asdasdasdasd

Em meio à busca por novo ministro, Temer discute medidas de segurança pública com Alexandre de Moraes

por Simone Marques 20 de Fevereiro de 2018 às 12:00
categoria: Segurança

O presidente Michel Temer se reuniu na noite desta segunda-feira (19), no Palácio do Planalto, com o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes para discutir a crise de segurança pública no país.

Segundo o blog apurou, o ministro foi sugerir ao presidente alterações legislativas, administrativas e medidas operacionais para tentar equacionar a crise na segurança pública.

A conversa ocorre em meio à busca de Temer por um nome para o novo ministério de Segurança Pública. O presidente tem discutido o assunto com os seus aliados e conselheiros nos últimos dias, mas ainda não bateu o martelo sobre o perfil do novo titular da pasta - que cuidará da Polícia Federal.

Antes do STF, Moraes foi ministro da Justiça no governo Temer. Também foi secretário de segurança pública do governo de São Paulo, na gestão de Geraldo Alckmin (PSDB).

O ministro preside hoje a comissão de juristas que discute um anteprojeto de lei sobre combate ao tráfico de drogas e armas no país.

Segundo assessores do presidente, Temer irá a São Paulo nesta terça-feira (20) para fazer novas consultas com seus conselheiros sobre o nome para o ministério da Segurança Pública.

O presidente costuma aproveitar suas idas à capital paulista para conversar com o advogado Antonio Claudio Mariz.

Mariz, inclusive, foi cotado para o ministério da Justiça de Temer em 2017, mas o presidente desistiu da indicação após o advogado ter criticado publicamente a Lava Jato.(G1)


Detran divulga balanço do carnaval 2018

por Adriana Rodrigues 15 de Fevereiro de 2018 às 17:51
categoria: Segurança

Bezerros, Gravatá e Caruaru receberam, durante os festejos de momo, agentes de trânsito que aturam na Operação Trânsito Seguro – OTS. A ação, que é desenvolvida pelo Governo de Pernambuco, por meio do Departamento Estadual de Trânsito de Pernambuco – DETRAN-PE/OTS, contou com 150 agentes, distribuídos em um regime de escala em vinte viaturas, dez motocicletas, onze caminhões guinchos e dois veículos de leitura de placas (PK). No Recife e Região Metropolitana, o principal foco de atuação foram as áreas próximas aos polos de festividades.

Dos dias 09 a 14 de fevereiro de 2018, a ORF e OTS abordaram 1.866 veículos, desses 462 foram autuados. A operação computou, também, 40 recusas para teste de alcoolemia, 7 condutores foram autuados no etilometro e 29 veículos foram removidos para o deposito do Órgão.

O foco da ação, que é desenvolvida pela Diretoria de Engenharia e Fiscalização do Trânsito do Detran, foram as infrações de uso do celular ao volante e falta de uso do cinto de segurança, inclusive no banco de traz. Quem comete essas infrações corre o mesmo risco de acidente que aqueles que misturam álcool e direção. Por isso, o Detran, por meio da ORF e OTS, objetivou inibir estes tipos de infração.

Já os técnicos da Coordenadoria de Educação de Trânsito, sempre acompanhados da Turma do Fom-Fom, estiveram nos bares do Recife Antigo durante o Carnaval com bafômetros descartáveis e óculos que simulam o estado de embriaguez, onde abordaram os foliões e alertaram sobre os riscos de beber e dirigir. As pessoas que participaram da simulação ganharam um jogo de descanso de copo com mensagens de alerta sobre os riscos de beber e dirigir, e os amigos da vez receberam medalha. No Galo da Madrugada e no Papangus de Bezerros foram distribuídas viseiras com os dizeres “Se beber, não dirija”.

De acordo com o diretor presidente do Detran, Charles Ribeiro, a ampliação do trabalho da educação no trânsito e da OTS e ORF partiu de uma determinação do governador Paulo Câmara no que se refere as ações de segurança nas estradas e rodovias pernambucanas. “Nossos agentes e educadores estiveram nas ruas para garantir mais tranquilidade aos cidadãos nesses dias de festividade. É importante que cada um faça seu papel e pedimos aos condutores prudência na hora de dirigir, além de não ingerir bebida alcoólica”, completa.


Apenas três ocorrências foram registradas no Carnaval de Petrolina, afirma Polícia Civil

por Redação Nossa Voz 15 de Fevereiro de 2018 às 10:16
categoria: Segurança

Números bem tranquilos para quatro dias de folia. A Polícia Civil de Petrolina registrou apenas três ocorrências durante o Carnaval de Petrolina 2018, que aconteceu entre os dias 10 e 13 de fevereiro na cidade ribeirinha. De acordo com o Delegado Marceone Ferreira, este “foi o carnaval mais tranquilo dos últimos anos com relação a ocorrências policiais”.

