asdasdasdasd

Ser Educacional disponibiliza 100 mil vagas em curso preparatório para o ENEM

por Milena Pacheco 16 de Setembro de 2020 às 16:09
categoria: Educação

Projeto ENEM 360 também está firmando convênios com secretárias estaduais e pode beneficiar mais de 1 milhão de estudantes 

Em parceria com o Vai Cair no Enem e Gokursos, o grupo Ser Educacional lança o projeto ENEM 360, para oferecer, gratuitamente, 100 mil vagas para o curso preparatório e diversos conteúdos multimídias sobre assuntos que devem ser cobrados na prova do Exame Nacional do Ensino Médio. O objetivo é facilitar os estudos de estudantes que se preparam para o exame deste ano.  

“Este é um ano singular. Entendemos que temos uma missão com a educação brasileira e, com as escolas fechadas ou em ensino remoto, muitos estudantes estão sem os preparatórios para a realização do Exame. Liberar esse conteúdo para os estudantes e firmar estas parcerias com as Secretarias de Educação é de extrema importância para o segmento como um todo. Uma das premissas do Ser Educacional é promover o acesso à educação e o Enem 360 é um reflexo deste nosso pensamento. Com essas parcerias, queremos disponibilizar, de forma totalmente gratuita, conteúdos importantes para os estudantes que irão realizar a prova deste ano”, destaca o presidente do Ser Educacional, Jânyo Diniz.  

Inicialmente, o ENEM 360 disponibiliza mais de 300 vídeos e 50 apostilas. Além do material, os estudantes têm acesso aos aulões virtuais, que já estão sendo realizados pelo Vai Cair no Enem, todos os sábados. Isso representa mais de 200h de conteúdo preparatório para o Exame, que terá as provas aplicadas em janeiro e fevereiro de 2021, chegando ao valor de 100 milhões de reais em materiais gratuitos.  

O projeto também busca apoio das secretárias estaduais e municipais de educação de todo país, já tendo sido firmada com o estado de Roraima, Acre, Sergipe, Bahia e algumas cidades do Ceará. “É importante que todos os estudantes, sejam do ensino público ou privado, possam estar preparados para realizar as provas do Enem. Nosso objetivo é fazer com que o maior número possível deles tenha acesso a um conteúdo de qualidade e que contribua com essa preparação”, afirma a Diretora Acadêmica do Ser Educacional, Simone Bérgamo.  

A liberação ao sistema funciona de forma simples: para participar, os interessados precisam acessar o site gokursos.com e realizar o cadastro. O conteúdo é liberado de forma imediata.  

Com informações Assessoria


Suspensão das aulas presenciais no ensino básico é prorrogada em Pernambuco

por Milena Pacheco 15 de Setembro de 2020 às 10:01
categoria: Educação

Foto: Arquivo/Divulgação

O Governo do Estado decidiu prorrogar até o dia 22 de setembro, a suspensão das aulas presenciais do ensino básico em Pernambuco. A decisão foi divulgada na tarde desta segunda-feira (14).

Ainda segundo o anúncio foi informado que os dados sobre o avanço do novo coronavírus serão novamente analisados na próxima segunda-feira (21). Essa avaliação irá definir o cronograma de retomada das aulas presenciais do ensino básico na rede pública e privada no Estado.

Apenas em Fernando de Noronha as aulas presenciais serão retomadas no dia 22 de setembro. A retomada levantou expectativas sobre o retorno das atividades em todo o Estado. Mas, diferente das outras regiões, o arquipélago registra poucos contágios pela Covid-19 e uma situação de controle foi imposta tanto pela distância do continente quanto pelo respeito às medidas de higiene e segurança pela população.

No feriado da independência, 7 de setembro, registros alarmantes de desrespeito às normas de higiene e segurança do Governo do Estado puseram em risco as retomadas de serviços em Pernambuco. Em coletiva após o feriado, o secretário estadual de Saúde salientou o impacto gerado pelas aglomerações. “Os dados epidemiológicos (…) serão essenciais para as decisões que teremos que tomar e também na reavaliação das aberturas de serviços no Estado. De fato, todo mundo gostaria de voltar a uma vida normal, mas não existe vida normal quando se convive com um vírus que mata”, esclareceu o secretário de saúde André Longo.

