asdasdasdasd

A bandeira tarifária amarela tem alta de 50% na conta de energia

por Milena Pacheco 22 de Maio de 2019 às 10:35
categoria: Economia

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou nesta terça-feira (21) o aumento das bandeiras tarifárias amarela e da bandeira tarifária vermelha, nos patamares 1 e 2.

O maior reajuste ocorreu na bandeira amarela, que passou de R$ 1 a R$ 1,50 para cada 100 quilowatts-hora (kWh) – uma alta de 50%. O patamar da bandeira vermelha 1 passou de R$ 3 para R$ 4 a cada 100 kWh, alta de 33,3%, e o patamar 2 da bandeira vermelha passou de R$ 5 para R$ 6 por 100 kWh consumidos, alta de 20%.

(Foto: Reprodução/ Internet)

O reajuste servirá para adequar o valor do custo extra a ser cobrado dos consumidores em períodos em que a produção de energia ficar mais cara. O objetivo é que a arrecadação com as bandeiras fique o mais próximo possível do valor extra gasto com a geração de energia.

Segundo o diretor-geral da Aneel, André Pepitone, o reajuste evitará que a conta da bandeira tarifária fique deficitária em 2019. Em 2017, a conta da bandeira fechou com um déficit de R$ 4,4 bilhões e em 2018 o déficit foi de cerca de R$ 500 milhões. Esses déficits foram incluídos nos reajustes tarifários. (Com informações: G1/Globo)


Petrolina é a cidade que mais gera emprego no interior de Pernambuco

por Redação Nossa Voz 26 de Março de 2019 às 12:26
categoria: Economia

Na contramão de Pernambuco (que teve o pior desempenho entre os estados do Brasil), Petrolina foi uma das poucas cidades da região com saldo positivo na geração de emprego em fevereiro de 2019. O município sertanejo foi campeão no interior e o terceiro que mais abriu vagas de trabalho nesse período, 2.200, atrás apenas do Recife e Jaboatão, cujas populações são superiores. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), estudo produzido pelo Ministério da Economia e foram divulgados nesta segunda-feira (25).

A cidade sertaneja teve saldo geral positivo em fevereiro de 442 empregos, resultado obtido quando se subtrai o número contratações (2.200) das demissões (1.758). O quantitativo para o prefeito Miguel Coelho ainda não é o ideal, mas sinaliza que Petrolina consegue produzir mais que a média no Estado e tem uma perspectiva de crescimento para os próximos meses. “Nossa cidade foi a única do interior que obteve um saldo positivo relevante, quatro vezes superior à segunda. Isso num cenário estadual muito negativo, mostrando que nossa cidade segue resistindo e crescendo”, explica.



A explicação do prefeito se ampara nos dados gerais de Pernambuco. O Estado teve o pior desempenho no País, com um saldo negativo em fevereiro de 12.396 demissões. O cenário nacional, contudo, apresenta perspectiva positiva, visto que o Brasil gerou 1,4 milhão de empregos e saldo positivo de 173 mil, no mês passado, obtendo o melhor desempenho desde 2014. (Ascom)


Carne e leite foram os únicos alimentos que não tiveram aumento em fevereiro em Juazeiro e Petrolina

por Redação Nossa Voz 14 de Março de 2019 às 09:02
categoria: Economia

O Índice da Cesta Básica, realizado pelo colegiado do curso de Economia da Facape, apresentou inflação de 5,20% em Juazeiro - BA e de 7,11%, em Petrolina - PE na comparação do mês de janeiro com fevereiro de 2019. Considerando as informações das duas cidades, a inflação geral no período foi de 6,14%. 

Isso indica que um trabalhador do Vale do São Francisco que recebeu um salário mínimo de R$ 998,00, gastou 32,2% da renda com a compra de produtos da cesta básica, restando R$ 676,33 para gastar com as demais despesas.

Com exceção da carne e do leite integral, todos os demais produtos aumentaram no período de análise. O feijão carioca e a banana, em Petrolina, e o feijão e o tomate, em Juazeiro, tiveram grande contribuição para o aumento do custo da cesta básica nas duas cidades. A redução da área plantada de feijão está fazendo diminuir a oferta e é por isso que os preços têm aumentado. Além disso, excesso de chuvas levou à redução da qualidade, contribuindo também para menor oferta. 

