asdasdasdasd

Bodocó enfrenta prejuízos, moradores desabrigados e ruas alagadas

por Redação Nossa Voz 13 de Abril de 2018 às 14:25
categoria: Sertão do Araripe

Com as chuvas que ocorreram nos últimos dias, principalmente na madrugada desta sexta-feira, 13, a cidade de Bodocó, está vivendo uma das maiores enchentes em sua região, com diversas ruas inundadas, empresas e casas alagadas e moradores que perderam praticamente tudo. Muitos estão utilizam barcos para se locomover. O Corpo de Bombeiros foi acionado logo cedo para ajudar os moradores das áreas mais atingidas.

O governo municipal e a polícia, juntam esforços para ajudar a população. Segundo moradores, a água chegou a subir mais de um metro e meio de altura. Em quase 20 minutos, toda a região foi inundada.

O Nossa Voz conversou com o radialista Gilberto Maia, ele que é um dos Coordenadores da Pastoral da Comunicação da Paróquia São José, esteve com moradores e afirma, que a enchente é inédita, e que possívelmente foi causada pelo transbordamento do Açude Lopes II.

"Comerciantes perderam quase tudo, muitas pessoas desabrigadas e pessoas desaparecidas, isso ainda não oficial, mas as pessoas estão meio perdidas com a situação. As pessoas puxando carros, tentando salvar seus bens, muitos pontos de alagamento, muitas ruas e a escola estadual de maior referência do estado, a João Carlos Lopes de Almeida, está bem alagada e não teve como o pessoal salvar nada na escola."

Segundo Gilberto, as ruas inundadas ficam muito próximas à região do riacho que dá acesso ao Açude Lopes II, um dos maiores da região e que outras barragens também transbordaram para o Lopes.

“O Lopes não seca fácil, mesmo em colapso ele ainda tinha água, e chegaram a estourar outras barragens, as informações do pessoal de lá é que o Lopes está sangrando e quando isso acontece as águas vem para esta região, principalmente, a rua Manoel Alves de Medeiros”, informou Gilberto Maia.

O açude Lopes II tem capacidade máxima para acumular mais de 23.935.360 m3, mas estava em colapso por causa da longa estiagem.

 

Barragem de Camará não rompeu segundo a prefeitura

Uma parte da ponte que fica na entrada da cidade caiu com a força das águas. A Igreja Adventista do Sétimo Dia e a Igreja Nossa Senhora do Carmo, iniciaram uma campanha para ajudar a população afetada. A Assessora de Comunicação, Elba Galindo, falou ao Nossa Voz sobre os boatos de novos rompimentos de barragens.

“Estão ocorrendo muitos boatos dizendo que a barragem de Camará rompeu, mas isso não é verdade, sabemos que é uma barragem de muito grande porte para o município, mas isso não é verdade, queremos tranquilizar a população. Ainda não temos o número definido de quantos bens foram perdidos e de quantas pessoas estão desabrigadas. Muitas ruas foram inundadas, muita gente está sendo acolhida pela prefeitura que não está medindo esforços, estamos procurando localização para elas, em escolas, no centro do idoso. Estamos providenciando, água, colchões e dizer que a prefeitura vai fazer todo o possível para fazer com que este desconforto seja sanado e que as pessoas evitem estes locais de maior risco”, disse Elba

Ruas como: Nelson Araújo e Manoel Alves de Medeiros, correm mais risco de alagar e com desabamentos, então os coordenadores das equipes de ajuda alertam as pessoas para que não se arrisquem andando por estas localidades.

Com informações Cidinha Medrado/ VPFM