Fonte: Blog Nossa Voz


Começam hoje inscrições para bolsas remanescentes do Prouni

por Milena Pacheco 15 de Setembro de 2020 às 09:19
categoria: Educação

Inscrições podem ser feitas até o dia 30

Começam hoje (15) as inscrições para o processo seletivo de bolsas remanescentes do Programa Universidade para Todos (Prouni), para o segundo semestre deste ano. Ao todo, serão ofertadas cerca de 90 mil bolsas que não foram ocupadas no decorrer do processo seletivo regular.

A disponibilidade dessas bolsas ocorre por desistência dos candidatos pré-selecionados ou falta de documentação, por exemplo. O prazo para inscrição termina em 30 de setembro e o estudante interessado deve acessar a página do Prouni na internet [http://prouniportal.mec.gov.br/#principal].

De acordo com o Ministério da Educação, nesta edição, o prazo de inscrição será único, tanto para candidatos não matriculados na instituição de ensino superior para a qual desejam se inscrever para disputar uma bolsa, como para candidatos já matriculados na mesma instituição para a qual querem fazer a inscrição.

O Prouni é o programa do governo federal que oferece bolsas de estudo, integrais e parciais (50%), em instituições particulares de educação superior. Para concorrer às bolsas integrais, o estudante deve comprovar renda familiar bruta mensal, por pessoa, de até 1,5 salário mínimo. Para as bolsas parciais (50%), a renda familiar bruta mensal deve ser de até três salários mínimos por pessoa.

Fonte: Agência Brasil


Covid-19: retorno de aulas presenciais é controverso nos estados

por Milena Pacheco 9 de Setembro de 2020 às 10:37
categoria: Educação

Amazonas saiu na frente e retomou atividades presenciais em agosto

Com a redução da incidência e mortalidade pela covid-19 em parte dos estados brasileiros, a discussão sobre o retorno das aulas presenciais ganha força. O Amazonas saiu na frente e iniciou as atividades presenciais nas escolas ainda em agosto. Mas em diversos estados a retomada ainda gera polêmica.

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Além do Amazonas, o governo do Pará autorizou o início das aulas em 1º de setembro. Em Minas Gerais, cursos de pós-graduação puderam reiniciar aulas presenciais no sábado (5). No Rio Grande do Sul e em Pernambuco, as unidades educacionais podem funcionar a partir do dia hoje (8). No Espírito Santo, a data fixada foi a próxima segunda-feira (14). As aulas na rede privada do Rio de Janeiro também tem início previsto para a semana que vem. Nas rede pública do Rio, no entanto, a previsão é de retomada em 5 de outubro.

No Distrito Federal, o governo anunciou a volta às aulas para o início de agosto, mas recuou e ainda não definiu uma data.  Em diversos outras unidades da Federação os governos prorrogaram a suspensão das aulas presenciais. É o caso do Amapá e do Tocantins, até 30 de setembro; e de Rondônia, até 3 de novembro;

As aulas continuam suspensas, sem prazo para retorno em estados como Roraima, Bahia, Alagoas, Paraíba, Rio Grande do Norte, Sergipe, Paraná e Santa Catarina. No Maranhão, o governo promoveu uma consulta sobre o tema, mas ainda não divulgou os resultados. No Piauí, o governo iniciou um debate com a comunidade sobre a volta do 3º ano do ensino médio.

Diversos estados reclassificaram regiões e ou municípios. Em Minas Gerais, pela primeira vez uma região (a Norte) entrou na última fase, com maiores permissões de funcionamento. Em Sergipe o estado avançou da bandeira Amarela para a Verde. Em Pernambuco, os municípios da Região Metropolitana e da Zona da Mata foram atualizadas para a fase oito do plano de reabertura, que tem 11 etapas.

Algumas Unidades da Federação lançaram programas econômicos de retomada. No Rio de Janeiro, foi criado o site Turismo Consciente para estimular o setor. Em Goiás, a secretaria da Retomada foi instituída para coordenar as ações governamentais. O Centro Cultural Niemeyer foi reaberto. No Paraná, o Parque Vila Velha, em Ponta Grossa, também voltou a receber visitantes no início do mês.

