asdasdasdasd

Contas de Julio Lossio podem ser votadas antes do recesso parlamentar e movimenta Câmara de Vereadores de Petrolina

por Redação Nossa Voz 13 de Dezembro de 2017 às 08:55

As contas do ex-prefeito Julio Lóssio podem ser votadas antes do recesso parlamentar na Câmara de Vereadores de Petrolina. A informação foi confirmada pelo presidente da comissão de finanças Ronaldo Silva.

Ele ainda revelou à nossa reportagem que diante da indisponibilidade do ex-prefeito em assinar o documento dando ciência da tramitação do processo nas comissões parlamentares competentes, a notificação foi feita através do diário oficial do município.

E com toda essa expectativa, duas informações de bastidores estão fervendo a tramitação desse parecer que está sendo finalizado pela Comissão de Finanças da Câmara de Petrolina.

A primeira dá conta de que o prefeito de Petrolina Miguel Coelho está constantemente se reunindo com os vereadores da sua base e cobrando a adesão dos parlamentares à rejeição das contas de Julio Lóssio. Tal posicionamento tem causado desconforto aos vereadores que estão em cima do muro e não declararam abertamente de lado estão na Casa Plínio Amorim, a exemplo do vereador Elismar Gonçalves.

Para a rejeição é necessário angariar 16 votos, ou seja, maioria absoluta da casa que precisa ir de encontro ao parecer do Tribunal de Contas do Estado que aprovou as contas de Lóssio com ressalvas.

E a segunda informação bombástica diz respeito aos vereadores situacionistas Ruy Wanderley e Edilsão do Trânsito. Os dois estariam emplacando uma licença da Câmara Municipal justamente para não participar dessa votação jogando o abacaxi nas mãos dos seus suplentes.

Questionado se estaria insatisfeito com o prefeito Miguel Coelho, Ruy limitou-se a responder apenas isso aí: “Quando tem alguma coisa me incomodando, eu vou direto no prefeito e falo”, limitou-se.

Para bom entendedor, meias palavras bastam! 

Karine Paixão 


Lei para reformulação de conselho causa polêmica e oposicionista afirma que comissões são fictícias

por Karine Paixão 13 de Dezembro de 2017 às 07:49



Enviado a Câmara de Petrolina em regime de urgência urgentíssima na sessão desta terça-feira (12), o Projeto de Lei nº 033/2017 de autoria do Poder Executivo dispõe sobre o Conselho Municipal do Meio Ambiente, que será composto por 23 membros e deve deliberar sobre as questões ambientais em Petrolina  junto a Agência Municipal de Meio Ambiente. Mas um equívoco na proposta enviada pela Prefeitura de Petrolina e corrigida através de uma emenda do próprio Executivo ao projeto com revogação da Lei nº 1599/2004 gerou polêmica entre as bancadas de situação oposição e criticas até de integrantes da bancada de situação. 

Ronaldo Cancão, que é presidente da Comissão de Justiça e Redação e que deu parecer favorável ao projeto mesmo identificando o equívoco, reforçou que não é possível fazer revogação de Lei através de uma emenda aditiva. Mesmo assim foi favorável ao projeto. “Eu quero fazer uma crítica ao governo e posso fazer. Não se pode mandar um projeto e depois ter emenda. Significa que não teve uma atenção especial a Lei 1.599. Quando a gente a gente não tem uma certa experiência a gente pede a quem tem uma certa experiência para orientar. Eu já disse ao procurador que nenhuma Lei pode chegar a essa casa sem dizer, não uma justificativa, mas no cabeçalho da Lei que tem que revogar uma Lei anterior. Aqui se altera a Lei 1599, que inclusive ela já altera a Lei nº 692/96, é a terceira alteração na Lei do Conselho do Meio Ambiente. O prefeito melhora quando altera a quantidade de componentes de 25 para 23 e inclui o IF que tem um trabalho com o Meio Ambiente e além dele tem membros da associação imobiliária, além disso um dirigente da CDL e um representante da Federação da Indústria do Estado de Pernambuco. Então fica aqui essa minha observação e eu costumo observar pra depois corrigir. Já houve aqui uma falha, onde se coloca uma emenda num projeto que chega alterando a Lei. Vai ter o meu voto, a Lei nova ela melhora. Mas fica aqui a minha observação”, se posicionou Cancão. 

