asdasdasdasd

Recursos destinados a Apami foram “utilizados para outro destino”, confirma Fernando Bezerra Coelho

por Karine Paixão 12 de Março de 2019 às 14:39
categoria: Política


Além da demora em realizar os encaminhamentos necessários para a habilitação do Hospital Dom Tomás como Unidade de Assistência de Alta Complexidade em Oncologia (UNACON) junto ao Ministério da Saúde, o Governo do Estado deixou de repassar emendas parlamentares destinadas a Apami num valor total de R$ 5,5 milhões. De autoria do ex-deputado federal, Adalberto Cavalcanti e do senador Fernando Bezerra Coelho, elas trariam à unidade um alívio em relação as contas da instituição, que vem realizando atendimentos acima do seu teto orçamentário. Mas a retenção desse valor engloba o gasto de R$ 3,8 milhões desses recursos em outras finalidades e a devolução de R$ 1,8 milhão ao Ministério da Saúde por perda de prazo.

A informação foi confirmada pelo senador Fernando Bezerra Coelho, que lamenta. “A gente fica triste porque é muito difícil conseguir dinheiro para conseguir dinheiro para financiar as ações no Estado, nos municípios. E sobretudo uma ação voltada para atender os pacientes que sofrem de câncer. O Hospital Dom Tomás é uma referência em Petrolina e em toda a região do Sertão de Pernambuco, da Bahia, do Piauí, do Ceará. A gente lamenta que o Estado teve quase três anos para viabilizar os repasses dos recursos de emendas minhas, num total de quase R$ 4 milhões e de emendas também do deputado Adalberto Cavalcanti de mais R$ 1,8 milhão”. 

Diante da situação, o senador da república cobra transparência do Governo do Estado sobre a utilização dos valores repassados. “É importante que o Estado esclareça. Acho que está faltando boa vontade, está faltando aproximação em relação a essa questão. Porque tem uma emenda, que é última do ano de 2016, que de fato se esgotou o prazo para aplicação dos recursos e por força de uma portaria do Ministério da Saúde, esses recursos terão que ser devolvidos. Mas isso representa R$ 1,8 milhão. Mas tem outras emendas minhas e do deputado Adalberto Cavalcanti que totalizam R$ 3,8 milhões. Esse dinheiro foi utilizado para outro destino”. 

Como sugestão, Bezerra Coelho orienta que haja o ressarcimento dos valores gastos pelo Governo. “Na conta hoje só tem R$ 77 mil e o Estado poderia, num gesto de boa fé, repassar igual volume de recursos para a Apami, por exemplo, pagando os extratetos da Apami, aqueles atendimentos que a Apami fez ao longo desses últimos 12 meses além do seu teto financeiro. Isso representaria um grande alívio para as contas da Apami”.

Por fim, Fernando Bezerra pede sensibilidade a gestão Paulo Câmara. “Fica aqui o meu sentimento de tristeza e ao mesmo tempo o meu apelo para que o Governo do Estado possa aprofundar uma análise mais sensível em relação a essa questão e poder de fato poder dar uma resposta a altura de toda a população de Petrolina”.