asdasdasdasd

"Estão me jogando fora", lamenta Cícero Freire após PR de Petrolina ir para o comando de Gilberto Melo

por Simone Marques 7 de Fevereiro de 2019 às 18:03
categoria: Política

Após o Vereador Gilberto Melo (PR) ter renunciado a sua cadeira na mesa diretora da Câmara de Petrolina alegando motivos pessoais, agora passou a assumir que abriu mão para na verdade assumir a liderança do PR de Petrolina.

De acordo com o vereador, os motivos da renuncia seria mesmo para que assumisse a presidência do PR de Petrolina e a liderança do partido na Casa. Gilberto esclareceu que o líder estadual do PR, Anderson Ferreira, fez o convite ao mesmo para que ele assumisse a liderança no município. "O presidente estadual do partido quer que eu seja líder do partido em Petrolina. Eu tinha acabado de assumir (o cargo na mesa diretora), e pelo Regimento da Câmara eu não poderia ser líder, fiz uma reflexão, conversei com Osório e decidi sair. O PR passou por mudanças a nível de Estado e aqui em Petrolina vai ficar com a gente a Comissão Provisória Municipal, então pensando no futuro e no partido estamos fazendo essa mudança", contou o verador.

Gilberto negou que tenha articulação do prefeito Miguel Coelho na mudança do PR local e lembrou que o partido tem o direito de indicar quem ele quiser que seja líder na Câmara e a definição vem do Diretório Estadual. "O prefeito não me procurou e nem impôs isso, estou recebendo a missão do PR para ser líder na bancada".

Por outro lado o atual líder do PR,  Vereador Cícero Freire disse respeitar a indicação da estadual, mas disse que de acordo com a documentação do partido reza quatro e não dois anos e que Gilberto Melo havia dito que o expulsaria do PR. "Se eles quiserem me expulsar do partido é problema deles, como o próprio Gilberto disse em reunião que eu não faço mais parte do PR. Mas eu ainda faço parte sim, pois não recebi nenhuma notificação do partido dizendo o contrário", desabafou.

Cícero disse não haver briga interna entre ele e o seu colega de bancada, mas se sente desrespeitado e que estaria sendo expulso do partido  de maneira truculenta."Não estou saindo, estão passando por cima de mim. Estão me jogando fora e me tomando o direito que o partido me dá".