Ele explica que a Polícia Civil instalou uma delegacia no Polo Orla, durante a festa momesca, com delegado, escrivão e agentes. Foram registrados apenas um de furto de celular, um roubo de um tênis na Areia Branca e um extravio de uma Carteira Nacional de Habilitação (CNH). No período, apenas uma pessoa foi conduzida. “São dados muito bons se a gente for comparar com anos anteriores”, explicou. O delegado acrescenta que as vítimas de qualquer delito devem procurar qualquer delegacia da cidade se ainda não registrou a ocorrência. O mesmo serve para a perda de documentos.

Dados da Polícia Militar

De acordo com informações da Polícia Militar, não foram registrados casos graves nos quatro dias de folia. Durante este período, cerca de 100 policiais e 10 viaturas fizeram a segurança nos quatro polos carnavalescos da cidade. “As pessoas vieram mesmo para brincar”. Os poucos casos que ocorreram foram causados por desentendimentos e excesso de álcool”, afirmou o Capitão Lyra, do 5º BPM.

Gabriela Canário 


SDS montará postos para cadastro no Alerta Celular

por Adriana Rodrigues 5 de Fevereiro de 2018 às 10:09
categoria: Segurança

De acordo com a Secretaria de Defesa Social (SDS), o furto de aparelhos celulares é uma ocorrência bastante comum em festas e shows com grande aglomeração de público. Pensando na comodidade dos foliões, o órgão resolveu implantar um esquema durante as três prévias que irão ocorrer neste sábado (03) e domingo (04) e, para isso, irá montar postos de casdastro de celulares no programa Alerta Celular.

Neste sábado, equipes da Polícia Militar e da SDS estarão com estandes nas entradas do Chocalho do Neno, que acontece no Parador a partir das 15h; e na entrada do Baile Municipal, no Classic Hall, a partir das 21h. No domingo, o ponto de cadastro será na entrada da área externa do Centro de convenções, onde acontece o Olinda Beer, a parti das 9h.

Segundo a SDS, as equipes disponível estarão capacitadas para esclarecer sobre o programa ao público presente. "Assim como estaremos equipados para realizar, na mesma hora, o cadastro do aparelho. Dessa forma, conseguimos inibir bastante o registro de furto de celulares nesse tipo de evento", aponta o gerente de análise criminal e estatística da entidade major Jonas Moreno.

Para quem deseja efetuar o cadastro, é preciso acessar o site da SDS (www.sds.pe.gov.br) e clicar na ferramenta Alerta Celular. Depois é só realizar o cadastro que, dentre as exigências, pede o número do IMEI que pode ser obtido através do proprio celular, basta digitar *#06# que o códito irá aparecer na tela (uma série de 15 dígitos).


Jungmann diz que sistema de segurança no país está "falido"

por Simone Marques 1 de Fevereiro de 2018 às 10:57
categoria: Segurança

O ministro da Defesa, Raul Jungmann, afirmou hoje (31), no Rio de Janeiro, que o sistema de segurança pública no país está falido. Segundo ele, a situação chegou a tal ponto que facções estão no comando de ações criminosas praticadas por quadrilhas organizadas de dentro das penitenciárias. Jungmann participou de evento promovido pela Polícia Militar do Rio de Janeiro e o Viva Rio, na sede da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan).

"Este sistema vigente está falido, e o que estamos vivendo hoje é o feito, não apenas da falência, do desenho deste sistema, mas o feito de muitas outras razões. O crime se nacionalizou. Mais que isso, se transnacionalizou. Então, não é no espaço da unidade da Federação que vamos resolver o problema da grande criminalidade", disse o ministro.

Jungmann ressaltou o fato de que, na Constituição de 1988, entre 80% a 85% das responsabilidade com segurança e ordem pública foram transferidas para os estados, restando ao governo federal apenas o controle das polícias Federal e Rodoviária Federal, que ficam encarregadas do controle das fronteiras e das ações contra crimes transnacionais e o tráfico de drogas.

"Há, sim, a influência da crise neste processo, da falta de recursos para serem canalizados para a segurança pública. E, também, porque não temos um fluxo estável de recursos orçamentários e financeiros para a área de segurança. O país passa por uma das maiores crises dos últimos 50 anos em termos econômicos e fiscais e a segurança pública mergulha com o país nesta crise", acrescentou.