Para o líder da oposição, Paulo Valgueiro, a falta de experiência do governo de Miguel Coelho tem provocado equívocos e há falta de humildade da equipe em buscar informações com os mais experientes. Valgueiro também bate forte na atuação das comissões permanentes que dão pareceres favoráveis por não analisar as propostas enviadas e dizer amém ao que é enviado pela Prefeitura de Petrolina. “Infelizmente tem sido uma prática comum. Todos os projetos com exceção das Leis Orçamentárias, todos os projetos que tem vindo do executivo tem vindo com urgência urgentíssima e isso faz com que não haja uma tramitação normal, fica uma tramitação às pressas, praticamente na hora que chega já é colocado em votação. A gente tem que esquecer os palanques políticos, a prepotência de alguns que estão governando, a arrogância de alguns que estão governando e buscar somar e não o projeto vir errado do Executivo e a Câmara de se tornar uma batedora de carimbo, em vereadores lagartixas que dizem amém a tudo”.  A bancada de oposição se absteve de votar a proposta que foi aprovada pelos demais parlamentares. 

O vereador Ronaldo Silva, que é relator da comissão de Justiça e Redação, não há prejuízos para a população petrolinense com a aprovação da matéria, ao contrário, vai destravar obras paralisadas na cidade. Ele também atestou a regularidade das reuniões e análise de projetos pelas comissões as quais faz parte. “Eles não podem dizer que há reunião das comissões. Eles não participam, não fazem parte das comissões e não tem que participar. A AMMA precisa desse conselho e a provação precisa ser de urgência urgentíssima porque tem muitas obras paradas na cidade aguardando esse conselho”, ponderou. 


Paulo Câmara reage a críticas do Movimento Pernambuco Quer Mudar

por Adriana Rodrigues 12 de Dezembro de 2017 às 13:41
categoria: Polêmica

Depois que o grupo de oposição ao governo de Pernambuco lançou nesta segunda-feira (11), um Movimento para concorrer às eleições de 2018 e tecer duras críticas à atual gestão do Governo de Pernambuco, o Governador Paulo Câmara (PSB) reagiu ao manifesto apresentado pela oposição.

Para o socialista, o grupo está fazendo “politicagem” antes do tempo. “Não é momento de estar fazendo campanha política, eu acho que não é momento da gente buscar, diante de tantas dificuldades, oportunismo político para questões que são tão sérias”, disse o Governador, na noite desta segunda-feira (11).

Uma das críticas feitas pela oposição foi a questão da segurança. Durante solenidade ontem à noite na Assembleia Legislativa do Estado, o governador comentou o assunto. “Eu nunca fugi desse debate, pelo contrário. Se quiser contribuir, será muito bem ouvida. Agora, não contribui. Falar que os homicídios estão altos, eu falo todo dia. Falar que está tendo muitos roubos, furtos, roubos, eu falo todo dia. Agora, nos últimos três meses, a gente deu respostas importantes. Por que o nosso planejamento está bem feito”, falou Paulo Câmara, acrescentando números de contratações de policiais civis e militares. (Com informações do JC online)

 


