asdasdasdasd

Rede hoteleira de Petrolina prevê ocupação total durante o São João

por Redação Nossa Voz 29 de Maio de 2017 às 14:46
categoria: Cotidiano

O São João de Petrolina já começou pelos bairros da cidade e faltando poucos dias para os grandes shows no Pátio de Eventos Ana das Carrancas, a expectativa de ocupação em alguns hotéis é a melhor possível chegando a 100%.

A festa que acontece de 16 a 24 de Junho trará grandes atrações como Aviões do Forró, Wesley Safadão, Jorge e Mateus, Bruno e Marrone, Marília Mendonça, Solange, entre outros e a expectativa é que  50 mil a 70 mil pessoas por noite acompanhem o evento.

Além do público que curtirá a festa, a rede hoteleira também vibra com o São João de Petrolina. De acordo com o gerente do hotel Novo Sol, algumas reservas já estão sendo feitas para o período dos grandes shows e a expectativa é que a lotação chegue a 100% em todos os dias dos festejos.

Já estamos recebendo muita procura. As pessoas estão ligando, pesquisando e algumas já fizeram reserva. Mas como muitas pessoas deixam mais para a última hora, nossa expectativa é que a ocupação seja mesmo de 100% em todos os dias da festa”, diz Eduardo Rodrigues.

Em outro ponto da cidade, a expectativa é semelhante. A gerente do Águas Palace Hotel, Ana Angélica, diz que já há várias reservas para o período e que a expectativa é de até 90% de ocupação durante os festejos. “O São João está sendo muito comentado e já temos reservas para o período dos grandes shows. Sempre recebemos muita procura nesta época e agora nossa expectativa é de 80 a 90% de lotação”, disse a gerente.

De acordo com o prefeito Miguel Coelho, os festejos deste ano trarão mais atrações com uma economia de 22% em relação ao ano anterior. Segundo a gestão, serão investidos no evento de 2017 pouco mais de R$ 4 milhões contra os R$ 5,3 milhões gastos no ano passado.

A expectativa é que o evento gere cerca de 9 mil empregos formais e informais na cidade. Além disso, a festa deve trazer retorno potencial à economia da região. No total, a Prefeitura projeta que Petrolina tenha uma movimentação financeira durante todo o evento superior R$ 219 milhões.


'Não cabe ao TSE resolver crise política', diz Gilmar Mendes

por Redação Nossa Voz 29 de Maio de 2017 às 13:05
categoria: Nacional

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) e presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Gilmar Mendes, afirmou nesta segunda-feira (29), em São Paulo, que não cabe ao TSE "resolver crise política" em referência ao julgamento que pode vir a cassar a chapa Dilma-Temer.

Segundo Gilmar Mendes, pedir vista em um julgamento "complexo" é "absolutamente normal". O julgamento será retomado na próxima terça-feira (6).

"Há muita especulação na mídia se haverá pedido de vista. Se houver pedido de vista, é algo absolutamente normal, ninguém fará por combinação com esse ou aquele", disse durante congresso jurídico da Associação Brasileira de Planos de Saúde (Abramge).

"Não cabe ao TSE resolver crise política. O julgamento será jurídico e judicial", completou.

Em reação à especulação de que os ministros poderiam pedir vista (mais tempo para analisar o caso) para dar sobrevida ao presidente Michel Temer, alvo de inquérito no STF e de pedidos de impeachment no Congresso Nacional, Mendes disse que a corte eleitoral não é "joguete de ninguém" em referência ao Palácio do Planalto.

Questionado se a nomeação de Torquato Jardim como ministro da Justiça facilita uma conversa entre Executivo e Judiciário por sua suposta boa relação com os tribunais superiores, Mendes afirmou que "a questão não é essa".

"A escolha de ministro de estado é competência do presidente da República". "Eu conheço o ministro Serraglio e reconheço ele como um homem competente. Conheço também o ministro Torquato Jardim, foi nosso colega na Justiça Eleitoral, é muito reconhecido, está há muitos anos em Brasília e certamente desempenhará muito bem essa função", disse.