O ministro destacou a crise enfrentada pelo sistema penitenciário, com superlotações de presídios e presos mantidos em situações adversas, como determinante para a falência do sistema e o avanço da criminalidade no país. "Em razão da incapacidade do Judiciário de julgar os processos, o sistema penitenciário brasileiro tem 30% a 40% dos presos provisórios e temporários em suas celas. Ninguém sabe hoje, de fato, qual é o tamanho da população carcerária do país. E quem acha que sabe está enganado".

Para Jugnmann, foi nestes espaços que surgiram as grandes gangues: o PCC, o Comando Vermelho, Amigos dos Amigos, Sindicato do Crime, Terceiro Comando, Família do Norte. "Todos estes grupos criminosos, que surgiram dentro do sistema penitenciário e a partir do sistema penitenciário, controlam o crime nas cidades. Determinam ações criminosas e aterrorizam a população.

"Hoje, estes grandes grupos criminosos já têm a distribuição do consumo de droga no Brasil, e agora estão buscando o controle da produção. Veja o exemplo do Nem [o traficante Antônio Francisco Bonfim Lopes]. Nem está preso a 5 mil quilômetros do Rio, em um presídio de segurança máxima de Rondônia, e ainda assim, é capaz de declarar uma guerra na Rocinha, e levar o governo federal a convocar as Forças Armadas para tentar apaziguar o local." Outra razão da falência do sistema de segurança pública, segundo o ministro, é a impossibilidade de o governo federal não ter mandato sobre a situação dos estados, “apenas em situações extraordinárias, quando falecem as condições de controle por parte da ordem pública, há um pedido dos governadores, e as Forças Armadas são chamadas a interferir a pedido do governador, o que não deveria acontecer", disse o ministro.

O ministro Raul Jungmann defendeu a necessidade da criação de uma lei da responsabilidade da segurança social no país, lei que deverá prever o mínimo em orçamento para a segurança, e também promover uma redistribuição das responsabilidade entre as três esferas da Federação.

Para ele, é necessário cortar toda e qualquer comunicação entre as diversas gangues existentes no país e suas facções que se encontram em liberdade. "É necessário a adoção do parlatório: tudo que o preso falar com o seu advogado, familiares ou amigos tem que ser gravado".

"O que diz respeito a sua defesa não nos interessa, mas o que disser respeito ao planejamento do crime tem que ser objeto de investigação. O que não pode é acontecer de bandido ter cerca de 37 advogados, como é o caso de dois ou três aqui do Rio. Para que que um bandido precisa de 37 advogados?", questiona.

Segundo ele, na verdade eles funcionam como pombo correio, como funcionam também [como pombo correio] as visitas intimas, as visitas dos amigos". Jungmann é enfático ao dizer que "ou bem cortamos este fluxo ou a situação permanecerá como está. E aqui não se trata de criminalizar ou demonizar os advogados, mas advogado que trabalha com o crime organizado é diferente daquele que [trabalha com quem] comete um delito. Ou você corta este fluxo ou todos os grandes criminosos vão manter a hierarquia e continuar a aterrorizando a cidade. Então é preciso cortar este fluxo".

O ministro defendeu uma varredura permanente em todos os presídios para evitar a entrada de celular, botar bloqueador, aparelho de raio-x. Estaremos em breve abrindo um debate presidencial sobre o assunto embora ache muito difícil aprovar uma lei nesse sentido em ano eleitoral". (Diario de PE)

 


PM apreende quase 700 kg de maconha que seria vendida no Carnaval

por Adriana Rodrigues 29 de Janeiro de 2018 às 16:46
categoria: Segurança

Operações realizadas pela Polícia Militar de Pernambuco apreenderam quase 700 kg de maconha, que, possivelmente, seriam vendidas durante o período carnavalesco. O esquema operacional da PM, em parceria com o Serviço de Inteligência, realizou apreensões na cidade de Abreu e Lima, Petrolina e Recife em menos de dez dias.

A maior delas foi na cidade de Petrolina, no Sertão do Estado, onde foram recolhidos mais de 500 Kg de maconha. Além de Pernambuco, a droga seria distribuída na cidade de Juazeiro, na Bahia. 

Apreensões

A primeira operação aconteceu quando um homem, que estava sendo investigado pela polícia, foi detido quando chegava na casa da mãe, em Olinda; ao ser abordado pelos policiais, ele confessou que estava sob a posse de 150 kg de maconha encontrada em Abreu e Lima e recolhida por agentes do 11º e 17º Batalhão de Polícia Militar (BPM). O suspeito é um dos integrantes da quadrilha de ''Júnior Box'', temido traficante de Santo Amaro que está preso.

