asdasdasdasd

IF Sertão-PE abre processo seletivo para contratação de professores substitutos

por Redação Nossa Voz 4 de Dezembro de 2017 às 17:30
categoria: Educação

Estão abertas até o dia 11 de dezembro as inscrições para a seleção simplificação de professores substitutos do Instituto Federal do Sertão Pernambucano (IF Sertão-PE). São 19 vagas disponíveis, distribuídas entre os campi Petrolina, Petrolina Zona Rural, Floresta, Salgueiro, Ouricuri, Serra Talhada e Santa Maria da Boa Vista. A remuneração varia de acordo com a titulação do candidato, podendo chegar a R$ 3.552,08 (para candidatos com especialização). 

Há oportunidades disponíveis para as áreas de Sociologia, Informática, Engenharia Civil, Espanhol, Física, Informática, Pedagogia, Química, Tecnologia em Alimentos, Filosofia, Viticultura e Enologia, Desenho Técnico, Construções Rurais e Topografia, Libras, Língua Portuguesa e Inglês. 

Para se inscrever, o candidato deve preencher a ficha de inscrição disponível no endereço eletrônico http://concurso.ifsertao- pe.edu.br/copese, pagar a taxa, no valor de R$ 60, e apresentar no dia e horário do sorteio do ponto a documentação necessária (constante no edital) no setor de Gestão de Pessoas do campus escolhido. Quem estiver inscrito no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico) e for membro de “família de baixa renda” pode solicitar isenção da taxa de pagamento até quarta-feira (6). 

O Processo Seletivo constará das modalidades de Provas de Desempenho Didático, que serão realizadas nos dias 19 e 20 de dezembro, no campus da vaga desejada, e avaliação dos Títulos, nos dias 21 e 22 de dezembro. O resultado parcial está previsto para o dia 26 de dezembro. Dúvidas poderão ser encaminhadas à comissão organizadora por meio do endereço eletrônico concursoifsertaope@gmail.com

Mais informações em http://www.ifsertao-pe.edu.br/


Estudantes terão mais de R$ 1 bilhão de fundos administrados pelo Ministério da Integração para financiar ensino superior

por Gabriela Canário 1 de Dezembro de 2017 às 18:15
categoria: Educação

Pela primeira vez, recursos dos Fundos Constitucionais e de Desenvolvimento, administrados pelo Ministério da Integração, serão destinados ao financiamento estudantil com garantia de mais de R$ 1 bilhão para o Norte, Nordeste e Centro-Oeste. Além do aporte federal específico, condições facilitadas como juros mais baixos e maior prazo para pagamento das parcelas também estão assegurados nos contratos com o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) já a partir do próximo semestre. Os Fundos Constitucionais, por exemplo, destinarão R$ 700 milhões para o Nordeste, R$ 234 milhões ao Norte e R$ 190 milhões para o Centro-Oeste.

O volume de recursos destinado a cada região foi aprovado nos últimos dias em reuniões do Conselho Deliberativo (Condel) das Superintendências do Desenvolvimento da Amazônia (Sudam), do Nordeste (Sudene) e Centro-Oeste (Sudeco). Os Fundos de Desenvolvimento também poderão destinar até 20% do orçamento anual para contratos do Fies. O intuito é priorizar áreas que mais carecem de profissionais com nível superior.

“É um importante incentivo para facilitar o acesso da juventude à educação, seja a graduação do ensino superior, doutorado, mestrado ou pós-graduação”, destaca o ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho. Os investimentos dos Fundos regionais no setor educacional tornaram-se possíveis a partir da Medida Provisória 785, editada em julho deste ano.

Serão 310 mil vagas geradas no Novo Fies, composto por três faixas. Na primeira, serão oferecidas 100 mil vagas, com taxa zero de juros, para alunos com renda familiar per capita mensal de até três salários mínimos. Os recursos desse financiamento serão provenientes da União. Já nas modalidades 2 e 3, destinadas a estudantes com renda per capita mensal de até cinco salários mínimos, entram o aporte dos Fundos regionais e do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Para o Norte, Nordeste e Centro-Oeste, em particular, serão ofertadas 150 mil vagas em 2018.

A abertura das inscrições para o Fies 2018 está prevista para a primeira quinzena de fevereiro, logo após a divulgação do resultado do Programa Universidade para Todos (ProUni).


Alunos da Rede Municipal participam de Sistema de Avaliação Educacional de Pernambuco

por Adriana Rodrigues 30 de Novembro de 2017 às 17:18
categoria: Educação

Os alunos da Rede Municipal de Petrolina participaram, nesta quarta-feira (29), do Sistema de Avaliação Educacional de Pernambuco (SAEPE). As avaliações foram aplicadas em 463 turmas, em 79 escolas.

