asdasdasdasd

População critica saúde municipal e Secretária rebate

por Adriana Rodrigues 13 de Março de 2018 às 11:45
categoria: Saúde

A secretária de Saúde do Município de Petrolina, Magnilde Albuquerque, debateu no programa Nossa Voz, desta terça-feira (13), sobre os trabalhos realizados pela Secretaria no primeiro ano de gestão. Os temas tratados foram: Reforma das Unidades Hospitalares, falta de medicamentos, repasses do Governo do Estado e sobre a reforma administrativa.

Reforma das Unidades de Saúde

Sobre as denúncias da péssima estrutura de alguns prédios de Unidades de Saúde, Policlínica e AMEs, a secretária atribui o problema a gestão passada. Segundo ela, o município recebeu todas as unidades de saúde sucateadas. "Nós fizemos uma manutenção em 44 unidades não foi reforma, mas nós fizemos em um período que a gente precisava correr para que, pelo menos, as unidades tivessem o mínimo de condições de trabalho. Agora nossa equipe de manutenção voltará uma a uma dando um reforço em todas as unidades que estão precisando. Existem algumas unidades que a gente tem recurso de emenda para reforma e aí nós vamos trabalhar nessas unidades mais profundamente”, explica.

Albuquerque esclarece que existem recursos destinados para a AME Policlínica, mas aguarda processos burocráticos da Caixa Econômica Federal para dar início a reforma. “O restante tudo já foi concluído pela secretaria de saúde”.

Em bebedouro e Pedrinhas que passaram por vistoria do CREMEPE, ela esclarece que Bebedouro está com problemas estruturais por funcionar em unidade improvisada. “A gente tem um problema muito grande nessas áreas que é de alugar casa, porque normalmente não tem escritura, ou seja, não tem legalidades. Em Pedrinhas é uma unidade satélite, ou seja, é pequena, só serve para ponto de apoio".

Falta de Seringas

Magnilde alega que o fornecimento de seringas é de responsabilidade do Estado, porém como o Estado deixou de enviar o material junto com as vacinas, agora, a prefeitura está elaborando um plano de licitação para suprir essa necessidade das unidades.

Repasses do Governo do Estado

Em relação aos repasses de recursos do Governo do Estado a secretaria de saúde, no que diz respeito aos convênios celebrados, ella lembra que existem atrasos do Samu, assistência farmacêutica, e que não é apenas um problema da Secretaria de Saúde. De acordo com ela, “todos os secretários se queixam do mesmo problema”.

Falta de Remédios

Magnilde nega que exista essa deficiência em Petrolina. “A gente não tem em nenhuma unidade falta de remédio de pressão, insulina, a nossa CAF está abastecida com todas as medicações.

Reforma Administrativa

A cerca das especulações de que estaria insatisfeita com o atual governo e de que teria pedido demissão, ela nega. Foi sarcástica ao responder que admira o governo e que não tem pretensão de deixar o cargo. "Desde que eu entrei na secretaria todo mês eu saio. Sempre sai notícias de que arrumei minhas gavetas e dessa vez é verdade. Eu me mudei mesmo, só que para um novo prédio. Ele me deu a oportunidade e ele está confiando no meu trabalho".