| Última edição: 22/12/20 - 14:44

Home Notícias Coronavírus Pernambuco adia flexibilização do plano de convivência para o setor de eventos

Pernambuco adia flexibilização do plano de convivência para o setor de eventos

Compartilhe:

Para a semana que vem, ao contrário do previsto, não haverá flexibilização no setor, o que significa que eventos com mais de 300 pessoas permanecem proibidos no estado. De acordo com Schwambach, a decisão foi tomada para evitar que Pernambuco tenha que retomar medidas mais restritivas quanto ao funcionamento das atividades.

Foto: Ashlley Melo/ SEI

Ainda de acordo com o secretário, o estado deve intensificar ações de comunicação e conscientização das pessoas sobre a manutenção das medidas de distanciamento e higiene. Além disso, haverá um fortalecimento das ações de fiscalização, para punir possíveis irregularidades.

Também presente na coletiva, o secretário de Saúde de Pernambuco, André Longo, descartou a necessidade de abertura de novos hospitais de campanha. “É preciso destacar que nós não vemos ainda números que configurem uma expansão no número de casos graves”, disse. Para suprir a necessidade atual, o governo deve focar na expansão do número de leitos em hospitais já em funcionamento.

Ainda segundo o secretário, grande parte das atuais contaminações tem sido decorrentes de reuniões e encontros entre amigos. Segundo o secretário, a população não deve relaxar quanto aos cuidados com a Covid-19. “Até termos a vacina, somos todos responsáveis pelo controle da doença”, disse.

Sobre os possíveis casos de reinfecção entre pacientes do estado, o secretário afirmou que as amostras colhidas seguem no Instituto Evandro Chagas, responsável pela análise. Ao todo, material de cinco pacientes pernambucanos estão em análise no instituto.

Além dessas amostras, outras nove podem ser encaminhadas ao IEC, caso atendam aos requisitos. Entre os casos, três são de pacientes de Olinda; um do Recife; um de Paulista; um de Fernando de Noronha; um de Santa Cruz do Capibaribe; um de São José do Egito; e um de Petrolina. O resultado das análises deve ser divulgado pelo Ministério da Saúde.(Fonte: Diario de PE)