Por conta desses fatores, no mês de fevereiro o custo da cesta básica foi de R$ 325,16 em Juazeiro e R$ 318,17 em Petrolina. (foto: Extra Online)


Prazo para entrega de declaração do IR começa amanhã

por Redação Nossa Voz 6 de Março de 2019 às 07:35
categoria: Economia

A entrega da declaração do Imposto de Renda 2019 (ano-base 2018) começa nesta amanhã (7). O contribuinte que fizer o envio com antecedência tem vantagens em relação aos que preferem deixar para a última hora.

Neste ano, o prazo para entrega da declaração é dia 30 abril.O programa está disponível para download no site da Receita. 

Este ano, a Secretaria da Receita Federal espera receber 30,5 milhões de declarações, 1,23 milhão de contribuintes a mais em relação a 2018.


Para especialista, argumentos para Reforma da Previdência se sustentam em dados “nebulosos”

por Karine Paixão 26 de Fevereiro de 2019 às 12:13
categoria: Economia

A nova reforma da previdência tem preocupado os trabalhadores e servidores públicos em diversas áreas diante da perspectiva de aumento do tempo em serviço para atingir 100% do valor do benefício devido a partir das parcelas de contribuição. A instituição da idade mínima de 62 anos para a mulheres e 65 anos para homens após o fim do período de transição, caso a proposta seja aprovada no Congresso Nacional (Câmara dos Deputados e Senado). Em entrevista ao Nossa Voz desta terça-feira (26), o advogado e coordenador do curso de Direito da FTC, Mário Cleone, tranquilizou àqueles que já cumpriram os requisitos para a aposentadoria .

“O trabalhador não precisa de preocupar com isso porque na medida que ele já cumpriu com os requisitos atuais para aposentação por qualquer uma dessas modalidades já tem o que a gente chama em Direito de direito adquirido, já foi incorporado no patrimônio da pessoa e ele não precisa se afobar e solicitar no INSS de antemão. Vai ter a oportunidade de pensar adequadamente, fazer sua projeção. Muitos se aposentam e preferem continuar na ativa dar uma encorpada na sua renda pessoal e na sua renda familiar então nesse aspecto podemos tranquilizar toda a população”, aconselhou.

Porém, os que ainda não atingiram o tempo necessário de contribuição ou idade mínima vigente precisa estar atento. “Os trabalhadores que eventualmente ainda não atingiram o tempo mínimo de aposentação, ainda não tem o direito adquirido, tem a expectativa de direito e necessariamente terão que se agrupar em algum dos modelos de transição. Hoje nós temos três e uma delas é a pontuação 86/96”, detalhou. Segundo Cleone, o trabalhador que tem pretende manter o salário de acordo com o que já está contribuindo atualmente, terá que cumprir o critério acumulando a sua idade com o tempo de contribuição. “Deve-se somar a idade ao tempo de contribuição e resultado do somatório deve ser de 86 para mulheres e 96 para homens para aposentadoria integral. Há uma progressão previsa nesse cálculo onde o objetivo final é de que o resultado do somatório seja de 100 pontos para mulheres e 105 pontos para os homens em 2033”, reforçou.

Ainda segundo o advogado, o Governo Federal alega ter como objetivo “padronizar o sistema”, mas as novas regras não atinge todas as categorias. “Temos diversos regimes previdenciários. O Regime Geral de Previdência, que abarca o INSS, é para o trabalhador da iniciativa privada. Os regimes próprios de previdência pública que são indicados para cada administração pública e o regime de capitalização que é previdência complementar. Qual é a proposta do atual governo? Promover uma padronização para que tenhamos um único regime previdenciário seguindo no teto do INSS. Talvez a única categoria que esteja fora seja a dos militares, fato que está sendo muito questionado em virtude da apresentação de alguns privilégios da classe militar em detrimento dos servidores civis”, criticou.

Como especialista na área, Mário classifica como “nebulosas” as informações sobre o rombo da previdência apontado pelo governo. “Temos essa dificuldade em analisar porque muitas das vezes as informações trazidas pela previdência são nebulosas. Até hoje existem teorias conspiratórias de que não existe um rombo, o que temos em verdade a apresentação de informações pela metade para dar a falsa sensação de rombo e isso acaba gerando determinadas situações como essa de fato questionarmos a viabilidade ou não do nosso sistema”.

