asdasdasdasd

Câmara de Petrolina: viagem rende polêmica de suposto tratamento diferenciado

por Simone Marques 3 de Abril de 2019 às 10:28
categoria: Polêmica

Hoje (02) na Câmara de Vereadores de Petrolina-PE foi dia da apresentação do relatório da visita técnica da Comissão Parlamentar, que esteve em Brumadinho-MG. O objetivo era falar das consequências do rompimento da barragem no Rio São Francisco. Mas a imprensa estava de olho era nos bastidores, onde estava sendo questionada outra viagem. É que na última quinta-feira (28), a maioria dos vereadores de Petrolina embarcou para Gravatá-PE para participar do Congresso e da eleição da União dos Vereadores de Pernambuco (UVP).

Para começar, o vereador Ronaldo Silva (DEM), reclamou da organização da eleição. “O que eu não concordei foi a forma de organização e de igualdade para todos. O presidente aproveitou o congresso e fez a eleição da UVP, ele sendo candidato novamente, e não deu tempo nem das outras câmaras se organizar para montar uma chapa. (…) Quando nós chegamos lá no hotel, já tinham muitos vereadores e eu percebi vereadores com uma pulseira, daquela de festa, branca e outra cor de rosa. (…) E eu fui procurar saber o que é que significava aquilo”, contou.

Ainda segundo Ronaldo Silva, muitos vereadores tiveram as diárias pagas pelo candidato a reeleição da UVP, Josinaldo Barbosa. “Pra fazer a politicagem dele, ele bancou com o dinheiro da UVP a hospedagem de outras Câmaras de Vereadores”, denunciou.

Ainda segundo o vereador, a vereadora Maria Elena, que é 1º secretária da chapa eleita na UVP, recebeu a pulseira rosa e teve serviço diferenciado no hotel. “Eu não tava defendendo diária porque eu tinha o dinheiro da minha diária no bolso. Não só eu, como ela (Maria Elena) também que não pagou nada, ela foi uma das contempladas”, afirmou o vereador.

Após das declarações, a vereadora Maria Elena explicou a polêmica das pulseiras cor de rosa.”Eu paguei R$756, o equivalente a três diárias. A pulseira rosa deve direito a café da manhã e almoço e a pulseira branca, pra quem pagava menos, dava direito só ao café da manhã. (…) Nós fomos com diária da Câmara (…) E eu nem ventilei essa possibilidade de UVP pagar diária para mim, me poupe”, explicou Maria Elena.

O vereadora ainda chamou de leviana a declaração do vereador Ronaldo Silva, mas (em tom de descontração) deixou claro que a relação dela com o colega de bancada não foi abalada pelo episódio. “Da minha parte não tem nada. Zerou!”, finalizou Maria Elena.