Grupo das oposições lança movimento para mudar Pernambuco

por Gabriela Canário 12 de Dezembro de 2017 às 08:57
categoria: Política

As principais lideranças de oposição no estado lançaram, nesta segunda (11), o movimento “Pernambuco Quer Mudar”. O ato reuniu quase duas mil pessoas numa casa de recepções no Recife Antigo. À frente do evento os senadores Armando Monteiro (PTB) e Fernando Bezerra Coelho (PMDB), os ministros Fernando Filho (sem partido) e Mendonça Filho (DEM), o deputado federal Bruno Araújo (PSDB) e os ex-governadores Joaquim Francisco e João Lyra Neto (PSDB), entre outros líderes. Essa agenda foi a primeira de uma série que será realizada nos próximos meses. A proposta é percorrer todas as regiões do Estado, já a partir de janeiro, iniciando por Petrolina, no Sertão. O objetivo é ouvir as pessoas e recolher propostas que possam compor uma futura plataforma de trabalho.

As sugestões recolhidas servirão de base para que o movimento possa apresentar à sociedade alternativas à atual gestão, contemplando ações que reestruturem a economia, a segurança pública, a saúde, infraestrutura, entre outras áreas, garantindo ao poder público a capacidade de transformar a vida das pessoas. O evento reuniu mais de 45 prefeitos, centenas de vereadores, além de deputados federais e estaduais, representantes de partidos políticos, militantes, profissionais liberais e sindicalistas. Todos reafirmaram o compromisso com a mudança de rumos em Pernambuco, que nos últimos três anos viu sua economia encolher, a criminalidade aumentar e hoje lidera a taxa de desemprego no Brasil.

“Temos um roteiro, temos a alternativa, temos homens testados nas lutas e nas urnas e que compreendem o quanto é necessário construir esperança nessa hora. Uma reunião desse tipo, com essa multiplicidade de lideranças mostra que estamos construindo uma engenharia de uma grande obra social e econômica. Estamos aqui porque temos crença de que Pernambuco precisa mudar e vai mudar", afirmou o ex-governador Joaquim Francisco. “O que estamos vendo aqui é que Pernambuco quer mudar. Não estamos vivenciando nenhuma convenção, não estamos anunciando nenhum candidato, mas nunca houve na história de Pernambuco o início de um movimento político com tantas lideranças. Isso significa que todas as regiões de Pernambuco vão nos unir para colocar Pernambuco no seu devido lugar, para fazer o estado restabelecer sua liderança nacional”, frisou ex-governador João Lyra Neto.

Deputado federal no terceiro mandato e ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho destacou a perda de competitividade do estado nos últimos três anos, quando Pernambuco investiu menos que Bahia e Ceará. “Nós temos agora é que construir o daqui pra frente, de forma diferente. Não temos medo do debate, não temos medo de defender as ideais em que acreditamos”, disse. Para o deputado federal e ex-ministro das Cidades Bruno Araújo, esse é um dos movimentos mais consistentes, expressivos e fortes da história de Pernambuco. “Encerrou um ciclo. Pernambuco parou nos últimos três anos. Não que não tenha crise, mas a crise precisa ser enfrentada com coragem. O pernambucano é firme e não se acomoda nas situações difíceis. Vamos andar todo o estado e apresentar um novo projeto”.

Com 35 anos de vida pública, o senador Fernando Bezerra Coelho destacou a força das oposições em Pernambuco e afirmou que o próximo governador deverá sair deste campo político. “Eu vejo aqui e sinto no meu coração o sentimento das ruas, que vem do nosso povo. Pernambuco quer e vai mudar. Vamos virar a página de um ciclo político que já se esgotou”. O ministro da Educação Mendonça Filho reforçou a necessidade de mudar, diante de um governo que frustrou a maioria dos pernambucanos. Ele acrescentou que a definição da chapa irá ocorrer no momento oportuno. “Não nos reunimos para definir quem será o candidato a governador ou senador, mas para dizer que percebemos o sentimento do povo pernambucano. Sentimento de basta à incompetência, à arrogância e à omissão. Pernambuco precisa construir um novo rumo”.