Os estudantes do Ensino Fundamental I e II tiveram que responder o teste com conteúdo das disciplinas de Língua Portuguesa (leitura e escrita) e Matemática. De acordo com Maéve Melo, esse é mais um instrumento importante para acompanhar o desempenho dos alunos. “O SAEPE nos possibilita obter informações que auxiliem o acompanhamento e a avaliação dos processos de desenvolvimento da alfabetização, do letramento e das habilidades iniciais em Matemática, além de nortear nossas estratégias de ação”, explica.

Com o resultado, o Sistema busca reunir os indicadores de taxas de aprovação, repetência e abandono, que são verificados pelo censo escolar, para medir o desempenho do estudante e a eficiência da unidade de ensino. Todos esses dados servem para constituir o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica de Pernambuco (IDEPE).

SAEPE

O SAEPE é um Sistema que foi criado em 2000 que visa diagnosticar o desempenho dos estudantes em diferentes áreas do conhecimento e níveis de escolaridade, bem como subsidiar a implementação, a (re) formulação e o monitoramento de políticas educacionais, contribuindo ativamente para a melhoria da educação no Estado. Foi estruturado pela Secretaria de Educação do estado no ano de 2007, mas se estende aos alunos dos municípios.


Votação popular consagra Petrolina campeã em premiação nacional de Educação

por Redação Nossa Voz 28 de Novembro de 2017 às 16:20
categoria: Educação

Petrolina conquistou mais um reconhecimento nacional na área da Educação. Desta vez, a população da cidade teve um papel fundamental. Com mais de nove mil votos, a cidade foi campeã na categoria votação popular do Prêmio Conviva Educação.

Encerrada na noite desta segunda-feira (27), a votação consagrou o trabalho da equipe da Secretaria Municipal de Educação (SEDU) que foi um dos 10 selecionados, entre 199 municípios do Brasil inscritos, por conta do projeto ‘Inserção tecnológica de dados do RH (Recursos Humanos)’. O prêmio valoriza as iniciativas que promoveram melhorias na gestão da educação pública municipal por meio do uso da plataforma que impactaram de forma positiva a gestão da educação municipal.

O prefeito da cidade, Miguel Coelho, utilizou as redes sociais para agradecer a mobilização de toda cidade para a votação. “Quero agradecer a todos que votaram, se mobilizaram e que se engajaram nessa campanha. Esse é o primeiro ano que Petrolina participa e já somos campeões na participação popular. Fiquei muito feliz pela votação que conseguimos. Vamos juntos até o resultado final”, frisou.

Maéve Melo, secretária de Educação do município, também agradeceu a votação. “Agora chegou a hora de agradecer a cada um que lutou e mobilizou para essa vitória que é o reconhecimento do nosso trabalho em tornar Petrolina em uma cidade com educação de qualidade. Agradeço a todos os setores, sociedade civil, escolas, alunos e em especial ao nosso prefeito Miguel Coelho pela sua liderança e por todo apoio. Essa vitória é de todos nós que estamos construindo uma cidade cada vez mais forte”, pontuou.

Na próxima quinta-feira, 30 de novembro, será anunciado pela UNDIME, organizadora do Conviva, o resultado final com a relação dos outros municípios premiados em outras categorias. A divulgação será feita por uma transmissão ao vivo, às 15h30, na página do Conviva no Facebook, no link: http://bit.ly/2zcQm47. Os vencedores serão premiados com uma viagem ao exterior para que possam conhecer projetos e iniciativas educacionais de sucesso.


Educação de Jovens e Adultos é tema de encontro nacional em Petrolina

por Simone Marques 28 de Novembro de 2017 às 13:00
categoria: Educação

Até a próxima quinta – feira (30), estudantes, professores e gestores de muitos estados brasileiros estarão em Petrolina participando do XV Encontro Nacional de Educação de Jovens e Adultos – ENEJA. A abertura aconteceu na noite desta terça-feira (27) no auditório do SENAC e contou com a presença de representantes do Ministério da Educação, da Secretaria Estadual de Educação e da secretária municipal de Educação, Maéve Melo.

O evento tem como tema: ‘EJA na atual conjuntura política econômica e social: desafios e possibilidade de luta’. De acordo com Maéve Melo, o Encontro tem como objetivo debater as diretrizes da educação para jovens e adultos no atual cenário social do país. “Um espaço muito importante para debater as políticas públicas para a área. A gestão do prefeito Miguel Coelho está investindo em Educação de qualidade em todas as nossas competências e o EJA é parte estratégica da nossa ação de transformar Petrolina numa cidade alfabetizadora”, frisou.

