asdasdasdasd

Assembleia Legislativa de Pernambuco discute Pacto Pela Vida

por Redação Nossa Voz 19 de Outubro de 2017 às 09:11
categoria: Segurança

A pedido da Bancada de Oposição da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), a Comissão de Administração Pública da Casa realiza, nesta quinta-feira (18), no auditório Sérgio Guerra, às 11h, uma audiência pública sobre o programa Pacto Pela Vida. O objetivo do encontro é debater, com representantes do governo de Pernambuco, o aumento da criminalidade no Estado, já que segundo dados da Secretaria de Defesa Social, 2017 é o ano mais violento desde a criação do programa. Até o fim de setembro, foram contabilizados 4.145 assassinatos. Em relação ao ano anterior, quando foram registrados 3.149 homicídios, o crescimento no período chega à marca de 32%.

Segundo o líder da Oposição na Assembleia Legislativa de Pernambuco, Silvio Costa Filho (PRB), o alto número da criminalidade é a marca do governo Paulo Câmara. “Os números falam por si e revelam o aumento constante da criminalidade desde 2014. São mais de 12,5 mil assassinatos de 2015 até agora. Nós da Oposição estamos à disposição do Governo para ajudar a construir uma saída para o atual quadro, mas esperamos que o Governo mostre disposição para a realização de um debate franco sobre a atual situação”, afirma o parlamentar.

Confirmaram participação os secretários Márcio Stefani (Planejamento), Cícero Rodrigues (Ressocialização), Pedro Eurico (Justiça), Antônio de Pádua (Defesa Social), Roberto Franca (Desenvolvimento Social), além dos comandos das polícias Civil e Militar e de representantes dos agentes de segurança e da sociedade civil.


Semáforo em Juazeiro dificulta fluidez no trânsito e ocasiona engarrafamentos em Petrolina

por Redação Nossa Voz 11 de Outubro de 2017 às 08:06
categoria: Segurança

Haja paciência para quem está no trânsito em horários de pico nas cidades de Juazeiro, na Bahia, e em Petrolina-PE. As filas de veículos tiveram um aumento significativo nos últimos meses e têm causado diversos transtornos para os motoristas. As maiores ocorrências são nas mediações da Ponte Presidente Dutra, que dá acesso à cidade baiana. Tudo isso por causa de um semáforo implantado pela Companhia de Segurança, Trânsito e Transporte (CSST) na primeira descida para o centro da cidade, na Avenida Raul Alves.

De acordo com o diretor-presidente da Autarquia Municipal de Mobilidade de Petrolina (AMMPLA), Geraldo Miranda, Petrolina teve um aumento significativo na frota e, além disso, a rotina das pessoas, de ir e vir em determinados horários, contribuem para as dificuldades de fluidez. Como parte deste cotidiano, as viagens à cidade vizinha por um único trajeto possível para os veículos: a Ponte Presidente Dutra. Com a implantação do semáforo, de acordo com o diretor-presidente, criou-se uma barreira, desacelerando o trânsito em ambas as cidades. “Você cria fila e as retenções porque não tem fluidez. Você cria uma barreira. Tudo que tiver no caminho do veículo cria uma retenção e o semáforo de Juazeiro está causando essa retenção. Faz-se a fila porque não tem por onde fugir”, explicou.

Um outro problema, de acordo com Geraldo Miranda, é o afunilamento do trajeto que dá acesso a Juazeiro, já que, em Petrolina, os veículos transitam em três vias até chegar à cidade baiana, com uma única pista, que leva a Salvador-BA. “Isso aí [engarrafamentos] é uma decorrência disso. A solução é a ampliação da ponte”, destacou. Entretanto, ele ressalta que cabe aos órgãos competentes do município vizinho a aplicação de soluções. Em Petrolina, explica o diretor-presidente, estão sendo tomadas algumas medidas, como a duplicação de pistas e a extinção da pista de rolamento exclusiva para ônibus, localizada na Avenida Guararapes. “A gente vai ver o que dá para fazer por aqui, mas a gente só tem uma ponte para fluir”, constatou.


Promotor de Justiça Criminal diz que governo precisa admitir que o 'Pacto pela Vida' faliu para melhorar segurança em Pernambuco

por Redação Nossa Voz 26 de Setembro de 2017 às 09:51
categoria: Segurança

Recentemente houve uma polêmica relacionada a publicação de um artigo de autoria do Major PM Luiz Cláudio Brito, na página oficial do Governo do Estado, que apontou o Poder Judiciário como responsável pelo aumento da violência em Pernambuco, justamente por conta das audiências de custódia, que determinam que as polícias devem a apresentar os presos em flagrante em até 24 horas a um juiz de direito em plantão.

