asdasdasdasd

Sobre falta de água em Petrolina, Presidente da Compesa diz que Chesf priorizou apenas a geração de energia

por Redação Nossa Voz 12 de Março de 2018 às 09:14
categoria: Polêmica

Após uma polêmica envolvendo a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) e a Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf) com a redução da vazão do Lago de Sobradinho e a interrupção do fornecimento de água no município, o presidente da Compesa, Roberto Tavares, explicou que o “abastecimento humano deve ser prioridade”. Cerca de 35% da população petrolinense teve o serviço corrompido.

Abastecimento de pessoas ou geração de energia?

Em entrevista ao programa Nossa Voz na manhã desta segunda-feira, dia 12, Tavares explicou que “o Brasil está passando por uma crise hídrica muito grande e houve realmente uma redução […]”, entretanto ele ressalta que a Companhia não estava preparada para a redução momentânea que chegou aos 550 metros cúbicos/segundo de vazão. Ele ainda alega que a Chesf não fez a notificação com antecedência. Para diminuir os prejuízos, diz o presidente, a Compesa realizou diversos ajustes, mas deixou um alerta. De acordo com ele, a geração de energia não pode sobressair o abastecimento humano.

“Estamos preparados para 550 metros cúbicos/segundo. Se baixar, vai afetar a captação de água […]. Nós temos que discutir que a geração de energia não pode ficar na frente do abastecimento humano”, afirmou. De acordo com o presidente, é preciso que a vazão seja elevada para 600 metros cúbicos/segundo e que entrará em contato com representantes da Chesf e da Agência Nacional de Águas (ANA).