| Última edição: 22/12/20 - 14:44

Home Notícias Pandemia Pesquisador diz que Petrolina está passando por um segundo pico de contaminações...

Pesquisador diz que Petrolina está passando por um segundo pico de contaminações da Covid-19

Compartilhe:

O município de Petrolina, no Sertão de Pernambuco, ultrapassou na segunda-feira (7) a marca de 10 mil casos confirmados da Covid-19. De acordo com o último boletim divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde, 10.002 pessoas já foram diagnosticadas com a doença. Segundo o professor João Ricardo Lima, coordenador de uma pesquisa realizada pela Faculdade de Ciência Sociais e Aplicadas de Petrolina (Facape), no mês de novembro, a cidade atingiu um novo pico de contaminação.

Foto: Reprodução / TV Grande Rio

“Quando chegou no mês de novembro, a gente consegue observar uma nova retomada. Teve semana de chegar a ter mais de 600 casos. O que mostra que a gente está passando por um segundo pico de quantidade de casos na cidade”, afirma.

O pesquisador lembra que o primeiro pico de contaminação em Petrolina aconteceu entre o final do mês de julho e a primeira semana de agosto. “Depois disso, os casos começaram a reduzir”. Para o professor, a retomada no aumento de casos está relacionada ao crescimento de aglomerações pela cidade.

“A hipótese que a gente tem trabalhado, é que está acontecendo na cidade grandes aglomerações. Não é porque as pessoas estão se isolando menos, mas as pessoas que saem do isolamento elas estão se aglomerando. Possivelmente, isso está relacionado as pessoas que são mais jovens”, diz o pesquisador.

Até o momento, segundo dados da Secretaria Municipal de Saúde, Petrolina registrou 133 mortes em função da Covid-19. Os jovens são minoria entre as vítimas. Segundo o professor João Ricardo, esses dados aparentam um certo relaxamento por parte dessa camada da população.

“A gente fez um perfil sobre as pessoas que vinham a óbito, e percebe que a quantidade de jovens que vinham a óbito é muito pequena. Então, essas pessoas parecem que perderam o medo da pandemia, eles estão se aglomerando e isso tem causado um aumento de casos na cidade”, alerta.

João Ricardo Lima destacou que a taxa de mortalidade da Covid-19 em Petrolina é pequena. No entanto, o professor da Facape reforçou a importância das pessoas continuarem a se proteger do vírus.

“Felizmente, a taxa de mortalidade na cidade ela é considerada baixa, ela é entorno de 1,3%. Ela é a metade da taxa nacional e ela é um ¼ da taxa estadual. Contudo, isso não significa que se deva relaxar. Deve-se continuar tomando todas as medidas de prevenção para frear o avanço da pandemia em nossa cidade”.

Dos 10.002 casos confirmados em Petrolina, 7.718 pessoas conseguiram vencer a Covid-19, além das 133 vítimas. Esses números mostram que o município ainda tem 2.151 casos ativos da doença. A taxa de ocupação dos leitos de UTI, segundo a Secretaria de Saúde, está em 54,54%.

Com a aproximação das festas de Natal e ano novo, o professor João Ricardo teme que haja um aumento nas aglomerações, o que ocasionaria na alta no número de casos.

No final de novembro, a prefeitura de Petrolina informou que não realizaria a tradicional festa de réveillon na Orla da cidade, justamente para conter o avanço da Covid-19. Na segunda-feira, o governo de Pernambuco também anunciou o cancelamento das festas de Natal e ano novo em todo o estado.

Até o momento, o estado de Pernambuco contabiliza 191.161 casos confirmados da Covid-19. O número de mortes chegou a 9.170. (Fonte: G1/Petrolina)