Ele aponta os privilégios mantidos aos militares, que segundo Cleone, estão em desacordo com o é pregado como necessário para equilíbrio das contas públicas. “Era o que esperávamos de um governo que colocou como mantra de campanha que deveria combater tudo que há de pernicioso na social democracia, deveríamos imaginar um combate aos privilégios. Mas aparentemente não vemos nenhum tipo de mudança nesse sentido. Talvez uma mudança tímida em relação ao próprio regime indicado para a classe política. De fato esperava-se algo dessa natureza, mas temos a classe dos militares que consome a título de previdência própria, também tem um rombo exorbitante a título de sangria dos cofres públicos e isso precisa ser combatido. Se há uma proposta séria de proposta da previdência e todo mundo está se sacrificando todos deem participar dela entregando a sua cota de sacrifício”.

 


Programa de declaração do IR estará disponível amanhã

por Redação Nossa Voz 24 de Fevereiro de 2019 às 08:05
categoria: Economia

O programa para preenchimento da declaração do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) estará disponível a partir das 8h de segunda-feira (25), no site da Receita Federal. A declaração deve ser entregue entre as 8h do dia 7 de março e as 23h59 de 30 de abril deste ano, pela Internet. 

Também a partir de segunda-feira, os contribuintes poderão preencher a declaração por meio de tablets e smartphones, acessando o aplicativo Meu Imposto de Renda. O serviço estará ainda disponível no Centro Virtual de Atendimento (e-CAC), na página da Receita Federal, com uso de certificado digital.

Restituições

Segundo a Receita, as restituições do Imposto de Renda serão feitas em sete lotes a partir de junho deste ano: o primeiro lote sairá no dia 17 de junho; o segundo, no dia 15 de julho; o terceiro, no dia 15 de agosto; o quarto, no dia 16 de setembro; o quinto, no dia 15 de outubro; o sexto, no dia  18 de novembro; e o sétimo, no dia 16 de dezembro.

Fonte: Agência Brasil


Carnaval deve elevar em 2% faturamento do comércio em Petrolina, aponta CDL

por Redação Nossa Voz 19 de Fevereiro de 2019 às 07:07
categoria: Economia

Os lojistas de Petrolina estão com expectativa positiva em relação as vendas para o carnaval deste ano. Segundo levantamento realizado pela Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), estima-se que a data aumente em média 2% o faturamento do comércio.

Nos dias que antecedem a folia de momo, os segmentos de artigos para festa, adereços e fantasias são os mais procurados pelos consumidores. “Observamos um aumento na procura por fantasias e acessórios. Os modelos inspirados em fantasia de ‘Super Heróis’ e a ‘Tiara da Jenifer’, estão entre os itens mais requisitados pelos consumidores. Nos próximos dias a nossa expectativa é dobrar o número de vendas”, disse Patrícia Moreira, supervisora de loja.

De acordo com o diretor executivo da CDL, Valdivo Carvalho, o Carnaval é uma data importante e com considerável apelo de vendas. “Petrolina tem um comércio bastante diversificado que se prepara para as datas relevantes para o comércio. Em conversa com os lojistas já podemos observar uma movimentação no centro comercial e também em outros setores que são beneficiados com a festa”, falou Valdivo.

O Carnaval de Petrolina tem inicio com o Baile Municipal, no próximo sábado (23), e o ponto alto será entre os dias 2 e 5 de março com apresentações culturais em quatro polos, com mais de 40 atrações e o universo circense como tema.

Foto: Divulgação


Nossa Voz coloca em debate regras da aposentadoria

por Redação Nossa Voz 15 de Fevereiro de 2019 às 17:12
categoria: Economia

O presidente Jair Bolsonaro vai anunciar nesta quarta-feira (20) o projeto de reforma da Previdência que vai mandar para o Congresso Nacional. Na última quinta-feira(14), ele se reuniu com ministros no Palácio da Alvorada e bateu o martelo sobre as idades mínimas para a aposentadoria. Ficou definido que a idade mínima para aposentadoria: mulheres, 62, e homens, 65 anos.

Pelas regras atuais, os trabalhadores do setor privado podem se aposentar por tempo de contribuição: mulheres com 30 anos contribuição e homens, com 35 anos - independentemente da idade. Nesta segunda-feira (18) o educador previdenciário do INSS, Orlando Matos, vai participar do programa Nossa Voz e tirar as dúvidas dos ouvintes.