Encerrando o ato, o senador Armando Monteiro convocou todas lideranças e forças políticas do estado a construir um projeto que recoloque Pernambuco no caminho do crescimento. “Vivemos tempos de mediocridade no estado, de um experimento que não deu certo. Convoco a todos para que, juntos, possamos construir um novo projeto. Esse é um projeto que está aberto para todas as forças que têm compromisso com Pernambuco. Quem quiser, vai ser muito bem recebido”, concluiu.


Temer se reúne nesta terça com empresários em novo esforço para aprovar reforma da Previdência este ano

por Gabriela Canário 12 de Dezembro de 2017 às 08:52
categoria: Política

Em mais um esforço para aprovar ainda este ano a reforma da Previdência na Câmara, o presidente Michel Temer se reúne, nesta terça-feira (12), com lideranças empresariais. De acordo com o blog do Valdo Cruz,no encontro, mais de 150 lideranças empresariais deverão manifestar apoio à reforma. O grupo quer conversar com deputados para que a proposta seja votada logo.

Ainda segundo o blog, entre as entidades que confirmaram presença estão a CNI (Confederação Nacional da Indústria), Fiesp (Federação da Indústria do Estado de São Paulo), Fierj (Federação da Indústria do Estado do Rio de Janeiro), CBIC (Câmara Brasileira da Indústria da Construção Civil) e a Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores).

Temer disse no domingo que ainda via possibilidade de a reforma ser votada neste ano, mas que também havia chance de o tema ficar para 2018.

Em outra frente, Temer pressiona ministros pela liberação de recursos aos parlamentares numa tentativa de angariar votos. De acordo com o blog da Andréia Sadi, o presidente pediu aos ministros Alexandre Baldy (Cidades), Helder Barbalho (Integração Nacional) e Dyogo Oliveira (Planejamento) que acelerem as pendências relacionadas às respectivas pastas para atender aos parlamentares.

Na semana passada, em evento da indústria química em São Paulo, o presidente Michel Temer pediu apoio aos empresários para convocar deputados ligados ao setor para votarem a favor da reforma.

Solicitou aos empresários que façam uma "força-tarefa" e liguem para os deputados pedindo votos. "É preciso que os senhores saiam a campo: conhece um deputado, liga para ele", defendeu. "Faz uma força-tarefa", disse.

Temer ressaltou que a reforma interessa especialmente ao setor empresarial. "Com toda franqueza, vejo os amigos empresários, a quem realmente interessa a reforma da Previdência, nos dizendo 'nós somos a favor'. Mas mais do que a favor, eu gostaria de pedir a vocês: saiam em uma frente de trabalho. Porque nós temos nesta semana, marcado agora para 18 ou 19, a votação. Os senhores todos que tiverem contato com os colegas, amigos deputados, senadores, que tanto ajudaram o governo, podem convencer desses argumentos", afirmou o presidente.

Nesta segunda-feira, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse que há "uma grande possibilidade" de que a discussão sobre a reforma da Previdência comece nesta quinta-feira (14) no Congresso e que a proposta seja votada na Câmara na semana que vem.

"Nesta quinta as chances (de votar) não são elevadas. Existem, mas são baixas. Agora existe uma grande possibilidade de iniciar-se a discussão formal e ser votada na próxima semana", disse.

Mais cedo, na segunda-feira, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia,chegou a afirmar que havia dificuldade em votar a reforma ainda neste ano. Meirelles comentou a declaração do deputado e disse que “compete a ele ser realista como todos nós".

Recesso

O governo corre contra o tempo para conquistar os votos que ainda faltam. O recesso parlamentar no Congresso começa oficialmente no dia 22 de dezembro e vai até fevereiro.

Votar a Previdência em 2018 é considerado mais difícil, por se tratar de um ano eleitoral. Além de precisar de 308 votos dos 513 deputados em dois turnos na Câmara, o texto ainda precisa passar pelo Senado. O governo teria uma vitória se o tema precisasse ser analisado só pelo Senado em 2018.

