vendo a empresa chamada AeC. Tive o prazer da companhia da vereadora Cristina Costa, o vereador Elias Jardim, o vereador Ibamar e o vereador Pedro Felippe. Não teve o interesse do poder público, na época do prefeito Júlio Lóssio, porque se ele quisesse, como gestor, tinha adquirido essa empresa para Petrolina para gerar emprego e renda para os nossos jovens”. 

Para isso, o parlamentar solicitou que o prefeito buscasse os empresários responsáveis para a concretização do empreendimento. “O tempo foi passando e agora eu soube que a Procuradoria do Município mandou procurar o projeto para reverter novamente o terreno para o município. Eu queria que a gente pudesse convencer o prefeito Miguel Coelho para não deixar esse sonho acabar, que possa trazer novamente para Petrolina. Não vamos deixar reverter esse terreno novamente para a prefeitura”, solicitou.