A maior apreensão foi feita durante a segunda operação realizada na cidade de Petrolina. De acordo com o coronel Flávio Morais, diretor da Dinter 2, responsável pela segurança de todo o Sertão pernambucano, foi preciso aguardar o melhor momento para realizar a abordagem, sendo necessário dez dias de observação do território e do suspeito para localizar a carga que continha 501.65 kg de maconha. O caminhão que portava a droga estava sob a posse de um homem que foi identificado e está sendo procurado pela polícia.

A última intervenção aconteceu no sábado (27), na Avenida Agamenon Magalhães, no Parque Amorim, área central do Recife. O major Gleibson Carvalho, subcomandante do RPMon, conta que os agentes da Cavalaria da PM desconfiaram do comportamento de dois homens; um deles estava na direção do carro, e outro empurrando o veículo na tentativa de fazê-lo funcionar. A dupla se assustou com a chegada dos policiais, que fizeram a revista e encontraram mais de 23 kg de maconha dentro do carro.


Após chacina, conflito entre detentos deixa 10 mortos em cadeia no Ceará

por Adriana Rodrigues 29 de Janeiro de 2018 às 16:39
categoria: Segurança

Após a maior chacina do Ceará, que deixou 14 mortos na periferia de Fortaleza, na madrugada do último sábado (27), uma rebelião na Cadeia Pública de Itapajé, também no Ceará, deixou dez detentos mortos, na manhã desta segunda-feira (29). A informação foi confirmada pelo presidente do Conselho Penitenciário do Estado do Ceará (Copen), Cláudio Justa. Ele afirma que presidiários também morreram no conflito, mas ainda não há quantidade confirmada. As informações são do jornal O POVO.

Segundo Cláudio, a rebelião já foi controlada. "Houve troca de tiros entre os detendos em um conflito de facções decorrente da situação da chacina (das Cajazeiras) e da guerra declarada entre as duas facções", afirmou.

Os detentos que chegaram a ficar feridos foram socorridos e levados a uma unidade hospitalar do próprio munícipio. De acordo com informações da Copen, o próximo passo será realizar a transferência dos presos de uma das facções, a que tiver em menor número na unidade, para evitar a continuidade do conflito.

Aumento dos assassinatos

Os dados confirmaram que o Estado atingiu em 2017 um número recorde de homicídios em toda a história. No ano passado, foram 5.134 assassinatos, ante 3.407 em 2016. O crescimento é de 50,7%. O maior aumento ocorreu em Fortaleza, que registrou salto de 96,4% na quantidade de homicídios. No ano passado, foram 1.978 assassinatos; em 2016, houve 1.007 registros.

A região metropolitana de Fortaleza também registrou aumento: de 801 assassinatos em 2016 para 1.292 no ano passado. O crescimento foi de 60%. Em outubro do ano passado, o Estado já havia registrado o mês mais violento da história. O ano de 2017 foi o mais violento já registrado pela Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) desde que a pasta alterou a metodologia de contagem de crimes.


Guarda Civil Municipal prende homem acusado de agredir a companheira em Petrolina

por Adriana Rodrigues 17 de Janeiro de 2018 às 16:06
categoria: Segurança



A Guarda Civil Municipal (GCM) foi acionada através do número 153 por moradores do Residencial Brasil, na zona oeste de Petrolina. Eles relataram que um homem estaria agredindo a companheira em uma das casas do condomínio. Imediatamente, o efetivo da Ronda Ostensiva Municipal (ROMU) foi enviada para atender o chamado. No local, foi constatado que Sidney Gomes de Sena, de 32 anos, havia desferido socos no rosto e pauladas na cabeça da esposa que ainda apresentava escoriações nas pernas e hematomas espalhados pelo corpo. 

O acusado foi encontrado em casa, sujo de sangue, com escoriações pelo corpo, um braço quebrado e com uma perfuração na cabeça. Aos guardas, ele negou ser o autor das agressões e ainda relatou que foi agredido por populares que estavam indignados com a situação. 

O casal foi conduzido para o Hospital Universitário e depois para o Instituto Médico Legal da cidade para a realização de exame de corpo de delito. Em seguida, foram levados até a delegacia da 213ª Circunscrição da Polícia Civil, no bairro Ouro Preto. Naquela unidade, Sidney foi apresentado à autoridade policial de plantão para que fossem tomadas as medidas legais cabíveis que o caso requer.