Proposta em análise

Buscando facilitar a aprovação da reforma, o governo apresentou recentemente uma nova versão da proposta, mais enxuta, que estabelece um tempo mínimo de contribuição 10 anos menor para trabalhadores do INSS em relação aos servidores públicos e poupa todos os trabalhadores rurais.

A proposta ainda está em discussão e deve passar por votações no Congresso. Por promover uma mudança na Constituição, ela só entra em vigor se for aprovada por pelo menos 308 deputados em dois turnos de votação na Câmara e mais em dois turnos no Senado.

G1


Fernando Bezerra diz que Manifesto contra Governo do Estado é para que 'Pernambuco recupere tempo perdido'

por Gabriela Canário 11 de Dezembro de 2017 às 08:47

O bloco de oposição ao governador Paulo Câmara vai se reunir hoje, às cinco da tarde, no Arcádia do Paço Alfândega, em Recife, para lançar um manifesto, com lideranças de projeção nacional. Em entrevista exclusiva à redação do Nossa Voz, o senador da República Fernando Bezerra Coelho, disse que esse momento é de percepção já que estado perdeu o “ritmo”, precisando recuperar o tempo perdido, com medidas alternativas. Ele falou em desempregos, violência e falta de investimentos, sem deixar de mencionar – é claro - as eleições de 2018.

“É um caminho alternativo para Pernambuco. Estamos convencidos de que existe um sentimento forte, o estado quer trilhar novos caminhos porque ele tem a maior taxa de desemprego do país, reduziu em mais da metade os investimentos públicos, é um dos estados onde ocorre o maior número de crimes violentos. Portanto, Pernambuco perdeu o ritmo e precisa recuperar esse tempo perdido. Então, no próximo ano, o pernambucano vai querer mudar. É o início de uma caminhada que dará a Pernambuco mais investimentos”, destacou o senador.

Rompidos com o Governo do Estado há meses os integrantes do PMDB, PSDB e até do próprio PSB trazem o PDT de Armando, antes aliados ao Partido dos Trabalhadores, para integrar nessa frente política e com isso aguçam a curiosidade do eleitorado sobre a perenidade dessa aliança onde vários nomes almejam despontar na disputa majoritária do próximo ano.


Odacy nega deixar o PT e confiante na candidatura dispara: “Vamos ganhar a eleição em Pernambuco”

por Karine Paixão 8 de Dezembro de 2017 às 13:21
categoria: Política



Depois da repercussão negativa no diretório municipal do PT após a confirmação da sua pré-candidatura ao governo do estado, o deputado Odacy Amorim desmente que sua motivação esteja relacionado ao plano de deixar a legenda ou que esteja a serviço de interesses externos. Em entrevista ao Nossa Voz desta sexta-feira (08) Amorim garantiu que sua história política o credencia, sustentando uma experiência política e projetos para justificar tal proposição. 

“Tivemos uma reunião muito positiva no partido. A nossa pré-candidatura e já, já candidatura se Deus quiser quando definida e homologada no partido, nós vamos apresentar para Pernambuco um projeto. Tenho como filosofia de vida que a forma de mudar a nossa realidade, quem se interessa e acompanha política, é participando dela”, explicou. Nem mesmo as duas derrotas seguidas na disputa pela Prefeitura de Petrolina desmotivam o deputado. “Nossa proposta de ser governador de Pernambuco segue como foi Camilo no Ceará, que era deputado estadual, perdeu a eleição municipal lá em Barbalha duas vezes, teve 9.900 votos para a prefeitura de Barbalha e perdeu. Foi candidato a governador do Ceará e hoje governa aquele Estado”.

