asdasdasdasd

Deputado lamenta retenção de emenda destinada a Apami e confronta governador: “Não tem o dinheiro para repassar”

por Karine Paixão 10 de Janeiro de 2018 às 19:05
categoria: Polêmica

 

 

 

Depois de ouvir o motivo relatado pela Secretaria Estadual de Saúde para não repassar as emendas dos parlamentares da região para a Apami e por consequência para o Hospital Dom Tomás, o deputado federal Adalberto Cavalcanti fez questão de participar do programa Nossa Voz na manhã desta quarta-feira (10) para dar o seu diagnóstico. Em nota a SES explicou os recursos “foram destinados à Secretaria Estadual de Saúde via Ministério da Saúde (MS) por transferência fundo a fundo. No entanto, é pertinente informar que o MS, através da Portaria N° 3134 de 2013, não permite a transferência destes recursos para unidades que não estejam vinculadas diretamente à Secretaria Estadual de Saúde”. Para Cavalcanti essa seria uma “conversa para boi dormir” já que acredita que o governador Paulo Câmara investiu o dinheiro em outra região, desprestigiando Petrolina. 

“O governador não tem respeito com a população de Petrolina. É lamentável dizer que esse dinheiro não pode ser repassado, porque chegou em março do ano passado, R$ 1,5 milhão fora o dinheiro de Fernando Bezerra que foram  R$ 4 milhões, ou seja R$ 5,5 milhões estão lá parados. E a gora ele vem dizer que não pode (fazer o repasse). Isso é conversa para boi dormir, ninguém aceita isso. O povo está irritado com esse governador, que está com falta de respeito com a nossa região”, disparou. 

Aproveitando a deixa, o deputado cita outros setores que estariam sendo negligenciados pela gestão de Câmara. “A Compesa faz vergonha, as estradas fazem vergonha, a segurança faz vergonha. Aí o governador vem dizer que não tem dinheiro. As estradas em todos os cantos estão paradas por falta de recurso”.  Adalberto cobra inclusive humildade de Paulo Câmara em admitir que gastou o recurso destinado ao Hospital Dom Tomás e por isso camuflaria a retenção das emendas em uma protaria do Ministério da Saúde. “Ele tem que ter a humildade de dizer que não tem dinheiro para repassar, que gastou o dinheiro que os parlamentares, eu e o senador colocamos. Mais de  R$ 5 milhões e ele vem dizer que não pode. Ele tem que mostrar inclusive a pessoa que foi no meu gabinete dizendo que poderia tranquilo repassar o dinheiro para a secretaria que o governo repassaria no mesmo mês e até hoje não repassou. Ele tem que ter humildade em dizer que não tem o dinheiro para repassar”. 

Ao demonstrar sua revolta com a situação, Cavalcanti atacou o deputado estadual Lucas Ramos, que teria sido o porta-voz do governo sobre o pagamento de parte da dívida que SES tem com o financiamento da unidade, direcionada para o tratamento de pacientes com câncer na região. “Teve deputado estadual que ligou para dr. Augusto para dizer que estava solucionado ontem, que o dinheiro seria repassado. Hoje a conversa foi diferente. Hoje o deputado Lucas ligou ontem para dr. Augusto dizendo que tinha ido falar com o governador pessoalmente e tinha sido ouvido e hoje chega essa conversa de que não pode. Ele tem que ter humildade de dizer que não tem e gastou o dinheiro em outra região em Arcoverde, gastando o dinheiro não sei aonde, um dinheiro que não é dele. É lamentável essa situação”.