Em resposta ao artigo, o Promotor de Justiça Criminal em Petrolina, Júlio César Soares Lira, disse que é preciso “saber tirar o joio do trigo sobre as informações que estão circulando”. Segundo ele, as audiências de custódia, criadas pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e implantadas em todo o Brasil, são irreversíveis e que é preciso analisar a legalidade da prisão. “Os pressupostos para o sujeito continuar preso já existiam no Código de Processo Penal, então o que se buscou com a audiência de custódia foi analisar essa legalidade e a pertinência da prisão em um momento antecedente, um momento antes, inclusive, da ação penal. É um momento prévio. O sujeito, em 24 horas, é levado à autoridade judicial para se avaliar se essa prisão é legal, ou não. E, diante disso, se não houver necessidade da prisão, a pessoa vai ser solta. Mas ele pode continuar respondendo ao processo”, explicou o promotor sobre o funcionamento da audiência de custódia.

No polêmico artigo, o major Luiz Cláudio Brito afirma que 40% de 15mil presos em flagrante foram liberados através das audiências de custódia. Mas para o promotor Júlio César, os números não são tão alarmantes quanto aparentam. “Pernambuco é um dos estados em que mais se converte prisão em flagrante em prisão preventiva. O que significa dizer que a pessoa vai ficar presa. Então quando aquela nota diz que 40% são liberados, significa que a maioria - 60% - fica presa”, destacou.

Prisão em flagrante e Liberdade Provisória

O promotor ainda explica que a prisão em flagrante tem requisitos que precisam ser observados. “A análise é pontual caso a caso. Não tem formula pronta e o próprio STF (Supremo Tribunal Federal) já admitiu que até crimes hediondos, por si só, não impedem a liberdade provisória do sujeito”, explicou. Para ele, o problema está [na falta] do acompanhamento do sujeito após a liberdade provisória. “A política de segurança pública do nosso país sempre foi relegada. Ela é um dever do estado e uma obrigação de todos. O Código de Processo Penal estipula algumas medidas alternativas à prisão. Às vezes a pessoa sai da audiência de custódia liberta, mas tem outras penas”, enfatizou.

De acordo com o promotor, um outro problema é a superlotação no sistema carcerário no Brasil. “Nós não vamos deixar uma pessoa que pode responder o processo em liberdade, ficar presa. Nós temos um sistema carcerário superlotada. Imagina se todas as pessoas que fossem à audiência de custódia ficassem presas. É um problema macro e nós não aceitamos [a insinuação] de sermos os responsáveis”, destacou.

Pacto pela Vida faliu

O Pacto pela Vida, programa de segurança pública criado em maio de 2007, não tem apresentado os resultados almejados e tem sido alvo de diversas críticas. De acordo com informações do Diário de Pernambuco, o idealizador do programa, o sociólogo José Luiz Ratton, destacou que a partir de 2014 houve um enfraquecimento da coordenação do programa, que deixou de contar com a presença permanente do então governador, ao mesmo tempo em que não houve investimentos no sistema prisional, na Funase, na Polícia Científica, em tecnologia aplicada à segurança e em programas de prevenção da violência em áreas mais vulneráveis.

Para o promotor Julio César, o governo do estado é negligente quanto à eficácia do programa. “O governo do estado precisa admitir que o Pacto pela Vida faliu. No primeiro momento, atingiu o objetivo, mas o próprio criador admitiu que da forma que está não dá para continuar. O estado faz uma cortina de fumaça achando que a gente não conhece a realidade. Se o estado não admite que está errado, fica difícil achar uma solução. Precisa ter uma reavaliação do Pacto pela Vida”, finalizou.

Gabriela Canário


PE agora tem comitê de prevenção à violência infanto-juvenil

por Redação Nossa Voz 22 de Setembro de 2017 às 07:24
categoria: Segurança

O governador Paulo Câmara assinou, na manhã desta quinta-feira (21.09), no Palácio do Campo das Princesas, um termo de cooperação que visa o desenvolvimento e aprimoramento de estratégias de atuação na prevenção de conflitos e redução da violência infanto-juvenil. A medida cria um comitê gestor que contará com representantes do Poder Executivo, do Poder Judiciário, Ministério Público, Defensoria Pública para promoção e difusão de políticas públicas que favoreçam a disseminação de uma cultura de paz nas escolas e nos programas de atendimento socioeducativo do Estado. O Tribunal de Justiça e o Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco (TRE-PE) participam da iniciativa, além de conselhos estaduais e municipais de defesa dos direitos da criança e do adolescente. 