Fonte: Agência Brasil


Enem 2020: inscrições para certificadores começam na quarta-feira

por Milena Pacheco 8 de Setembro de 2020 às 08:31
categoria: Educação

As inscrições para a Rede Nacional de Certificadores (RNC), a fim de atuação em atividades de certificação dos procedimentos do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020, começam na próxima quarta-feira (9) e vão até o dia 29 deste mês. O cadastramento destina-se a servidores públicos federais e professores das redes públicas estaduais e municipais.

Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) publicou, nessa sexta-feira (4), no Diário Oficial da União, o Edital nº 64 de chamada pública. As inscrições podem ser feitas no seguinte endereço na internet: certificadores.inep.gov.br ou no aplicativo móvel, disponível nas principais lojas de aplicativos.

“Para realizar a inscrição, o candidato deverá atender aos requisitos descritos no edital, como: ser servidor público, efetivo e em exercício, do Executivo Federal ou ser docente, em exercício, das redes públicas de ensino estaduais e municipais e estar devidamente registrado no Censo Escolar 2019; ter formação mínima em ensino médio; não estar inscrito como participante no Enem 2020; não ter cônjuge, companheiro ou parentes de até 3º grau inscritos no Enem 2020; e possuir smartphone ou tablet, com acesso próprio à internet móvel”.

Entre as atribuições, os servidores vinculados à RNC deverão certificar in loco, sob demanda do Inep, a efetiva e correta realização dos procedimentos de aplicação nos dias de realização do exame; registrar, em sistema eletrônico, as informações coletadas com base em sua atuação; e informar ao instituto possíveis inconsistências identificadas. Segundo o Inep, o cadastramento prévio não garante a inscrição para atuação como certificador no Enem 2020.

Os convocados deverão participar de uma capacitação a distância promovida pelo Inep para divulgação de normas, procedimentos e critérios técnicos da RNC. Eles só serão considerados aptos somente após a participação e a aprovação nas atividades desenvolvidas no curso de capacitação, com no mínimo 70% de aproveitamento.

A atividade desenvolvida pelo certificador terá o valor de R$ 342 por dia. A remuneração se enquadra em atividade prevista no anexo do Decreto n.º 6.092, de 2007 (elaboração de estudos, análises estatísticas ou relatórios científicos de avaliação), equiparando-se ao valor da hora do servidor público do Poder Executivo Federal, de R$ 28,50.

De acordo com o cronograma previsto no edital, o resultado da chamada pública e o endereço eletrônico com a relação da homologação das inscrições e dos colaboradores convocados para realizar o curso de capacitação serão divulgados no Diário Oficial da União, no dia 14 de outubro.

O documento estabelece, ainda, que os certificadores selecionados deverão, obrigatoriamente, nos dias de atuação, portar álcool em gel e usar máscaras para proteção contra a covid-19. As máscaras poderão ser artesanais ou industriais e deverão ser utilizadas ao longo da aplicação e trocadas quando ficarem úmidas ou a cada quatro horas. Será proibida a entrada do certificador no local de aplicação sem a máscara de proteção facial. O Enem impresso está marcado para os dias 17 e 24 de janeiro de 2021.

Fonte: Agência Brasil


MEC vai instalar internet de alta velocidade em 466 escolas no interior dos estados da região Norte

por Milena Pacheco 4 de Setembro de 2020 às 11:19
categoria: Educação

Pasta vai investir R$ 7,7 milhões na instalação

O Ministério da Educação anunciou que vai instalar internet em 466 escolas da região Amazônica. Serão R$ 7,7 milhões investidos para conectar instituições de ensino nas cidades de Alenquer (PA), Almeirim (PA), Barcelos (AM), Coari (AM), Macapá (AP), Manacapuru (AM), Novo Airão (AM), Santarém (PA), Monte Alegre (PA) e Tefé (AM). A pasta estima que 260 mil alunos serão alcançados com a internet de alta velocidade (100 Gbps).

A iniciativa será feita de forma complementar ao programa Norte Conectado, que vai instalar infraestrutura de fibra ótica para levar internet para o interior da região.  O objetivo é expandir a estrutura de telecomunicações na região Amazônica a partir da instalação de 10 mil quilômetros de fibra ótica ligando 59 cidades. No total, 9 milhões de pessoas serão beneficiadas. 

