asdasdasdasd

Semáforo em Juazeiro dificulta fluidez no trânsito e ocasiona engarrafamentos em Petrolina

por Redação Nossa Voz 11 de Outubro de 2017 às 08:06
categoria: Segurança

Haja paciência para quem está no trânsito em horários de pico nas cidades de Juazeiro, na Bahia, e em Petrolina-PE. As filas de veículos tiveram um aumento significativo nos últimos meses e têm causado diversos transtornos para os motoristas. As maiores ocorrências são nas mediações da Ponte Presidente Dutra, que dá acesso à cidade baiana. Tudo isso por causa de um semáforo implantado pela Companhia de Segurança, Trânsito e Transporte (CSST) na primeira descida para o centro da cidade, na Avenida Raul Alves.

De acordo com o diretor-presidente da Autarquia Municipal de Mobilidade de Petrolina (AMMPLA), Geraldo Miranda, Petrolina teve um aumento significativo na frota e, além disso, a rotina das pessoas, de ir e vir em determinados horários, contribuem para as dificuldades de fluidez. Como parte deste cotidiano, as viagens à cidade vizinha por um único trajeto possível para os veículos: a Ponte Presidente Dutra. Com a implantação do semáforo, de acordo com o diretor-presidente, criou-se uma barreira, desacelerando o trânsito em ambas as cidades. “Você cria fila e as retenções porque não tem fluidez. Você cria uma barreira. Tudo que tiver no caminho do veículo cria uma retenção e o semáforo de Juazeiro está causando essa retenção. Faz-se a fila porque não tem por onde fugir”, explicou.

Um outro problema, de acordo com Geraldo Miranda, é o afunilamento do trajeto que dá acesso a Juazeiro, já que, em Petrolina, os veículos transitam em três vias até chegar à cidade baiana, com uma única pista, que leva a Salvador-BA. “Isso aí [engarrafamentos] é uma decorrência disso. A solução é a ampliação da ponte”, destacou. Entretanto, ele ressalta que cabe aos órgãos competentes do município vizinho a aplicação de soluções. Em Petrolina, explica o diretor-presidente, estão sendo tomadas algumas medidas, como a duplicação de pistas e a extinção da pista de rolamento exclusiva para ônibus, localizada na Avenida Guararapes. “A gente vai ver o que dá para fazer por aqui, mas a gente só tem uma ponte para fluir”, constatou.