“Essa iniciativa reflete claramente todo um processo de integração do Poder Executivo, junto com o Poder Judiciário, Ministério Público e sociedade civil organizada, no intuito de promover o desenvolvimento social da criança e da juventude, além de preparar Pernambuco para um futuro de mais cidadania, de mais paz. E isso é possível quando nós incorporamos, dentro das nossas escolas, a possibilidade de uma consciência cada vez mais coletiva na questão da cidadania; da importância da educação e da cultura; da valorização da pessoa, dos direitos humanos”, destacou o governador.

O comitê irá avaliar, coordenar e ampliar, de forma articulada, o desenvolvimento social com ações diretas em constante defesa dos direitos e amparo das crianças e juventude, na luta pela reinserção dos indivíduos em situação de vulnerabilidade social. Induzindo e garantindo direitos, além de fomentar uma cultura de paz. As secretarias de Educação e Desenvolvimento Social, Criança e Juventude contarão com representação no colegiado.

Paulo reforçou também a importância das ações preventivas alinhadas ao trabalho de ressocialização. “Ao mesmo tempo, é importante ter uma política preventiva que possa corrigir malfeitos, que infelizmente ocorrem, mas que possam dar um horizonte de futuro, mostrando que é possível mudar, reagir. Eu tenho certeza que, com parcerias e integrações, é possível alcançar resultados mais rápidos. E essa juventude tem um papel muito ativo e pode ajudar muito a mostrar caminhos, a mostrar que, através da educação, do preparo e do esforço próprio, é possível alcançar sonhos”, pontuou.

As instituições, juntas, irão promover discussões para a elaboração de estratégias de intervenção voltadas à construção de um fluxo integrado de serviços, como explica o secretário de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude, Roberto Franca. “Nós estamos construindo uma política de Estado que transcende os governos. Esse convênio, idealizado para resolver conflitos, promover justiça restaurativa e a cultura de paz integram, também, as ações do Pacto Pela Vida. Fazemos uma articulação com várias secretarias estaduais que não se restringe apenas nas ações repressivas da área policial”, salientou.

Na área da educação, caberá à pasta promover um conjunto de medidas voltadas para a melhoria da qualidade do ensino e da qualificação dos jovens, através da promoção de acesso ao conhecimento e educação profissional.  O objetivo é contribuir para a identificação de talentos e potencialidades que contribuam para a inserção desses jovens no mercado de trabalho, preparando-os para o enfrentamento das desigualdades e a valorização da diversidade.

“É muito bom a agente poder assinar esse termo de cooperação que busca um maior alinhamento, uma maior articulação e um fortalecimento desse conjunto de ações. Esse ato de hoje representa o fortalecimento de um conjunto de ações que já vêm sendo desenvolvidas, ao longo dos últimos anos, e que buscam uma maior articulação das nossas atividades. E isso tudo tem um impacto muito grande, positivamente, no desenvolvimento do nosso Estado, principalmente no ponto de vista social”, reforçou o secretário estadual de Educação, Frederico Amâncio.

JUDICIÁRIO - O Tribunal de Justiça de Pernambuco e o MPPE, com apoio da Coordenadoria da Infância e Juventude, do Centro de Apoio Operacional, e das Promotorias de Justiça da Infância e Juventude, irão identificar e apresentar os programas em desenvolvimento, com relação à especificação do objeto deste Termo de Cooperação Técnica, visando à maximização dos seus resultados. “O Poder Judiciário tem uma função muito importante que é promover a pacificação e a justiça social. E promover a justiça é dar a mesma oportunidade a todos. Temos uma grande responsabilidade de fazer com que as pessoas sejam conscientizadas dos seus direitos de cidadania para que possam lutar e alcançar seus objetivos”, defendeu Leopoldo Raposo, presidente do TJPE.

À CIJ/TJPE, caberá supervisionar e apoiar os projetos executados diretamente pelas Varas com competência de Infância e Juventude no Interior do Estado de Pernambuco. A cargo do TRE-PE, ficará o desenvolvimento de ações institucionais, de responsabilidade social, com ações socioeducativas no âmbito do Programa Eleitor do Futuro, com base nos convênios e parcerias para otimização das respectivas atividades que tem como objetivo beneficiar jovens estudantes na faixa etária de 7 a 17 anos.