Polícia prende em PE suspeitos de fraudar concursos públicos no País

por Adriana Rodrigues 15 de Janeiro de 2018 às 16:48
categoria: Segurança

A Polícia Civil do Piauí, em conjunto com as polícias da Paraíba, Pernambuco e Distrito Federal, deflagrou na manhã desta segunda-feira (15) a Operação Sem Barreiras, desdobramento e quarta fase da Operação Gabarito, que investiga fraudes em concursos públicos em pelo menos 14 estados do País e Distrito Federal.

Em Pernambuco foram cumpridos mandados de prisão e busca e apreensão nas cidades de Olinda, Jaboatão dos Guararapes e Petrolina. Os mandados levaram à prisão de duas pessoas da parte de logística da quadrilha, que teriam envolvimento com a fraude do concurso penitenciário do Piauí, realizado em 2016. A operação prendeu ainda duas pessoas na Paraíba e um policial civil no Distrito Federal.

De acordo com o delegado Lucas Sá, responsável pela Operação Gabarito, a identidade dos suspeitos presos aqui em Pernambuco não pode ser revelada para não atrapalhar o caso. Segundo Sá, eles são peças importantes para as investigações e outras pessoas no estado estão sendo investigadas pela polícia.

Funcionamento

Ainda de acordo com o delegado Lucas Sá, a quadrilha tinha acesso a um sofisticado aparato tecnológico e contava com o apoio de professores. "Eles contratam professores de cursinho e servidores públicos que passaram de forma lícita em seus cargos que tenham conhecimentos das mais diversas áreas, desde português e informática até direito", afirma.

A quadrilha funcionava com quatro níveis de envolvidos: os líderes, os professores, os responsáveis pela logística e os candidatos. Os membros da logística eram responsáveis por se inscreverem nos concursos para fotografar os cadernos de prova e repassar para o quartel general através do celular. Então, os professores respondiam as questões, levando em média vinte minutos. A partir daí eram montados os gabaritos que depois eram transmitidos através de pontos eletrônicos para os candidatos que estavam nos locais de prova.

Os três principais líderes da quadrilha na Paraíba já foram presos pela polícia. São eles Flávio Borges, que tinha 50% dos lucros; o irmão dele, Vicente Borges, que detinha 25% dos lucros, e o policial rodoviário federal Marcos Pimentel, que também tinha participação de 25% nos lucros. No entanto, é possível que haja núcleos independentes nos estados. “Acreditamos que esses núcleos tenham os seus próprios líderes. Já sabemos que existem esses núcleos nos estados de Pernambuco e Alagoas e já identificamos os líderes deles. A polícia espera que sejam presos nas próximas fases da operação”, afirma Lucas Sá.

Fraudes

Apesar de ser sediada na Paraíba, a quadrilha teve atuação na fraude de pelo menos 98 concursos em 14 estados do país e no Distrito Federal. A polícia acredita que a quadrilha atua há cerca de dez anos e já tenha lucrado pelo menos R$ 29 milhões. Segundo o delegado, cerca de 700 candidatos teriam se beneficiado do esquema criminoso.

“Já temos contas bancárias desses candidatos, além de listas de alguns concursos. Daqui para frente, o que a gente espera é que a Justiça de cada estado analise as provas e decrete novas prisões”, comenta o Lucas Sá.

As investigações da Operação Gabarito começaram em fevereiro de 2017. Segundo Lucas Sá, a polícia começou com cerca de dez nomes. No dia 7 de maio de 2017, foram presas 19 pessoas na primeira fase da operação. “Depois do retorno dos laudos periciais, chegamos à identificação de 100 pessoas envolvidas na quadrilha, dais quais 37 já foram presas ao total até agora”, alega.(Com informações JC Online)


Polícia Militar suspende férias de agentes durante o período do carnaval

por Adriana Rodrigues 12 de Janeiro de 2018 às 15:25
categoria: Segurança

A Polícia Militar de Pernambuco (PMPE) determinou a suspensão das férias dos agentes da corporação durante o carnaval em 2018, informou através de nota enviada nesta sexta-feira (12). A portaria administrativa do Comando-Geral, indica que os oficiais estão proibidos gozar das férias no período de 25 de janeiro a 19 de fevereiro.

A prática é adotada todos os anos em virtude da dimensão e importância dos festejos de Momo em Pernambuco. De acordo com a PMPE, medida é necessária para garantir a segurança dos foliões. "O carnaval exige esse esforço da corporação, face a grandeza do evento popular, tão procurado pelos brasileiros quanto estrangeiros que se deslocam para o estado", afirmam através de nota. A PM explica ainda que após os festejos inicia o período de férias regulares da corporação, feitas a partir de um escalonamento e sem prejuízo para a sociedade.