Sobre a falta de apoio dos vereadores Cristina Costa e Gilmar Santos, Odacy Amorim relata ter apresentado seu projeto numa renião ocorrida ontem (07). “Ontem eu disse aos vereadores que foi uma atitude, digamos assim, desleal comigo. Porque eu procurei eles, mas a primeira conversa precisava ser com o diretório estadual, até porque essa discussão é instância estadual. Coloquei como meta dia 13 de dezembro para anúncio oficial da minha pré-candidatura e  comuniquei ao partido que ia conversando. Conversei com Marília. Não tem briga, tem projeto. A discussão vai ser quem consegue aglutinar o maior número de forças. Meu sonho é ter coma composição com Marília”. 

O parlamentar nega a especulação de buscar uma desculpa para deixar o Partido dos Trabalhadores. “Não tem nada de verdade, é mentira pura. É especulação generalizada. Estou no Partido dos Trabalhadores e na eleição passada a equipe do diretório não votou em mim para deputado estadual. Votaram em Teresa Leitão. De Cristina, ela votou em Teresa Leitão. Agora, eu entendi naquele momento, (Isabel) Cristina foi para a suplência do Senado e foi feita uma composição, eu entendi”.

Confiante em ser o escolhido pela legenda a qual faz parte, Amorim reforça a necessidade de construção de uma candidatura própria. “O PT tem o PSB que derrubou Dilma e tem do outro lado Fernando que derrubou Dilma e dá sustentação ao governo e tem Dr. Armando que votou contra. Então o melhor caminho para o PT é candidatura própria. Eu entendo a questão da minha caminhada política: fui líder comunitário aos 17 anos, vereador aos 20, vereador, secretário, vice-prefeito, prefeito, coordenei a transposição e a Transnordestina, deputado pelo segundo mandato, fui o mais votado do partido, líder do partido na Assembleia Legislativa e entendo que temos grandes acertos”. 

E o otimismo de Odacy Amorim não se limita apenas a confirmação de sua candidatura: “Quem viver verá e eu peço a Deus vida e saúde para todos nós, nós vamos ganhar a eleição em Pernambuco”, decretou. 


Bancada do PT classifica como tardia e aponta influência externa na pré-candidatura de Odacy ao governo

por Karine Paixão 8 de Dezembro de 2017 às 12:19
categoria: Política

A pré-candidatura do deputado estadual Odacy Amorim a governador de Pernambuco não pegou de surpresa apenas o eleitorado petrolinense. O diretório municipal do Partido dos Trabalhadores também foi surpreendido pela pretensão do parlamentar que teria externado seus planos através da imprensa, sem uma conversa prévia com seus companheiros de partido.

A bancada petista na Câmara de Petrolina inclusive já havia declarado apoio a pré-candidatura da vereadora do Recife, Marília Arraes e seus integrantes afirmam não entender essa proposição de Odacy Amorim. Para o professor Gilmar Santos inclusive, o lançamento da pre-candidatura de Odacy Amorim ao governo é tardia e parece atender a interesses externos de quem visa atrapalhar o processo de escolha do candidato petista para a disputa ao Palácio do Campo das Princesas.

“É um direito do deputado Odacy Amorim apresentar o seu nome, porém, penso que é tarde a apresentação desse nome já que desde julho, agosto vem apresentando o nome dela com visitas a diversos municípios tendo uma resposta da militância muito positiva diferente da pré-candidatura do companheiro Odacy Amorim e que infelizmente chega para gente através da imprensa. Esperamos muito que ele possa rever o posicionamento dele, nos causa estranheza essa pré-candidatura que exige muito mais estrutura de que uma candidatura à Câmara Federal e nos causa muita desconfiança se essa candidatura interessa a quem exatamente”. 

Questionada sobre o tema, a vereadora Cristina Costa sobre  pré-candidatura de Odacy Amorim ao governo, ela também assumiu estar surpresa, revelou ter um encontro marcado com Amorim nesta quinta para ouvir os motivos que levaram o parlamentar a tomar tal decisão e garantiu que se Odacy está buscando uma estratégia para deixar o Partido dos Trabalhadores, que saia pela porta da frente assim como ingressou na legenda. Fiquei surpresa com certeza. Quero saber se partiu dele ou qual é a estratégia que está aí. Nesse momento sou firme com Marília pra governadora de Pernambuco, mas queremos ouvir o deputado Odacy Amorim”. 