As dúvidas para o Nossa Voz podem ser enviadas pelo WhastApp (87) 98812-9742 e ainda é possível participar, ao vivo, pelo telefone 3862-1007. O Nossa Voz também quer saber se você concorda com as idades mínimas para a aposentadoria que estão no projeto de reforma da previdência. De acordo com o texto, que vai ser encaminhado para o Congresso Nacional ainda neste mês de fevereiro, a idade mínima para homens é 65 anos e para mulheres é 62 anos. Acesse: granderiofm.com.br , e participe da enquete. 

Foto: Reprodução internet


Juíza nega pedido de suspensão do leilão do Aeroporto do Recife

por Redação Nossa Voz 14 de Fevereiro de 2019 às 13:00
categoria: Economia

A juíza federal Nilcéa Maggi, titular da 5ª Vara Federal da Seção Judiciária de Pernambuco (SJPE), negou hoje, o pedido de tutela provisória de urgência de uma Ação Popular contra a União e a ANAC. O ação pedia a anulação do Edital ANAC que prevê a concessão do Aeroporto Internacional do Recife em bloco com outros aeroportos do Nordeste.

Ação Popular proposta pelo deputado federal Felipe Carreras (PSB-PE) alegava prejuízos ao Município de Recife e ao Estado de Pernambuco e pleiteou a suspensão da licitação prevista para o próximo dia15 de março a fim de ser a concessão realizada de forma individual, e não em bloco.

Foto: JC

 



 


Levantamento do TCE diz que 1.548 obras estão paradas em PE; R$ 2,38 bilhões foram gastos

por Redação Nossa Voz 13 de Fevereiro de 2019 às 15:04
categoria: Economia

O Tribunal de Contas de Pernambuco divulgou nesta quarta-feira (13) o mais recente levantamento sobre obras paralisadas no estado. O estudo, feito pelo Núcleo de Engenharia do TCE, aponta para um total de 1.548 obras nesta situação em todo Estado, que envolvem recursos na ordem de R$ 7,25 bilhões, dos quais R$ 2,38 bilhões pagos.

O número de obras é praticamente o mesmo do ano anterior, mas o valor dos contratos apresentou um acréscimo de pelo menos R$ 1 bilhão. No levantamento realizado em 2017, foram identificadas 1.547 obras estagnadas, com contratos que somavam R$ 6,26 bilhões, enquanto em 2016 esse número chegava a R$ 5,3 bilhões.

Os contratos que envolvem os maiores valores são os que contemplam trabalhos nas áreas de saneamento, habitação, transporte e mobilidade. Das 21 obras em barragens previstas, apenas nove estão em andamento. Em relação às obras de habitação, 99% dos trabalhos estão paralisados, ou seja, 35 obras estagnadas de um total de 49 previstas. Dos 995 contratos relacionados à mobilidade e transporte, 405 estão paralisados.

Apesar das obras paralisadas e inacabadas serem averiguadas de forma indistinta, há uma diferença entre os dois tipos. A obra paralisada possui um contrato vigente e pode ser retomada mais facilmente. Já a inacabada, não possui mais contratos ou recursos válidos e, para mudar o status, requer um processo mais complexo. Esse status, porém, é bastante dinâmico. "Não realizamos a classificação nestes levantamentos porque o número pode mudar rapidamente. No dia da divulgação, já pode estar diferente do levantado recentemente", explicou Pedro Teixeira, do Núcleo de Engenharia, responsável pelo estudo.

Ações do TCE

Para tentar impedir tamanho desperdício de dinheiro público, o Tribunal de Contas, além de divulgar a relação de obras paralisadas anualmente, também executa medidas preventivas e corretivas. "As ações preventivas correspondem às auditorias realizadas nas licitações. Em 2018 foram analisadas 92 licitações, por meio da formalização de cinco processos, que resultaram em uma economia de R$ 2,7 milhões aos cofres públicos", afirmou Pedro Teixeira.

Já as ações corretivas se caracterizam pelas auditorias realizadas nas obras em andamento. No ano passado, foram auditadas 330 obras, num total de R$ 4,6 bilhões em contratos. "Essas auditorias geraram 134 processos, onde foram identificados valores acima dos praticados no mercado em 43 obras. Diante disso, o Tribunal orientou a adequação dos preços, o que resultou em uma economia de R$ 5 milhões ao Erário".

Para 2019, o TCE criará equipes específicas para auditar as obras paralisadas recentemente. Além disso, serão enviados novos ofícios cobrando explicações aos gestores que não responderam ao Tribunal e, em caso de ausência de resposta, poderá haver aplicação de multa aos gestores.