A pedido do relator do caso, ministro Herman Benjamin, Mendes reservou quatro sessões para o julgamento:

 


  • Dia 6, às 19h (ordinária)

  • Dia 7, às 19h (extraordinária)

  • Dia 8, às 9h (ordinária)

  • Dia 8, às 19h (extraordinária)

 

O julgamento se iniciou em 4 de abril, mas naquela data os ministros decidiram reabrir a etapa de coleta de provas, autorizar depoimentos de novas testemunhas e conceder prazo adicional para as alegações finais das defesas.

Na ação, apresentada à Justiça Eleitoral pelo PSDB em dezembro de 2014 – dois meses depois da derrota nas urnas do candidato do partido, Aécio Neves –, os tucanos acusaram a chapa Dilma-Temer de ter cometido abuso de poder político e econômico por, supostamente, ter recebido dinheiro de propina do esquema de corrupção que atuava na Petrobras investigado pela Operação Lava Jato. Atualmente, o PSDB integra do governo Temer, no qual detém quatro ministérios.

No dia 6, o caso será retomado com a leitura, por Herman Benjamin, do relatório do processo, que resume toda a apuração feita ao longo de mais de um ano de tramitação. O documento tem mais de mil páginas, mas o ministro deve ler uma versão resumida.

Depois, falarão o representante do PSDB, como autor da ação, as defesas de Dilma e Temer e o Ministério Público. Em seguida, Benjamin lerá seu voto, condenando ou absolvendo a chapa. Depois, votarão os ministros Napoleão Nunes Maia Filho, Admar Gonzaga, Tarcísio Neto, Luiz Fux, Rosa Weber e Gilmar Mendes.

Se o TSE decidir pela cassação da chapa, o presidente Michel Temer perde o mandato e, junto com Dilma, fica inelegível por oito anos. Nessa hipótese, o Congresso então deverá realizar eleições indiretas para a Presidência da República, com a possibilidade de se candidatar qualquer brasileiro nato com mais de 35 anos de idade, filiado a partido político e escolhido pelo partido. Votam na eleição indireta os 513 deputados e 81 senadores.

 

Alegações finais

 

Em manifestação final, o Ministério Público Eleitoral se posicionou favoravelmente à cassação da chapa e pediu a inelegibilidade da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) por oito anos. Em relação a Michel Temer (PMDB), o MP pede a perda do mandato, mas não os direitos políticos, sob o argumento de que não há elementos que comprovem que ele sabia do financiamento supostamente ilegal.

O vice-procurador-geral eleitoral, Nicolao Dino, incluiu nessa manifestação as delações à Operação Lava Jato dos marqueteiros da campanha de Dilma, João Santana e Monica Moura, ouvidos no dia 24 de abril no processo. No documento, Dino destaca que Santana e Monica afirmaram ‘’textualmente’’ que a representada (Dilma) tinha consciência de que uma parte do pagamentos por seus serviços era oriunda de caixa 2, de responsabilidade da Odebrecht’’.

Nas alegações finais, a defesa de Dilma Rousseff pediu ao TSE para desconsiderar os depoimentos do casal de marqueteiros João Santana e Mônica Moura. Os advogados de Dilma chamaram de mentirosos os depoimentos e pediram que Santana e Moura respondam por falso testemunho.

A defesa de Temer argumentou nas alegações finais que ele não pode ser responsabilizado por eventuais irregularidades na captação de recursos porque ele abriu uma conta diferente daquela usada pela petista para receber doações. Para o PSDB, autor da ação, Dilma cometeu irregularidade eleitoral, mas Temer não.

G1 Nacional


Sobre ser liderada por peemedebista, Cristina Costa especula: “Amanhã pode estar fora”

por Karine Paixão 29 de Maio de 2017 às 11:38

Na Câmara de Petrolina a questão nacional está sempre presente entre os pronunciamentos dos vereadores. Cristina Costa (PT) está no grupo dos parlamentares que fazem duras críticas a Michel Temer (PMDB) e a legenda a qual o presidente da república faz parte. Mas como na política pode acontecer tudo e inclusive nada, um fato curioso permeia a oposição da Casa Plínio Amorim. A petista e seu colega de partido, Gilmar Santos, contam com Paulo Valgueiro (PMDB) como líder da bancada. Partidos antagonistas no cenário nacional e aliados em nível local. 