A programação segue nestes dias no auditório da Uninassau com mesas temáticas, grupos de trabalho  por área de interesse e segmentos, reunião com representantes dos Fóruns de EJA estaduais e atividades culturais. 


Processo democrático escolhe novos gestores escolares em Petrolina

por Gabriela Canário 27 de Novembro de 2017 às 09:48
categoria: Educação

O processo de escolha compreende etapas distintas, após a inscrição: a participação de exame de certificação de desempenho; consulta à comunidade escolar e participação em formação no seminário sobre gestão escolar. Após todas essas etapas, os aptos serão nomeados pelo prefeito Miguel Coelho.

Para participar do pleito o candidato deve possuir, no mínimo, quatro anos de efetivo exercício no magistério na Rede municipal de Petrolina; dispor de carga horária compatível; graduação em licenciatura e a documentação descrita no edital.  A primeira etapa, a ser desenvolvida pela Facape, vai acontecer no dia 03 de dezembro com questões de língua portuguesa, fundamentos de gestão escolar e conhecimento em legislação da educação básica. Serão considerados aprovados quem obtiver 60% de aproveitamento.

A segunda etapa, organizada pela Secretaria de Educação (SEDU), será composta pelos aprovados na anterior e será eletiva. No dia 19 de dezembro toda comunidade escolar (alunos com mais de 12 anos, responsável legal do aluno, professores e servidores das unidades) terá direito ao voto direto, obedecendo ao critério de proporcionalidade simples, 33,33%. “É importante que toda a comunidade escolar participe desse processo, pois ela tem o papel fundamental para o exercício da gestão democrática e participativa”, destacou a secretária de Educação, Maéve Melo. A campanha vai ocorrer entre os dias 11 e 15 de dezembro.

Após o processo eletivo acontecerá, entre os dias 08 e 12 de janeiro de 2018, sob responsabilidade da Facape, o Seminário de Gestão Escolar, última etapa. Os participantes terão que obter 90% de frequência para o direito à nomeação para o cargo que tem mandato de dois anos. A posse está prevista para acontecer na segunda quinzena de janeiro de 2018.  


Mendonça Filho diz que universidades públicas precisam ter mais alunos pobres

por Neya Gonçalves 24 de Novembro de 2017 às 17:34
categoria: Educação

O ministro da Educação, José Mendonça Bezerra Filho, disse que o maior desafio educacional no Brasil é a qualidade do ensino. Para o ministro, melhorar a qualidade da educação básica é um dever imediato, não apenas no campo das políticas sociais, mas na perspectiva do desenvolvimento econômico, uma vez que o Brasil perde espaço quando o tema é competitividade.



“Apesar de muito ter se falado sobre o tema nos governos anteriores, não há dúvida de que a educação brasileira, hoje, é uma tragédia humana de dimensões incalculáveis no futuro das nossas crianças e jovens”, afirmou, durante a cerimônia em que recebeu o prêmio Fernando Azevedo - O Educador do Ano, no Teatro da Fundação Cesgranrio, no Rio Comprido, região central da capital fluminense. A premiação é concedida pela Academia Brasileira de Educação (ABE).



Antes da cerimônia, em entrevista à Agência Brasil, o ministro comentou que o Brasil tem um bom padrão de ensino superior público e também há instituições privadas em excelente qualidade, mas é preciso buscar avanços mais significativos, porque ainda não se consegue alcançar o patamar global que se vê na Europa, na América do Norte e na Ásia.



Outro fator que é preciso ser avaliado, na visão dele, é maior participação de alunos de renda mais baixa em instituições públicas que, geralmente, recebem estudantes de condições financeiras mais elevadas porque tiveram um nível de ensino anterior de melhor qualidade. “Isso, de certo modo, é também uma distorção. Quero alunos mais pobres cursando universidades públicas, para que eles possam ter cada vez mais oportunidades nas suas vidas”, afirmou.



Reforma do ensino

Segundo Mendonça Filho, o Brasil não pode assistir passivamente às eternas discussões no campo da educação. Lembrou que, quando foi convidado pelo presidente Michel Temer, em maio de 2016, para assumir o cargo, os diagnósticos ruins eram abundantes e, por isso, era preciso agir rápido para mudar essa realidade. De lá para cá, de acordo com o ministro, foram tiradas do papel ações como a reforma do ensino médio, que tinha sido discutida há mais de 20 anos sem chegar a lugar algum.



