asdasdasdasd

'Sonho em trabalhar com um diretor pernambucano', diz Drica Moraes, homenageada do 23° Cine PE

por Milena Pacheco 15 de Julho de 2019 às 09:21
categoria: Cinema

Foto: Drica Moraes/Divulgação

A 23ª edição do Cine PE- Festival do Audiovisual, de 29 de julho e 4 de agosto no Cinema São Luiz, divulgou programação que pode ser conferida no www.festivalcinepe.com.br. Também adiantou a personalidade homenageada: a atriz Drica Moraes. Com 50 anos, sendo 36 de carreira, a carioca tem presenças notáveis na TV, no teatro e no cinema. “É uma atriz visceral. Ela vai da comédia ao suspense com maestria, e o festival entende que essa força criativa que ela carrega ao longo da carreira deve ser exaltada”, disse Sandra Bertini, diretora do Cine PE. Drica receberá o troféu Calunga de Ouro em agosto.

Adriana Moraes Rego Reis apareceu numa produção audiovisual pela primeira vez no episódio O sequestro de Lauro Costa, da extinta série Tele tema (1986), na Globo. Desde então, foram inúmeros personagens marcantes, incluindo a vilã Violante Cabral, de Xica da Silva (1996), e Marcela de Almeida, em O cravo e a rosa (2000). No cinema, fez “bem menos trabalhos do que gostaria”, como revelou ao Viver. Os mais recentes, que tiveram apelo comercial, foram em Bruna Surfistinha (2011) e Getúlio (2014). Em 2018, compôs os elencos de O banquete (2018), da Daniela Thomas, e Rasga coração (2018), do Jorge Furtado, ambos de um circuito mais alternativo.

Drica está na telinha como a infectologista Vera Torres na série global Sob pressão, que está na terceira temporada. O enredo do projeto, inovador no Brasil por ser lançado primeiro no streaming e mostra o cotidiano de um hospital público em São Paulo. (Fonte: diariodepernambuco/viver/Foto: Foto: Drica Moraes/Divulgação)