Fonte: Brasil 61/Agência do Rádio


Secretarias de Educação têm até segunda-feira (31) para aderirem ao programa Tempo de Aprender, do MEC

por Milena Pacheco 28 de Agosto de 2020 às 13:17
categoria: Educação

Iniciativa visa fomentar a alfabetização no país da pré-escola ao 1º e 2º anos do ensino fundamental a nível municipal, distrital e estadual

As secretarias municipais, estaduais e a do Distrito Federal têm até a próxima segunda-feira (31) para aderirem ao Programa Tempo de Aprender, do Ministério da Educação (MEC). Lançado em fevereiro deste ano, a iniciativa tem o objetivo de enfrentar os problemas da alfabetização no país.

O programa é voltado para a alfabetização da pré-escola ao 1º e 2º anos do ensino fundamental da rede pública de todo o país. Para isso, estrutura-se em quatro eixos: formação continuada de profissionais, apoio pedagógico, aprimoramento das avaliações e valorização dos profissionais da alfabetização. No último balanço divulgado pelo MEC, mais de 3,8 mil secretarias tinham aderido ao programa. 

Foto: Arquivo Agência Brasil

A Confederação Nacional de Municípios (CNM) orienta os gestores a avaliarem a conveniência e as exigências do programa. Além do preenchimento de formulário com e-mail e o CPF do secretário de Educação, é necessário atualizar as informações no sistema PDDE Interativo, plataforma do MEC para o repasse de recursos e apoio à gestão escolar.

O órgão ressalta que o pedido de adesão ao Tempo de Aprender não será concluído até que o secretário, coordenador e o vice-coordenador cliquem no link enviado para o e-mail cadastrado. As inscrições para o programa podem ser feitas no site alfabetização.mec.gov.br.  

Fonte: Brasil 61/Agência do Rádio


Senado aprova PEC do Fundeb, que segue para promulgação

por Milena Pacheco 26 de Agosto de 2020 às 08:59
categoria: Educação

Proposta amplia recursos para educação pública

O Senado aprovou ontem, em dois turnos, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) de número 26 de 2020, que torna permanente o Fundo de Desenvolvimento e Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). A PEC foi aprovada por unanimidade e segue para promulgação - prevista para ocorrer em sessão solene do Congresso amanhã (26), às 11h. A aprovação em definitivo da PEC, que já havia passado pela Câmara, ocorre no dia da Educação Infantil.

Foto: Arquivo Agência Brasil

O Fundeb atende todas as etapas anteriores ao ensino superior e representa 63% do investimento público em educação básica. Os recursos do fundo são destinados às redes estaduais e municipais de educação, conforme o número de alunos matriculados na educação básica.

A proposta aumenta de forma gradativa a participação da União no Fundeb passando dos atuais 10% até chegar, em 2026, a 23%. Isso ampliará o investimento na educação do país. Segundo o relator da matéria no Senado, Flávio Arns (Rede-PR), em 2026 o investimento chegará a R$ 5,5 mil por aluno. Hoje, esse investimento é de R$ 3,6 mil.

O Fundeb foi criado em 2007, substituindo o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (Fundef), e perderia a validade no final de 2020. Caso o fundo não existisse, o investimento por aluno seria, segundo Arns, em torno de R$ 500.

Aplicação dos recursos

O texto também prevê o chamado Custo Aluno Qualidade (CAQ) - um parâmetro de financiamento educacional - previsto no Plano Nacional de Educação (PNE). Esse parâmetro norteará a aplicação dos recursos educacionais. São considerados itens necessários para oferta de uma boa educação, por exemplo, a formação continuada dos professores, o acesso à internet, a banheiros, à quadra de esportes, a laboratórios e à biblioteca. Entram na conta ainda dinheiro para pagar despesas com conta de luz e água, entre outras.

O CAQ também visa garantir uma jornada de sete a dez horas para os alunos e o piso salarial para todos os profissionais da educação, mas dependerá de regulamentação. “A constitucionalização do CAQ é inovação consentânea com os debates mais avançados em matéria de financiamento da educação”, afirmou Arns em seu relatório.

A proposta traz ainda novos critérios de distribuição dos recursos do fundo. Esses novos critérios ampliarão em 54% o número de redes de ensino beneficiadas pela complementação da União e, consequentemente, o número de alunos atendidos pelo recurso federal. A PEC prevê também a obrigatoriedade de disponibilização de informações e dados contábeis, orçamentários e fiscais por todos os entes federados.