“É preciso agir, fazer acontecer, corrigir rumos. Com essa diretriz, a nossa gestão está promovendo ações estruturantes, como a reforma no ensino médio, mudança fundamental que deixa o currículo flexível, articulando com o ensino técnico profissionalizante e ao mesmo tempo facultando ao jovem o famoso protagonismo juvenil”, disse.



O ministro destacou a política de indução das escolas em tempo integral, que vai ampliar as matrículas neste período escolar, pela primeira vez, com apoio do MEC. Contou que, das 8 milhões de matrículas no ensino médio em todo o país, apenas cerca de 300 mil são em educação em tempo integral. “Estamos assegurando, com investimento de R$ 1,5 bilhão, o incremento em torno de 500 mil matrículas em três anos”, afirmou.



“Enquanto a educação não for uma agenda da sociedade brasileira, não alcançaremos as mudanças profundas e necessárias. Em um Brasil dividido por divergências políticas e ideológicas, defendo que a educação deve ser o grande vetor de convergência nacional”, afirmou.



Mendonça ofereceu o prêmio à sua equipe no ministério, que, segundo ele, conta com educadores e educadoras com nível de comprometimento necessário para atingir o avanço da educação brasileira. “Esse prêmio é nosso é de todos os que fazem o Ministério da Educação”.



O presidente da Academia Brasileira da Educação, professor Carlos Alberto Serpa, informou que a escolha do ministro para o prêmio foi unânime. Para ele, é um reconhecimento a uma pessoa que, desde o início da vida pública, aos 20 anos, se dedicou à educação brasileira. “Desde cedo, aprendeu que a educação é vital para um país, e dedicou a sua vida à juventude. Seu belo trabalho em Pernambuco fez com que o estado hoje seja um dos mais avançados do país em qualidade educacional”, revelou


Candidatos têm até quinta-feira (23) para se inscrever no Vestibular Facape

por Karine Paixão 21 de Novembro de 2017 às 09:10
categoria: Educação

Seguem abertas, até o dia 23/11 (quinta-feira), as inscrições para o Vestibular da Facape para os cursos de Administração, Ciências Contábeis, Ciências da Computação, Comercio Exterior, Economia, Gestão de Tecnologia da Informação, Serviço Social e os novos cursos de Gestão de RH e Logística. Os candidatos devem se inscrever no site da Facape (www.facape.br)  e a taxa de inscrição é de R$60 para bolsistas e R$115,00 para alunos não bolsistas.

Vestibular agendado  

O processo vai disponibilizar 690 vagas para os cursos de Administração, Ciências Contábeis, Ciência da Computação, Gestão de Tecnologia da Informação, Comércio Exterior,  Serviço Social e os novos cursos de Gestão de RH e Logística, deste total, 135 vagas são destinadas a alunos bolsistas.           

Os candidatos poderão optar pelo dia e horário de realização da prova, no período de 28 de novembro a 1º de dezembro através do site da Facape. A prova terá a duração máxima de uma hora e será no formato digital e objetiva. Nesta modalidade não há realização de redação.  As provas serão aplicadas nos laboratórios no Bloco do curso de Ciência da Computação, na Facape.      


Matrículas do Nova Semente e da rede municipal de Petrolina iniciam no próximo dia 27

por Karine Paixão 17 de Novembro de 2017 às 09:03
categoria: Educação

A Prefeitura de Petrolina, por meio da Secretaria de Educação, inicia seu processo de matrículas para o ano de 2018. O cadastro escolar terá início no próximo dia 27 e segue até o dia 30 de novembro para crianças novatas e os alunos já atendidos pelo programa de primeira infância Nova Semente. 

No próximo ano, haverá um aumento no número de vagas do programa: as unidades atenderão de forma integral e gratuita 7 mil alunos de 06 meses a 3 anos e 11 meses. Com o aumento, está prevista a contratação de cerca de 1500 profissionais. 

Para fazer a matrícula, os pais devem procurar a unidade portando os seguintes documentos: cópia da certidão de nascimento, uma foto 3x4 recente, comprovante de residência com CEP, cópia da carteira de vacinação, RG, CPF e NIS.

Rede municipal

Para os estudantes já matriculados na Rede Municipal, o período de confirmação das matrículas será entre os dias 01 e 08 de dezembro. Os pais e/ou responsáveis também precisam procurar as atuais unidades para fazer a confirmação. Para os alunos  novatos, o período de matrícula será a partir do dia 8 de janeiro. Para os estudantes que vão integrar a Rede em 2018 e que precisam  de Atendimento Educacional Especializado (AEE), a matrícula será entre os dias 04 e 08 de dezembro. 