Em paralelo, o Conselho Estadual de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente e o Conselho Municipal de Defesa e Promoção dos Direitos da Criança e do Adolescente/Recife terão como competências formular a política de proteção, promoção e defesa dos direitos da criança e do adolescente, afim de coordenar, controlar e fiscalizar sua execução, além de apoiar e fortalecer os demais entes que atuam na defesa e promoção dos direitos da Criança e do Adolescente. Já a Defensoria Pública será responsável por prestar assistência jurídica integral e gratuita à população hipossuficiente, que não tenha condições financeiras de pagar as despesas de um advogado.


Governo de PE forma 1.500 novos policiais militares para reforçar o combate à criminalidade

por Redação Nossa Voz 22 de Setembro de 2017 às 07:21
categoria: Segurança

Em meio a um cenário difícil pelo que passa o Brasil no âmbito da violência, o Governo de Pernambuco segue planejando e promovendo ações para o enfrentamento desse cenário. Na manhã desta quinta-feira (21.09), 1.500 homens e mulheres passaram a reforçar oficialmente o efetivo da Polícia Militar, após solenidade de conclusão do Curso de Formação e Habilitação de Praças da PM 2017, realizada no Quartel do Derby, no Recife. O evento foi presidido pelo governador Paulo Câmara, que destacou a importância da atuação dos novos praças no combate à criminalidade e no reforço da segurança da população de todas as regiões do Estado. 

“Estamos firmes e determinados a cumprir o nosso objetivo de trazer paz e segurança aos pernambucanos. O povo pernambucano quer policiais nas ruas, e essa resposta nós estamos dando hoje, com 1.500 novos formados, com as novas academias e com o trabalho responsável que a polícia está fazendo de prender traficantes de drogas, de prender homicidas e buscar incansavelmente restabelecer a paz em Pernambuco. Vamos seguir aquilo que a boa técnica exige: profissionais de segurança responsáveis que têm o compromisso com a segurança pública e que vão nos ajudar a diminuir os índices da violência no nosso Estado”, frisou.

Paulo ressaltou ainda que a segurança tem sido prioridade na sua administração, pontuando a continuidade no reforço dos quadros das policiais. “A nossa preocupação é única e exclusiva com o bem estar da população, e por isso vamos continuar trabalhando com muito empenho e determinação para dar as respostas que a população espera de todos nós. A partir da próxima segunda-feira, começa uma nova academia com 1.300 novos policiais militares. E já em outubro, mais de mil policiais civis e da Polícia Científica também dão início à formação”, afirmou o governador, lembrando que a ação integra o Plano de Segurança de Pernambuco, que prevê o investimento de R$ 290 milhões no setor.

Com uma carga horária de 1.106 horas aulas, o Curso de Formação e Habilitação de Praças da PM teve início no mês de janeiro deste ano e foi realizado no Campus de Ensino Metropolitano I da Academia Integrada de Defesa Social (Acides). Além do trabalho prático, esses profissionais foram capacitados sobre diversos temas relacionados ao desempenho do trabalho policial, como as técnicas de policiamento ostensivo, abordagem, inteligência de segurança pública e defesa pessoal, além de temas fundamentais para o bom desempenho da profissão junto à população, como gerenciamento de crises, resolução de problemas, direitos humanos, ética e cidadania, e relações interpessoais. 

“São homens e mulheres que atuarão não só na Região Metropolitana, mas serão distribuídos para as demais regiões. Todo o Estado vai receber parte desse efetivo para aumentar a segurança de cada município. O que a população espera é respostas mais rápidas, e é esse o nosso compromisso: um investimento concreto. Investimento que está sendo mostrado hoje, com esse importante reforço na corporação, que conseguirá trazer mais segurança para a população pernambucana”, declarou o secretário de Defesa Social, Antônio de Pádua. Para oferecer melhores condições de trabalho aos responsáveis pela segurança pública em Pernambuco, 83 viaturas foram entregues, também nesta quinta-feira, aos órgãos operativos da SDS, sendo 75 para a PMPE, cinco para o CBMPE e três para a PCPE. 