Em entrevista ao Nossa Voz de hoje (29), Cristina Costa afirma que isso não interfere em sua avaliação política e tece elogios ao peemedebista. “Paulinho me orgulha de ser o líder, independente de ser do PMDB. Eu já tenho colocado há muito tempo, em todos os partidos a gente vê bons parlamentares, como a gente vê também parlamentares que deixam a desejar na atuação do seu mandato e Paulinho não é diferente. É uma pessoa que quis, contou com o nosso apoio, é um líder que debate com a gente, discute com os demais vereadores e que tem com certeza um apoio dessa bancada de oposição, dos quatro demais e estamos ajudando nessa difícil tarefa”, avaliou. 

Costa ainda reforça que a questão partidária pode até ser transitória, revelando que o motivo de filiação de Valgueiro ao PMDB não é determinante a sua permanencia no partido. “Ele sabe dialogar, conversar, sabe ouvir e sabe atuar com coerência, ética e nesse primeiro momento isso me orgulha e por isso não tenho preocupação dele ser do PMDB. Pela sua atuação ele vem conquistando, demonstrando que independente, como ele mesmo diz, estar no PMDB foi uma questão de apoio a Júlio Lóssio, amanhã pode estar fora, mas antes de ir para o PT, PSB, qualquer partido que ele for, o que vai prevalecer é a atuação, o compromisso, a responsabilidade e a atuação dele junto aos parlamentares”.

Questionada sobre o porquê não quis assumir a liderança da bancada, Cristina Costa explica que sua atuação engessaria sua capacidade de dialogar com executivo ao buscar soluções para o Município. “É o meu terceiro mandato, não fui líder da oposição. Fui convidada, mas gosto de fazer oposição de forma coerente e dialogando independente de que for o prefeito. Passou Júlio Lóssio, hoje é Miguel Coelho, amanhã pode ser Adalberto, pode ser Odacy do meu partido, que eu tenho vontade de ser para entender determinados comportamentos dos colegas. Mas eu acho que para ser oposição não precisa exatamente ser líder. Quem sabe amanhã eu possa sentir essa necessidade, ter essa oportunidade”. 


Faixa para motociclistas é retirada da Avenida Coronel Clementino Coelho

por Redação Nossa Voz 29 de Maio de 2017 às 11:32
categoria: Cotidiano

A Autarquia Municipal de Mobilidade (AMMPLA) está realizando intervenções na Avenida Coronel Clementino Coelho, nas proximidades da Mavel. De acordo com o diretor-presidente do órgão, Geraldo Miranda, a faixa destinada aos motociclistas está sendo removida, por entender que ela estava causando insegurança. “Eu mesmo presenciei três ou quatro acidentes naquela localidade”, explicou. Ele salientou que a faixa posicionada do lado esquerdo da pista dificulta a visibilidade por parte dos outros motoristas e que, em vez de auxiliar no trânsito, a faixa estava causando transtornos.


Mesmo com crise, comércio de Petrolina se sobressai em relação a outras cidades

por Redação Nossa Voz 29 de Maio de 2017 às 10:25
categoria: Cotidiano

De acordo com o presidente do Sindicato dos Lojistas de Petrolina, Joaquim de Castro, o comércio local, apesar da crise econômica que assola o país, tem se sobressaído com relação a outras cidades, inclusive às metropolitanas. Entretanto, ele enfatizou que a cidade enfrente uma crise, sim, mas que o reflexo não foi tão degradante como em outros locais do Brasil.

Ele explicou que tanto o comércio de Petrolina, quando o nacional, tem sofrido com o reflexo da crise econômica e política no Brasil, pois “cada dia tem uma novidade diferente na política (nacional) e acaba agravando na economia, no investimento, no emprego e no consumo”, explicou o presidente. Entretanto, ele acrescenta que a cidade tem numa característica diferente de outras por conta do perfil econômico local. “Isso não quer dizer que não tem crise em Petrolina. Tem muitas lojas fechadas. Afetou o consumo em muitas atividades”, disse.