“Assim, cuidemos de nossas crianças, cuidemos de nosso futuro, instituindo um novo Fundeb permanente, financeiramente robusto e com um compromisso solidário dos três níveis federativos no sentido de garantir educação de qualidade a todos”, disse Arns em seu relatório.

Fonte: Agência Brasil


Senado adia votação da PEC do Fundeb para a próxima semana

por Milena Pacheco 24 de Agosto de 2020 às 08:31
categoria: Educação

Matéria estava na pauta da última quinta-feira, mas precisou ser prorrogada por conta da análise de vetos presidenciais

O Senado adiou para a próxima terça-feira (25) a votação da PEC que torna o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) permanente. A matéria estava na pauta de votação da Casa desta quinta-feira (20), mas foi adiada por conta da análise de vetos presidenciais pelo Congresso Nacional.  

Entre outros pontos, o novo Fundeb estabelece uma maior participação da União no fundo, que atualmente é de 10% e será estendida para 23%, gradativamente, até 2026. A Câmara dos Deputados aprovou a proposta em 21 de julho. Para que seja aprovada no Senado, a matéria precisa passar por dois turnos de votação e obter, ao menos, 49 votos favoráveis em cada um deles.

O Fundeb foi criado em 2007 e perderá a validade no final deste ano. O fundo é considerado o principal mecanismo de financiamento da educação brasileira.  O Fundeb é formado por 27 fundos provenientes de impostos, como ICMS e IPVA, e transferências dos estados e do Distrito Federal, além da complementação de 10% pela União.  

Fonte: Brasil 61/Agência do Rádio/Foto: Roque de Sá/Agência Senado


Termina hoje prazo para inscrição na lista de espera do Prouni

por Milena Pacheco 20 de Agosto de 2020 às 09:03
categoria: Educação

Resultado será divulgado segunda-feira (24)

Os estudantes que não foram pré-selecionados em nenhuma das duas chamadas regulares do Programa Universidade para Todos (Prouni), para o 2º semestre deste ano, têm até hoje (20) para manifestar interesse em participar da lista de espera. A inscrição pode ser feita na página do Prouni e o resultado será divulgado na próxima segunda-feira (24).

Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Esta é a última etapa de seleção do programa. De acordo com o Ministério da Educação, a lista de espera será única para cada curso e turno, de cada local de oferta, ou seja, não haverá classificação por modalidade, como por cotas, por exemplo.

Pode participar da lista de espera, para o curso correspondente à primeira opção na inscrição, o candidato que não tenha sido pré-selecionado em nenhuma das chamadas regulares ou tenha sido pré-selecionado para a sua segunda opção de curso, mas por motivo de não formação de turma, tenha sido reprovado.

Para participar da lista de espera para o curso correspondente à segunda opção na inscrição, os critérios são os seguintes: que o candidato não tenha sido pré-selecionado em nenhuma das chamadas regulares; nas hipóteses de não ter ocorrido formação de turma na primeira opção de curso, ou de não haver bolsas disponíveis na primeira opção de curso; e, ainda, na situação de ter sido pré-selecionado para a primeira opção de curso, mas que por motivo de não formação de turma tenha sido reprovado.

Os estudantes da lista de espera que forem pré-selecionados para receber a bolsa devem comparecer às instituições de ensino até o dia 28 e entregar os documentos que comprovem as informações prestadas no momento da inscrição. Quem perder o prazo ou não comprovar os dados será desclassificado.

Prouni

O Prouni é o programa do governo federal que oferece bolsas de estudo, integrais e parciais (50%), em instituições particulares de educação superior. Nesta edição, 440,6 mil estudantes inscritos disputaram 167,7 mil bolsas em 1.061 instituições.

Para concorrer às bolsas integrais, o estudante deve comprovar renda familiar bruta mensal, por pessoa, de até 1,5 salário mínimo. Para as bolsas parciais (50%), a renda familiar bruta mensal deve ser de até três salários mínimos por pessoa.

Podem participar estudantes brasileiros que não tenham diploma de curso superior e que tenham participado do Exame Nacional do Ensino Médio mais recente e obtido, no mínimo, 450 pontos de média das notas. Além disso, o estudante não pode ter tirado zero na redação.

Fonte: Agência Brasil