DISTRIBUIÇÃO - O comandante geral da PMPE, coronel Vanildo Maranhão, falou sobre a distribuição do efetivo no Estado. “Nós procuramos distribuir esse efetivo de uma maneira bem estratégica, contemplando aquelas áreas de segurança integrada, tanto o batalhão de área quanto o batalhão especializado e as unidades de Polícia Militar, com um aporte efetivo para que ela possa dar o melhor resultado operacional possível. Com esse reforço, umas das preocupações do comando em geral foi justamente a gente contemplar aquelas unidades, aquelas pequenas cidades que têm os destacamentos menores. Essas cidades vão sim receber esse reforço para melhorar o policiamento ostensivo.



MAIS REFORÇO - Assim como a PM, a Polícia Civil e a Polícia Científica também serão reforçadas com a convocação, no mês de outubro, de 1.283 profissionais para darem início ao curso de formação dos respectivos órgãos. No total, serão 850 novos policiais civis, entre delegados, agentes e escrivães; e 433 profissionais para a Científica, entre peritos criminais, médicos legistas, papiloscopistas e auxiliares de legista e perito. Outro importante reforço será a realização anual de concurso para preenchimento de 500 vagas na Polícia Militar, já aprovado pelo governador.

COMPROMISSO E GESTÃO - Este é o terceiro curso de Formação de Soldados e Praças realizado durante a Gestão Paulo Câmara, que já formou 2.702 soldados na PMPE. Desde o início do Pacto pela Vida, em 2007, 10.838 militares já foram formados e passaram a reforçar o policiamento em Pernambuco. 


PL obriga contratação de vigilantes para atuarem 24h nas Agências Bancárias em Petrolina

por Adriana Rodrigues 5 de Setembro de 2017 às 15:30
categoria: Segurança

A sessão da Câmara de Vereadores de Petrolina, desta terça-feira (05), contou com a presença do presidente Sindicato dos Vigilantes, Laércio Antonio de Vasconcelos, para debater um projeto de lei de autoria do vereador Gaturiano Cigano que propôe a contratação de vigilantes armados durante 24 horas nas agências bancárias públicas e privadas, além de cooperativas de crédito, em Petrolina. O vigilante aprova a iniciativa do vereador e destaca outras cidades que já dispõe do serviço a exemplo de Joaboatão em Pernambuco e Feira de Santana na Bahia.

Segundo o autor do projeto, Gaturiano Cigano, disse que o ponto de partida para a criação do projeto é onda de violência instalada na cidade. Ele destacou também a geração de empregos. "Foi pensando nos usuários, a gente sabe o risco que corremos quando vamos nas agências bancárias a noite ou nos finais de semana".

O projeto foi aprovado com unanimidade, por 18 votos a 0. De acordo com o parlamentar, os bancos ficarão responsáveis pela contratação dos profissionais. As agências terão portanto, até 90 dias para se adequarem a nova lei. O descumprimento das normas acarretará aos bancos a multa de R$ 520 por dia. A prefeitura ficará responsável para fiscalizar.


Seminário discutirá Segurança contra Incêndio e Pânico em Petrolina

por Redação Nossa Voz 21 de Agosto de 2017 às 08:54
categoria: Segurança

 

O Corpo de Bombeiros CAT Sertão II e o Sebrae,  com o apoio da CDL Petrolina, Secretarias Municipais e demais parceiros, realizarão na próxima terça-feira, dia 22 de agosto, o 1º Seminário de Segurança Contra Incêndio e Pânico nas Empresas. O Seminário acontece das 19h às 22h, no auditório do Senai, em Petrolina. O objetivo do evento é adequar a empresa ao Projeto Contra Incêndio e Pânico - Lei Estadual PE 11.186/94 -  e orientar o empresário sobre o subsídio de 70% dado pelo Sebrae na elaboração desse projeto para seu negócio.

 

A programação contará com três palestras: Liberação de alvará junto ao município; Relato de experiência do empresário; e O  Sebrae chega junto para inovar no seu negócio. A inscrição no evento é gratuita.


O Serviço de Segurança Contra Incêndio e Pânico é o setor do Corpo de Bombeiros Militar, responsável pelo estabelecimento de normas de segurança, análise de projetos, vistoria de edificações e concessão do Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros, através de ações preventivas contra incêndio e pânico.