Essa vantagem econômica, segundo ele, deve refletir de forma positiva durante os períodos junino na cidade. Ele disse que algumas empresas sondadas afirmaram que havia expectativas de aumento de vendas, neste período, com relação ao ano passado. “Isso é importante porque nesse momento é um avanço muito grande”. Segundo ele, há expectativas de contratações temporárias para o período junino. “Os sintomas de recuperação da economia vem sendo sentidos”, completou.


Futuros podadores de Petrolina removem árvore em situação de risco em praça da cidade

por Redação Nossa Voz 29 de Maio de 2017 às 09:05
categoria: Cotidiano

Os 24 alunos do curso de formação de podadores, ofertado pela Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade (SEDURBS) em parceria com o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sertão Pernambucano (IF Sertão-PE), tiveram uma grande oportunidade de aprender na prática a lidar com situações que vão encontrar na rotina do trabalho que vão realizar na cidade. Nesta sexta-feira (26), eles participaram da remoção de uma árvore que estava a ponto de cair em plena Praça da Sementeira (Academia das Cidades), na Vila Mocó, zona central de Petrolina. 

Com a ajuda de um caminhão munck, a árvore foi cuidadosamente retirada, parte por parte. Durante o processo, um ninho de passarinhos foi encontrado. Com a ideia de reduzir ao máximo qualquer impacto ambiental causado pelo trabalho, o ninho foi transferido de lugar. A ação foi supervisionada pela Agência Municipal do Meio Ambiente, representada pelo Gerente de Projetos, Victor Flores, e pela bióloga do IF Sertão-PE, Patrícia Gomes. “Para proteger essa espécie nós retiramos o ninho da árvore que estava seca e colocamos numa outra próxima a fim de que os pássaros possam permanecer no ambiente que estão acostumados”, explica Gomes.

O CURSO

Depois de um período de aulas teóricas, que começou no dia 25 de março, o curso de podadores da Prefeitura de Petrolina, que visa qualificar as equipes de manutenção de praças e jardins, chegou à reta final. As aulas práticas integram a última etapa antes da conclusão da capacitação marcada para o dia 03 de junho. Até lá, técnicas de poda e paisagismo, além de práticas sustentáveis vão ser trabalhadas com as duas turmas participantes. O objetivo é garantir um trabalho de qualidade e eficiência, sem esquecer da preservação do meio ambiente.


Chuvas dos últimos dias elevam o nível de barragens em Pernambuco

por Redação Nossa Voz 29 de Maio de 2017 às 09:00
categoria: Cotidiano

As chuvas dos últimos dias colaboraram para melhorar o nível de algumas barragens em Pernambuco. Um dos mananciais que está em pré-colapso no estado, a Barragem do Prata, no município de Bonito, elevou de 9,83% para11,72%, entre a última quarta-feira (24) e hoje (26). Com o aumento, ainda tímido, o Prata registra agora 4.939.384 metros cúbicos de água acumulados, o que já garante prorrogar o uso da água da barragem até o mês de agosto deste ano. A Barragem do Prata é responsável pelo abastecimento de água de Caruaru e das cidades de Agrestina, Santa Cruz do Capibaribe, Ibirajuba, Altinho e Cachoeirinha.

Em março deste ano, a Compesa precisou adotar a medida de redução da exploração do Prata para 200 litros de água por segundo. Desde então, o abastecimento das seis cidades do Agreste está recebendo o complemento pelo Sistema Adutor do Pirangi, que incrementa o Sistema Prata com mais 500 litros de água por segundo. "A melhoria do nível do Prata é uma boa notícia, pois ainda estamos no meio da quadra chuvosa, e a nossa expectativa que a barragem acumule mais água no período das chuvas, assim como outros mananciais do estado", observa o diretor Regional do Interior da Compesa, Marconi de Azevedo.