O nosso compromisso é garantir vagas para todos os alunos da nossa Rede. Somamos muitos esforços e em 2018 estaremos ampliando o número de vagas no Nova Semente, com acompanhamento de qualidade e integral. Nenhum estudante estará fora da sala. Estamos trabalhando para ofertar uma educação de qualidade para nossas crianças”, destaca a secretária municipal de Educação, Maéve Melo.


Enquete Nossa Voz: 100% dos votantes dizem entender o básico sobre tema do Enem 2017

por Redação Nossa Voz 16 de Novembro de 2017 às 10:39
categoria: Educação

Políticas de inclusão têm tentado corrigir questões históricas no ensino de surdos no Brasil. Em algumas escolas, eles ainda dividem as salas de aula com ouvintes que seguem a educação tradicional. E, justamente, o tema da redação do Enem 2017 foi "Desafios para a formação educacional de surdos no Brasil". A forma de correção da redação foi alvo de polêmica: após ter recurso negado no STF, MEC disse que acata decisão e que não vai anular redação contrária aos direitos humanos.

Os textos motivadores para que os candidatos desenvolvessem a redação abordaram as seguintes questões. Um deles incluiu dados sobre o número de alunos surdos na educação básica entre 2010 e 2016. Outro apresentou um trecho da Constituição Federal afirmando que todos têm direito à educação. Um terceiro mostrou aos candidatos Lei nº 10.436, que determinou que a Língua brasileira de sinais (Libras) se tornasse a segunda língua oficial do Brasil.

O outro texto de apoio foi um um anúncio do Ministério Público do Trabalho publicado em 2010, que abordou a questão da exclusão de surdos no mercado de trabalho por causa do preconceito, mesmo que tenham a formação educacional necessária para entrar no mercado de trabalho.

Em enquete no site do Nossa Voz, pedimos ao internautas para responder ao seguinte questionamento: “Qual o seu entendimento a respeito da formação educacional de surdos em nosso país?”. A resposta foi “entendo o básico” de 100% dos votantes.

Aconteceu uma natural evolução na maneira em que os surdos foram e são educados ao longo da história. As teorias utilizadas em diferentes momentos históricos são as seguintes:

Oralismo - Nesta teoria o ensino formal colocava o professor como superior sem que os alunos pudessem se manifestar livremente. A metodologia de ensino era fixa, assim como a avaliação. Os alunos surdos tinham que aprender a oralizar, repetindo exaustivamente as falas do professor.

Comunicação Total - Diante do visível fracasso do Oralismo percebeu-se a necessidade de mudanças. A sociedade passa a ter mais atenção à diversidade e diferença, o que favorece a educação de surdo e levou as escolas a adotarem a Língua de Sinais e a Comunicação Total. Esta se mostra como uma junção da língua de sinais com a língua oral a fim de se ter um possível meio facilitador para o aprendizado da língua oral. É preciso lembrar que esta modalidade pode gerar conflitos, visto as diferenças linguísticas da Libras e da Língua Portuguesa.

Educação Bilíngue - Na Educação Bilíngue os surdos reivindicam uma educação na qual todos os alunos surdos sejam ensinados através da Língua de Sinais, sendo a Língua Portuguesa a segunda língua (através da escrita). Respeita-se, assim, a língua natural dos surdos tanto no ambiente social quanto educacional.

Dificuldades encontradas 

A educação para os surdos, mesmo nos dias ainda de hoje, é precária. Infelizmente as escolas ainda não tem estrutura física e profissional para receber deficientes auditivos. Por isso, vê-se necessário adaptar a infraestrutura das escolas, que precisa contar com salas e recursos multifuncionais e ser planejada com acessibilidade arquitetônica e tecnológica. Além disso, é necessário capacitar os docentes para aprimorar as práticas pedagógicas, de forma que a sala de aula seja um ambiente de oportunidades reais para todos, e o mais importante de tudo, inclusiva.

Esta mesma realidade está presente na inclusão de surdos no mercado de trabalho. O preconceito e o despreparo das empresas em contratarem deficientes auditivos é perceptível, e isso deve mudar o quanto antes possível. Na maioria das vezes, são necessárias apenas pequenas adaptações para que o deficiente auditivo seja incluído. E além disso, o ambiente de trabalho com certeza, por meio da diversidade, estará mais rico em muitos aspectos. Nunca se deve julgar a pessoa pela sua deficiência, mas sim pelo seu talento e qualificações.

Leia mais a respeito do tema aqui. 

Matias Rodrigues, parte do time de marketing e redator da Egalitê, 21 anos, Relações Públicas (UFRGS)