Campanha do Desarmamento 2017 é lançada em Petrolina

por Adriana Rodrigues 1 de Agosto de 2017 às 08:57
categoria: Segurança

A Campanha de Desarmamento 2017 dentro do Pacto Pela Vida, foi lançada pela Polícia Militar de Pernambuco em Petrolina, nesta terça-feira (01). O posto de comando montado na praça Dom Malam, funcionará das 08h às 17h até o próximo sábado (05). O Coronel Jonas Barbosa, destaca que o programa de arrecadação contribui para redução de furtos, de Crimes Letais Violentos Intencionais e de acidentes. "Essas armas em mãos despreparadas, podem ser utilizadas para outros fins. Quanto menos armas, menos homicídios, isso é uma ilusão de que estar armado é estar seguro".

Em Pernambuco desde quando foi lançada a campanha em 2013, a Polícia já recebeu 2.736 armas. Em 2017 já foram entregues 360, o que coloca o Estado em primeiro lugar em entrega de armas no Nordeste. O coronel esclarece ainda, que quem for pego com arma de fogo sem registro e porte será conduzido à delegacia de Polícia Civil e autuado em flagrante sendo liberado apenas com pagamento de fiança, exceto em caso de armas restritas de uso militar em que o proprietário será preso e caberá à justiça a resolução.

O Coronel Carlos Pereira, informa que a lei não proíbe o cidadão de possuir arma, apenas regulamenta. “Ela dificulta para que o cidadão que vai possuir essa arma possa ter o mínimo de condições de possuir, mas a lei existe e possibilita o cidadão de adquirir e ter a posse da sua arma em sua casa legalmente”.

Para informações sobre o procedimento correto para entregar a arma, os interessados devem acessar o site: www.desarme.mj.com.br. A indenização varia entre R$ 150 a R$ 450. Carlos Pereira tranquilizou a população e garantiu que o anonimato será garantido. "É importante lembrar que a gente não vai questionar sobre a origem da arma. Se você recebeu essa arma há 10 anos e nunca regularizou, pode ficar tranquilo, se quiser na hora de emitir a guia pode até omitir o nome".  


Suspeitos de assaltar empresa Brinks são alvo de operação da polícia

por Adriana Rodrigues 1 de Agosto de 2017 às 07:45
categoria: Segurança

A Polícia Civil deflagrou, nesta terça-feira (1º), a Operação Durga com o objetivo de prender integrantes da quadrilha suspeita de roubos a instituições financeiras utilizando explosivos. Um dos casos investigados é o ataque a empresa Brinks, em fevereiro deste ano.

Ao todo, estão sendo cumpridos seis mandados de prisão, 17 mandados de busca e apreensão domiciliar e dois mandados de conduções coercitivas. A operação acontece no Recife e Região Metropolitana e também na cidade de Nova Odessa, em São Paulo, e Natal, no Rio Grande do Norte.

Cento e cinquenta policiais civis entre delegados, agentes e escrivães e também policiais militares participam da operação. 

Ação contra Brinks

O assalto à empresa de transporte de valores aconteceu nesta terça-feira (21), por volta das 3h. Cento e trinta e oito policiais foram acionados para tentar conter a investida planejada por mais de 20 homens fortemente armados. A Polícia Civil garantiu que a quadrilha é interestadual, e pratica assaltos no mesmo modus operandi em outros estados.

O assalto à Brinks foi classificado por moradores de bairros próximos da Avenida Recife e Doutor José Rufino, como cinematográfico. Mais de 20 homens fortemente armados iniciaram uma troca de tiros com o Batalhão de Polícia de Trânsito (BPTran) e um cerco foi formado na região com carros carbonizados bloqueando as vias.(Com informações JC)


Governador Paulo Câmara entrega hoje 83 viaturas para reforçar policiamento no Estado

por Adriana Rodrigues 31 de Julho de 2017 às 08:53
categoria: Segurança

Os investimentos do Plano Estadual de Segurança Pública de Pernambuco prosseguem, nesta segunda-feira (31/07), quando o governador Paulo Câmara entrega à Secretaria de Defesa Social 83 novas viaturas para reforçar a frota das polícias. Os veículos chegarão a 20 municípios da Zona da Mata, do Agreste e do Sertão, além dos 14 da Região Metropolitana, incrementando a estrutural operacional no combate à criminalidade.

Os municípios do interior atendidos com o reforço da frota das polícias são Goiana, Vitória de Santo Antão, Limoeiro, Garanhuns, São Benedito do Sul, Gameleira, Belo Jardim, Caruaru, Palmares, Floresta, Petrolina, Afogados da Ingazeira, Água Belas, Tabira, Arcoverde, Itapetim, Araripina, Cabrobó, Serra Talhada e Salgueiro.