Em Garanhuns, as três barragens que fornecem água para a cidade elevaram o volume de reservação com as chuvas dos últimos dez dias. A Barragem do Cajueiro aumentou o nível de acumulação de 43% para 48% (6,9 milhões de m³ de água), Mundaú subiu de 23% para 35% (696 mil m³), enquanto Inhumas, que estava em colapso, com 5% da sua capacidade total, agora subiu para 27% (1,8 milhão m³). "Com essa melhora dos níveis das barragens, conseguimos garantir a continuidade do fornecimento de água para a cidade até fevereiro de 2018. E se as chuvas continuarem regulares e com esse volume até o final do mês de junho, a cidade poderá até sair do rodízio ainda em julho deste ano", informa o diretor.

Ainda no Agreste, a Barragem do Rio Correntes, que fornece água para a cidade de Correntes, está vertendo. A Compesa inclusive, concluiu um serviço para limpeza dessa barragem, neste mês, o que contribuiu para melhorar a acumulação de água no manancial e retirar a cidade do rodízio. Lagoa do Ouro também teve o calendário reduzido pelas chuvas, passou para um dia com água e um dia sem, depois que regularizou a vazão do Riacho da Palha. A população de Bom Conselho já sente as melhorias no abastecimento, após as barragens de Bulandim, Mata Verde e Caboge voltarem a acumular água. A companhia retornou com a captação nos mananciais, e estabeleceu um novo calendário de três dias com água e seis dias sem para a cidade - antes era de cinco dias com água e dez dias sem.

Na região Metropolitana do Recife, o maior aumento de volume aconteceu na Barragem de Pirapama, no Cabo de Santo Agostinho, que subiu, de ontem para hoje, de 46,06% para 54,12%. As outras quatro principais barragens da RMR não sofreram alterações significativas dos níveis: a Barragem de Várzea do Una está 35,84% da sua capacidade total; Tapacurá com 32,07%; Duas Unas apresenta 27,82% do seu volume de reservação; e Botafogo registra 13,47%.

Zona da Mata

Na Zona da Mata Norte, as cidades de Ferreiros e Camutanga são atendidas pelo mesmo sistema de abastecimento e cujas fontes de água, duas barragens de nível, tiveram a vazão regularizada com as chuvas. A Compesa passou a fazer a captação 24 horas, por dia, na Barragem de Mucambo, e voltou a retirar água da Barragem Vundinha. A população de Ferreiros e Camutanga - juntas, somam 16,5 mil pessoas - que antes eram abastecidas com o rodízio de dois dias com água e vinte dias sem, agora são atendidas com um calendário de dois dias com água e oito dias sem.

Com as últimas chuvas que caíram em Chã Grande, na Mata Sul, a Compesa voltou a captar água na Barragem dos Macacos, que está vertendo. Com a retirada de 15 litros de água por segundo deste manancial, somados a mais 15 l/s que são captados na Barragem de Siriquita, em breve, será divulgado um novo calendário de abastecimento para cidade, que hoje é de dois dias com água para 12 dias sem. A Barragem de Banho da Negra que abastece Pombos, também está vertendo, o que possibilitou reduzir o rodízio da cidade de dois dias com água e 28 dias sem, para dois dias com água e cinco dias sem.

As barragens de Água Fria de Cima e Água Fria de Baixo, que atendem Sirinhaém, também atingiram a capacidade máxima de reservação e estão vertendo. Na cidade é realizado o rodízio de 24 horas com água e 48 horas sem. Em Escada, as chuvas regularizaram o nível do Rio Sapocagy, principal manancial que atende a cidade e que estava em pré-colapso. A Compesa voltou a captar água no manancial 24 horas por dia, o que permitiu adotar o novo calendário de abastecimento em Escada, que é de um dia com água e um dia sem. 


