asdasdasdasd

Ronnie Lessa, preso pela morte de Marielle Franco, é indiciado por tráfico internacional de armas

por Redação Nossa Voz 13 de Julho de 2020 às 10:52
categoria: Policial

A Delegacia Especializada em Armas, Munições e Explosivos (Desarme) indiciou por tráfico internacional de armas o PM reformado Ronnie Lessa -- preso e acusado pelos homicídios de Marielle Franco e seu motorista Anderson Gomes.

Segundo o delegado Marcus Amim, titular da delegacia, Ronnie traficava armas dos Estados Unidos desde 2014 com a ajuda da filha. Mohana Figueiredo morava nos EUA e também foi indiciada.

"Até pouco tempo antes de ser preso, ele estava praticando essa atividade", explicou Amim.

Com a apreensão de telefones celulares no dia da prisão de Lessa, a Delegacia de Homicídios (DH) e Ministério Público começaram a analisar conversas e arquivos. Os relatórios foram enviados para a Desarme, que instaurou um novo inquérito para apurar o tráfico internacional de armas.

De acordo com os investigadores, peças e acessórios eram adquiridos em sites de venda de armas e em países como China, Nova Zelândia e Estados Unidos. De lá, eram mandados para o Rio de Janeiro.

Diálogos no WhatsApp

Uma conversa de 13 de agosto de 2018, pelo Whastapp, chamou a atenção dos analistas. No trecho, Mohana envia ao pai a foto de uma peça de fuzil.

Na troca de mensagens, a Desarme encontrou ainda uma orientação de Lessa à filha. “Escreve ‘metal parts’ [peças de metal]”. A polícia acredita que essa descrição do que estava sendo mandado para o Brasil era uma forma de burlar a fiscalização.

Fonte G1

Imagem Reprodução/JN