asdasdasdasd

Petrolina se prepara para festa de acolhida ao novo bispo diocesano

por Adriana Rodrigues 2 de Março de 2018 às 14:15
categoria: Religião

Petrolina se prepara para dar as boas vindas ao novo bispo diocesano Dom Francisco Canindé Palhano. Um momento de alegrias para todos os que aguardaram ansiosos por um novo pastor. Com o lema “É necessário que ele reine”, dom Francisco Canindé chega na diocese de Petrolina para pastorear as ovelhas cristãs católicas que o aguardam desejosos de renovações para tantos leigos e leigas que vivem o Ano do Laicato, trabalhando diariamente em ser Sal da terra e Luz no mundo.

Ás 16h está programada a concentração dos fiéis, para o acolhimento cristão. A chegada do reverendo está prevista para as 17h. Como virá de Senhor do Bom Fim, ele atravessará o Rio São Francisco de barquinho, como simbolismo as dioceses que tem suas sedes banhadas pelo Rico Chico e como apelo a preservação do Rio. Em seguida ele será conduzido até a igreja matriz, onde acontecerá o primeiro cerimonial com a acolhida do prefeito Miguel Coelho, logo após será acompanhado pelo cortejo de fiéis até a praça Dom Malam depositar flores e se dirige a Catedral para o ritual católico. Para o Padre Augusto a figura do bispo representa a unidade. O indicado para conduzir o rebanho de Deus mundo a fora. "O sentido para a diocese é aquele que chega para ocupa a cadeira que estava vazia. É um momento que desperta o chamamento para a vivência da prática do bem", ressalta.

Sobre o Bispo

Natural de São José de Mipibu (RN), Dom Francisco nasceu em primeiro de fevereiro de 1949. Foi ordenado sacerdote, na Igreja de Sant’Ana e São Joaquim, em São José de Mipibu, em 2 de fevereiro de 1975, pelo então arcebispo de Natal, Dom Nivaldo Monte. Dom Francisco é mestre em Teologia Moral, pela Academia Alfonsiana da Pontifícia Universidade Lateranense, em Roma. Dom Francisco, chama atenção um detalhe, pois seu nome é Francisco, nomeado pelo Santo Padre o papa Francisco e chega na nova diocese atravessando o Rio São Francisco, o Velho Chico e toma posse no Ano diocesano do Rio São Francisco.