Compesa firma parceria para aumentar a oferta de água para as cidades Afrânio e Dormentes

por Redação Nossa Voz 29 de Maio de 2017 às 08:59
categoria: Cotidiano

Para aumentar em 20% a oferta de água para as populações de Afrânio e Dormentes, no Sertão do São Francisco, a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) vai iniciar uma obra para duplicar a Adutora Maria Tereza Coelho, responsável pelo abastecimento das duas cidades. A ação vai beneficiar 25 mil pessoas em Afrânio e Dormentes, e também nos Distritos de Rajada e Pau Ferro, comunidades localizadas na zona rural de Petrolina. As intervenções serão iniciadas, no dia 30 de maio, por meio de uma parceria firmada entre a companhia e as prefeituras de Afrânio e Dormentes.

A Compesa vai investir R$ 400 mil para a aquisição de tubulações e custos com mão-de-obra para executar os serviços de implantação e interligação da adutora, enquanto que as prefeituras disponibilizarão retroescavadeiras. A obra consiste na implantação de 3.500 metros de adutora (250mm) para permitir a duplicação da Adutora Maria Tereza e tem previsão de ser concluída no final do mês de junho deste ano.


Fernando Bezerra Coelho cumpre agendas em Petrolina ao lado de Miguel Coelho e Fernando Coelho Filho

por Redação Nossa Voz 29 de Maio de 2017 às 08:56
categoria: Política

O senador Fernando Bezerra Coelho (PSB-PE) passa o final de semana em Petrolina, onde participa de uma série de agendas políticas e institucionais. Na sexta ele dialogou com lideranças da região e gestores públicos. Fernando Bezerra recebeu em seu escritório político o ex-prefeito de Belém do São Francisco, Gustavo Caribé (PSB), o vereador petrolinense Gilberto Melo (PR) e o vereador de Salgueiro, André Cacau (PT).

Membro titular da Comissão Mista Permanente Sobre Mudanças Climáticas (CMMC), o senador conversou com o chefe geral da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) para a região do semiárido, Carlos Gama, e com a pesquisadora Francislene Angelotti. Eles convidaram o senador para participar do 5º Simpósio Brasileiro de Mudanças Climáticas e Desertificação (Simud), que irá ocorrer entre os dias 14 e 18 de agosto, nas cidades de Petrolina e Juazeiro. O simpósio será realizado simultaneamente ao XX Congresso Brasileiro de Agrometeorologia.

Durante a noite, Fernando Bezerra foi à abertura do São João nos bairros, acompanhado do prefeito Miguel Coelho e do ministro das Minas e Energia Fernando Coelho Filho. A inciativa da gestão municipal é democratizar festa, levando atrações e movimentando o comércio por toda a cidade.

No sábado pela manhã, o senador, o prefeito e o ministro participaram de ação do programa “Novo Tempo na Saúde”. Eles visitaram a unidade de Atendimento Médico Especializado (AME) do bairro Pedra Linda. Eles conversaram com profissionais da área de saúde e usuários do sistema público, que elogiaram os esforços da atual gestão para garantir mais eficiência no atendimento e realização de exames. Na sequência, Fernando Bezerra Coelho e o prefeito vistoriaram a obra da ciclofaixa na cidade.


Governo de Pernambuco decreta Calamidade em 13 municípios da Mata Sul

por Redação Nossa Voz 29 de Maio de 2017 às 08:47
categoria: Cotidiano

Após o grande volume de chuva que atingiu municípios do Agreste e da Zona da Mata Sul de Pernambuco, o governador Paulo Câmara reuniu, na manhã deste domingo (28.05), no Palácio do Campo das Princesas, o secretariado e as forças operativas para monitorar a situação e planejar  as diretrizes no esforço de conter os impactos das enchentes dos municípios afetados. Diante da situação, o gestor estadual decretou, por meio de publicação em edição extraordinária do Diário Oficial,Calamidade em 13 cidades e a instalação, em cada um dos municípios, de gabinete de crise. São eles: Belém de Maria, Palmares, Amaraji, Maraial, Ribeirão, Cortês, Barra de Guabiraba, São Benedito do Sul, Rio Formoso, Catende, Água Preta, Jaqueira e Barreiros.