Ministro do STF determina quebra de sigilo bancário de Aécio Neves

por Gabriela Canário 8 de Dezembro de 2017 às 08:58
categoria: Corrupção

O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou a quebra do sigilo bancário do senador Aécio Neves (PSDB-MG), de sua irmã, Andréa Neves, e de seu primo Frederico Pacheco. Ele atendeu a pedido do Procuradoria-Geral da República (PGR). Na decisão, divulgada nesta quinta-feira (7), o ministro também retirou o sigilo bancário do ex-assessor parlamentar do senador Zezé Perrella (PMDB-MG) Mendherson de Souza Lima e das empresas Tapera Participações e Empreendimentos Agropecuários Ltda. e ENM Auditoria e Consultoria, ligadas a ele.

Aécio, sua irmã, seu primo e o ex-assessor parlamentar foram denunciados pela PGR por corrupção passiva, lavagem de dinheiro, associação criminosa e tentativa de obstruir investigações. O inquérito é decorrente da delação premiada de Joesley Batista, um dos donos do grupo J&F. O empresário relatou ter pagado, entre 2011 e 2014, pelo menos R$ 60 milhões a título de propina. Entre outras coisas, o dinheiro teria sido utilizado para pagar partidos da coligação do senador em sua campanha presidencial de 2014.

"Consoante apontado pela Procuradoria-Geral da República, faz-se indispensável o acesso a dados bancários e fiscais de pessoas naturais e jurídicas relacionadas às investigações, no período de 1º de janeiro de 2014 a 18 de maio de 2017, a fim de rastrear a origem e o destino dos recursos supostamente ilícitos”, determinou Marco Aurélio Mello.

Em outra decisão divulgada nesta quinta-feira, Marco Aurélio revogou a prisão domiciliar e outras medidas cautelares que pesavam sobre Andréa Neves, Frederico Pacheco e Mendherson de Souza Lima.

Defesa

Em nota, a defesa do senador considerou a decisão do ministro do STF uma medida "natural" e reafirmou que Aécio Neves não cometeu nenhum ato ilícito. Segundo o advogado Alberto Zacharias Toron, os dados bancários e fiscais do parlamentar "sempre estiveram à disposição da Justiça".

"Desde outubro, quando essa decisão foi tomada, a defesa reitera que é uma medida extremamente natural e salutar para confirmar a absoluta correção dos seus atos", diz a nota. 

Agência Brasil 


Ministro anuncia R$ 7,7 milhões para saúde de Petrolina

por Neya Gonçalves 7 de Dezembro de 2017 às 18:34
categoria: Política

O prefeito Miguel Coelho e o ministro da Saúde, Ricardo Barros, anunciam, nesta sexta-feira (08), um pacote de investimentos para Petrolina. Os recursos totalizam R$ 7,7 milhões e serão destinados para a atenção básica e construção de novos equipamentos de saúde na capital do Sertão. A solenidade ocorre, às 17h30, na sede do Samu, e terá a participação também do senador Fernando Bezerra e do ministro de Minas e Energia, Fernando Filho.

Entre as novidades que serão divulgadas durante o ato oficial, estão a construção de um laboratório municipal e de um centro de diagnóstico público em Petrolina. Os investimentos ainda serão empregados para custear os equipamentos municipais da atenção básica e compra de ambulâncias para ampliar o atendimento médico na cidade sertaneja. “É um aporte financeiro de grande importância para Petrolina viabilizado pelas emendas do senador Fernando Bezerra e do deputado Fernando Filho. Com esses recursos poderemos melhorar a saúde municipal e por consequência a qualidade de vida dos petrolinenses”, explica o prefeito Miguel Coelho.