“Estamos imbuídos de realizar o monitoramento em tempo integral das cidades atingidas pelas chuvas. Vamos tomar as medidas necessárias para que os prejuízos e o sofrimento da população sejam minimizados com o trabalho que já está iniciado e com o que estamos planejando. O gabinete de crise está sendo instalado nas 13 cidades em estado de Calamidade para dar as respostas e os alertas necessários a toda a população atingida”, afirmou o governador Paulo Câmara, que sobrevoou, à tarde, as principais atingidas.

O gabinete de crise é um local que conta com o apoio da Defesa Civil, do Corpo de Bombeiros e de todas as equipes do Governo do Estado, visando concentrar as demandas dos municípios de forma a desburocratizar o atendimento aos moradores. “É um escritório para concentrar demandas que serão reportadas ao Recife para que as secretarias responsáveis proponham diagnósticos e soluções sob o comando do governador Paulo Câmara”, esclareceu o secretário de Planejamento e Gestão, Márcio Stefanni.

Paulo também afirmou que 200 homens já foram enviados para os municípios, tanto do Corpo de Bombeiros, quanto da Defesa Civil do Estado e que irão se juntar às corporações municipais. “Os 200 homens vão continuar na região da Mata Sul enquanto for necessário. Caso seja preciso deslocar mais militares, isso será feito ao longo das avaliações, que serão permanentes”, afirmou.

O trabalho humanitário também já está sendo realizado com a entrega de mantimentos nos municípios. “A Codecipe (Coordenadoria de Defesa Civil do Estado de Pernambuco) já enviou dois caminhões com colchão, lençol, travesseiros, fronhas. Também estamos enviando lonas plásticas, que são bastante demandadas em momentos como esse”, ressaltou. Os kits de alimentação, conforme informou Paulo, serão remetidos para os municípios tão longo fiquem prontos.

Ainda entre as ações que estão sendo realizadas, está o monitoramento de todos os reservatórios por meio da Companhia Pernambucana de Abastecimento (Compesa), para avaliar a necessidade de abertura ou não de comportas; o deslocamento de duas aeronaves sobrevoando as áreas de risco; o levantamento da situação dos acessos e estradas, através de engenheiros do Departamento de Estradas e Rodagens de Pernambuco (DER-PE) e secretaria de Habitação (Sechab); disponibilização de prédios públicos para servirem de abrigo; deslocamento de três equipes de saúde para a Mata Sul.

Em comparação com as fortes chuvas que ocorreram em 2010, atingindo grande parte da Mata Sul, Paulo pontuou que a situação atual é ainda mais grave. “A chuva de 2010, que trouxe tanta destruição, em três dias correspondeu a 180 milimetros (mm). As fortes chuvas que se iniciaram na última sexta-feira, já atingiram 140mm, ou seja, com mais intensidade”, comparou, ressaltando que, embora a situação atual seja mais grave, temos muitos equipamentos preservados, em virtude de planejamento e de preparação, tanto das informações meteorológicas quanto dos investimentos já realizados”.

SERRO AZUL - O governador destacou, ainda, que a construção da barragem de Serro Azul, localizada em Palmares, evitou estragos maiores. “O esforço de conclusão de Serro Azul já mostra alguns efeitos, junto com todo o trabalho da Operação Reconstrução de 2010. Temos, hoje, a preservação de casas, escolas e hospitais que já foram construídas em locais adequados para evitar um dano maior”, afirmou. A barragem de Serro Azul tem um reservatório com capacidade de acumulação de 303 milhões de metros cúbicos (m³) e, até agora, recebeu 48 milhões de m³.

APOIO – O Governo do Estado também solicitou apoio do Governo Federal, por meio dos ministérios da Cidade e da Defesa. Diante da situação de calamidade, o presidente da República, Michel Temer,  virá a Pernambuco. Para tanto, o governador Paulo Câmara está preparando o material que entende como fundamental e necessário para apresentar ao Governo Federal. " Um dos pontos é com relação aos recursos dos convênios já formalizados, para que possamos finalizar outras barragens e obras que precisam ser concluídas para evitar fatos como esse ocorram novamente”, afirmou Paulo Câmara.



Fotos: Aluisio Moreira/SEI